Resumo de leituras – Dezembro de 2021 (4)

229 – As Pombinhas do Senhor Leitão – Miguel Rocha – Queixava-me eu de não haver (ou de haver pouca) ficção portuguesa sobre o período de ditadura. Eis um bom exemplo, doseado com um humor ácido e irónico que consegue ser, simultaneamente trágico e caricaturesco de um passado bafiento e cínico. Excelente leitura;

230 – Apocryphus Monstro – A mais recente antologia Apocryphus destaca-se, como já é habitual, no visual. Algumas das histórias são boas (e gostaria de as ver mais expandidas). O tema é, claro, monstros, uma premissa que é explorada de múltiplas formas ao longo das várias histórias;

231 – Gideon Falls – Vol. 6 – Este sexto volume finaliza a série de horror de Jeff Lemire e Andrea Sorrentino. Tem elementos interessantes, sobretudo a exploração de várias dimensões que se cruzam no espaço e no tempo, mas não é tão bem sucedida quanto outras narrativas de Jeff Lemire em tecer personagens e envolvimento com a história. É, por este motivo, uma leitura que me deixou uma sensação agridoce;

232 – El Paso del Tiempo – Visualmente tem das páginas mais extraordinárias que tive a oportunidade de ver. Luis Royo apresenta-se em vários registos, alguns deles muito experimentais, outros são jogos visuais. As palavras são poucas, mas algumas imagens remetem-nos para mitologias fantásticas, outras para quadros de Dali ou simbolismos orínicos.

233 – A Fera – Uma homenagem a Marsupilami que nos entrega uma narrativa extraordinária. Um filho de mãe solteira (resultado de um soldado alemão) sofre às mãos dos seus colegas como resultado das suas circunstâncias familiares. Em contrapartida, encontra animais nas suas deambulações que resolve trazer para casa e cuidar. Entre estes animais, encontra-se um género de macaco (ou de felino) que tem um comportamento mais selvagem e imprevisível;

234 – Sapiens – Vol. 2 – Segundo volume da adaptação para banda desenhada do livro de divulgação científica de Yuval Noah Harari. Apresenta algumas teorias de evolução humana, explicando as consequências da adaptação à agricultura – como algo que parece ser benéfico pode ter determinado a estrutura hierárquica nas sociedades e, consequentemente, a miséria que existe nalgumas culturas. Uma abordagem curiosa que relacionada vários elementos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.