112 – História de uma Gaivota e do Gato que a ensinou a voar – Luís Sepúlveda – Esta é a história fantástica de uma gaivota que morre em terra, deixando a um gato o seu ovo para que este trate de o chocar e ensinar a gaivota bebé a voar. Com episódios cómicos e personagens engraçadas, é uma história bem construída que não se torna excelente.

113 – Bibliomancy – Elizabeth Hand – Conjunto de quatro histórias, foi premiado com o World Fantasy Award. Deste conjunto, gostei imenso de duas histórias, mas achei as outras duas fraquitas.

114 – American Fantastic Tales – 1940s to Now – Colectânea de histórias organizada por Peter Straub com contos distintos quer em estilo quer em temática. Este é daqueles volumes de leitura lenta, e ainda estou a intercalar as histórias com os restantes livros que vou pegando.

115 – Titus – O herdeiro de Gormenghast – Mervyn Peake – Primeiro volume da trilogia de Gormenghast, apresenta-nos personagens de emoções bastante fortes por detrás de uma aparente apatia, num castelo onde as tradições se tornam pesadas, e as sombras vão crescendo com o decorrer da história.

116 – O castelo de Gormenghast – Mervyn Peake – Segundo volume da trilogia de Gormenghast onde as sombras se adensam e o autor não poupa as personagens. O ambiente torna-se cada vez mais pesado e claustrofobiante, reflectindo-se nas decisões das personagens.

117 – Contos do Insólito – Guy de Maupassant – Pequeno conjunto de contos que se assemelham a histórias populares, a maioria com temática fantástica ou de horror. Alguns destes contos exploram o terror psicológico, sendo de realçar, também um conto de vampiros transparentes que se alimentam também de água e leite, e a história de um homem cujos móveis saem sozinhos uma noite.

118 – Xochiquetzal – Gerson Lodi-Ribeiro – O último livro do ano é de autoria brasileira, e enquadra-se no género da história alternativa, apresentando um Universo onde foram os portugueses a descobrir as Américas, construindo alianças com os povos ameríndios, o que lhes terá possibilitado desenvolver um Império que se alarga a todos os mares.