Lançamentos diversos – BD

Entre os lançamentos que vão estar disponíveis com o Público, ou directamente nas bancas, estão previstos alguns títulos excepcionais a bom preço em língua portuguesa nos próximos tempos. Deixo-vos uma pequena compilação de alguns dos títulos já anunciados nas páginas das editoras. Claro que, com a aproximação dos lançamentos publicarei informação mais detalhada.

Colecção Novela Grafica

A Levoir já tinha anunciado alguns títulos a integrar a nova Colecção de Novela Gráfica que iria ser distribuída com o jornal Público. Finalmente (a expectativa é grande) anuncia que a colecção será publicada a partir de Junho. Eis alguns títulos já anunciados, bem como os anúncios lançados pela editora.

V for vendetta

watchmen

V de Vingança será o primeiro volume da colecção Novela Grágica, uma das obras-primas de Alan Moore, muitas vezes considerado como uma das 10 Melhores Novelas Gráficas de sempre. A máscara que David Lloyd criou para a personagem principal viaria a tornar-se um ícone cultural dos nossos tempos, tendo sido adoptada pelos Anonymous. O livro será publicado em capa dura, e é um livro essencial na biblioteca de qualquer fã de banda desenhada.

Para além deste, a Levoir irá lançar Watchmen de Alan Moore. Watchmen não será lançado em conjunto com o jornal Público, mas directamente para as livrarias.

Adaptado do anúncio pela  Levoir na sua página

Presas fáceis

Presas fáceis é a mais recente obra de Miguelanxo Prado, um dos maiores autores actuais. Ao incorporar a colecção Novela Gráfica constituirá um lançamento quase simultâneo com a edição espanhola. Trata-se de uma obra da maior maturidade de Prado, como argumentista e como desenhador, e com um tema bem actual: uma vaga de assassinatos de empregados e gerentes bancários assola Espanha, e levará os dois inspectores da polícia que são os protagonistas da história, a mergulhar nos fundos sombrios da crise bancária, da fraude, e do sentimento de impunidade em que todo um país mergulhou! Um dos melhores Prados de todos os tempos, e um livro que todos os fãs apreciarão.

Adaptado do anúncio da Levoir na sua própria página

terra de sonhos

Depois de O Diário do meu pai, na primeira colecção de Novela Gráfica, chega a vez de Terra dos sonhos na colecção de 2016. De destacar que o autor, Jiro Taniguchi foi vencedor do Prémio do Festival da Amadora “Clássico da Nona Arte”.

Adaptado a partir do anúncio da Levoir na sua página

a arte de voar

A última novela gráfica de Antonio Altarriba e Kim, Asa Partida, teve lançamento mundial no dia 1 de Abril e será incluído, também, na colecção Novela Gráfica. Uma justa inclusão, até porque A Arte de Voar, dos mesmos autores, foi vencedor em 2015 do Galardão Comic-Con para Melhor Álbum Estrangeiro em Portugal. Depois do relato da vida do seu pai, que atravessou um século inteiro de história em que a Espanha mudou mais que em muitos séculos anteriores, Altarriba volta às décadas conturbadas da vida do seu país, desta vez através dos olhos da sua mãe.

Adaptado a partir do anúncio da Levoir na sua página

Os restantes títulos da colecção ainda estão por anunciar mas, com esta primeira amostra parece que planeiam levar-nos à falência.

Lançamentos G Floy

Entre aqueles que já têm data, e os que estão ainda em produção, podem ir já reservando espaço na estante:

tony chu 4

A partir de 18 de Maio podemos contar com o quarto volume de Tony Chu (será feito um destaque próprio com mais detalhe, mais próximo da data de lançamento).

má raça

Previsto para final de Maio (será feito um destaque próprio com mais detalhe, mais próximo da data de lançamento).

harrow

A G.Floy irá lançar durante a segunda metade do ano a aclamada nova série HARROW COUNTY, que acaba de ser nomeada para um Eisner na categoria de Melhor Nova Série. Da autoria de Cullen Bunn e de Tyler Crook, Harrow County é uma série de terror gótico ambientada no Sul rural dos Estandos Unidos nos anos 20.

“Emmy sempre soube que os bosques em redor da pequena vila em que vive estavam cheios de monstros e fantasmas. Mas à medida que se aproximam os seus dezoito anos, descobre que tem uma ligação MUITO mais profunda a essa terra e ao seu passado do que imaginava, e terá de descobrir a história da bruxa Hester Beck, que os habitantes da vila lincharam há muitos anos atrás…”

Cullen Bunn é um argumentista bem conhecido dos leitores de comics, não só pelas muitas histórias e séries que escreveu para a Marvel e para a DC (incluindo as actuais séries regulares de Deadpool e Uncanny X-Men e Sinestro, e a mini-série Deadpool Kills Deadpool, que teve imenso sucesso), mas também pelas séries que criou, The Sixth Gun e Hellbreak (editadas na Oni Press e na Dark Horse, respectivamente).

