O que vemos quando lemos – Peter Mendelsund

O que vemos quando lemos é daqueles livros que me ficou na memória aquando do lançamento – um livro sobre livro, mais propriamente sobre o acto da leitura e sobre a forma como construímos imagens mentais das personagens e dos locais a partir de associações que são próprias de cada leitor. Adicionalmente, fala-se, da forma como determinadas características expressas pelos autores reflectem um estado de espírito, dando como exemplo a descrição do marido traído de Anna Karénina:

As orelhas de Karenin crescem proporcionalmente ao desamor da sua mulher por ele. Deste modo, as orelhas de Karenin não nos dizem nada sobre a aparência de Karenin, mas muito sobre os sentimentos de Anna.

Mas não é só através das características físicas que se expressa o ambiente psicológico. No caso de A Casa de Abandonada de Charles Dickens são as próprias condições meterológicas que são utilizadas como metáfora:

O romance A Casa Abandonada começa no nevoeiro; e este nevoeiro é uma componente do mundo que a escrita de Charles Dickens traz à vida.
O nevoeiro é também uma referência ao nevoeiro «real» de Londres.
Este nevoeiro é também uma metáfora para o sistema judicial da chancelaria inglesa.
Usei este mesmo nevoeiro como metáfora visual apra as aberturas dos livros em geral.

Por vezes, é a sonoridade do texto que transmite uma percepção, ou, até, a sua própria disposição. Ainda que esta questão em específica não seja muito abordada em O que vemos quando lemos, recordei House of Leaves de Mark Z. Danielewski, um livro fantástico sobre uma casa que muda a sua composição e dimensão, em que o texto vai acompanhando o labirinto físico e induzindo, ao próprio leitor, a percepção de dimensão através do espaçamento do texto.

O que vemos quando lemos é um livro que é acompanhado por diversos gráficos e imagens representativas, algumas a propósito, outras que servem para ocupar espaço útil. Trata-se de um livro que possui algumas reflexões interessantes sobre o acto de ler, mas que é bastante mais ligeiro do que se parece quando se lhe pega.

Este livro foi publicado pela Elsinore.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.