Harrow County começou por ser um conjunto de contos de horror, transformados em série regular com a ajuda do artista Tyler Crook, cujas cores a aguarela foram muito elogiadas, pela sensação inquieta de sombra e trevas que conseguiram transmitir. Crook venceu o Russ Manning Award em 2012, um prémio que é dado na cerimónia dos Eisners a artistas novos que mostrem grande promessa no mundo dos comics.

(anúncio da G Floy)

Miracleman

Está previsto que a série de Alan Moore seja editada num só volume, enquanto que a de Neil Gaiman sairá nos normais 3 volumes.

Adaptado do anúncio da G Floy na sua página

Alias

Já a conhecem dos Novos Vingadores. Já a conhecem da série da Netflix. Está na altura de conhecerem a série de banda desenhada que deu origem a Jessica Jones: ALIAS!

Lançada em 2001 para o selo Marvel MAX – a linha de comics adultos que a Marvel criou e que veio revolucionar muitas das suas personagens e dar a conhecer uma mão-cheia de novos autores, ALIAS duraria 28 números e seria um dos títulos que iria estabelecer a reputação do argumentista Brian Michael Bendis. Em 2004, a série fechou os seus arcos de história, e as suas personagens passariam para a revista The Pulse, e posteriormente integrariam o universo Marvel mais mainstream.

São os 28 números de ALIAS que a G.Floy irá editar já a partir do final da Primavera, com o primeiro volume com data marcada para a Feira do Livro de Lisboa, e o segundo previsto para Novembro.

Com desenho de Michael Gaydos, o argumento de Bendis parecia ainda muito próximo das sensibilidades indie que o escritor trazia da sua anterior carreira como autor de romances gráficos noir. Dentro do selo Marvel MAX pôde dar rédeas soltas ao seu modo adulto e frontal de contar histórias, e como o contrato o impedia de utilizar os nomes mais “sonantes” do universo Marvel, focou-se no desenvolvimento psicológico da principal personagem, num registo bem invulgar na altura para um comic de super-heróis. Nomeado para dois Prémios Eisner, e vencedor de um Harvey para Melhor Nova Série, ALIAS é geralmente apontado como exemplo do que melhor se fez em super-heróis mainstream.

Adaptado do anúncio feito pela editora na sua página

Tinta da China

os vampiros

 

Depois do sucesso da trilogia de Dog Mendonça e Pizzaboy, Filipe Melo volta a juntar-se a Juan Cavia para nos trazer uma nova banda desenhada, desta vez num tom mais sério. Os Vampiros tem como palco a Guerra Colonial e baseia-se em vários depoimentos de ex-combatentes.

 

Não são todos, mas são os que encontrei informação mais concreta nas páginas oficiais das editoras – que vos parece? Infelizmente já tenho Watchmen e V for Vendetta (em edições inglesas, de menor qualidade do que se prevê que seja a edição portuguesa) mas os restantes irei adquirir sem sombra de dúvida!

7 pensamentos sobre “Lançamentos diversos – BD

  1. Parece que o desaparecimento da ASA, fez bem ao mercado. Ou então, a Levoir e a G-Floy souberam criar mercado. Ou então…
    Quando vi o anuncio do Horror Gótico, fiquei extremamente feliz. Aí esta um que não vou gastar dinheiro a comprar 🙂
    Os Watchmen e Alias também já tenho, pelo que também vou passar, mas o V e o resto da Coleção Gráfica não devem falhar.
    Parabéns à Levoir e à G.Floy

    • Quer dizer, morta não está – estão a publicar Jonathan com o Público. Mas estão muito menos activos.

      Extrapolando a partir da minha experiênca de consumo, a Asa apresenta edições com menor qualidade e com relação qualidade / preço menos agradável.A G Floy e a Levoir apresentam melhor preço que as inglesas – então se fores comparar edições capa dura, a G Floy e a Levoir costumam ser mais baratas.

      Por outro lado, as pessoas que conheço que leem BD, mas não são aficcionados, pegam mais facilmente em edições americanizadas do que no estilo franco-belga. Julgo que havia aqui uma faixa de mercado por aproveitar que a Devir não estava a conseguir agarrar por causa dos preços (pelo menos no meu caso, continuava a preferir a edição americana correspondente).

      Só te digo, a minha edição do V For Vendetta é tão fraquita que ainda perco a cabeça – vai depender do preço e da disponibilidade monetaria na altura.

      • Aproveita o V. Ficas com duas edições. Uma em inglês e outra em português. Não sei o espaço que tens em casa nem tenho noção do/a(s) teu/ua(s) filho/a(s), mas servem para eles lerem em ambas as línguas e aprenderem a traduzir. Usei essa técnica com dois livros franceses e (quando os putos estão para aí virados- aturarem os pais), acaba por ter a sua piada ter os dois livros abertos e seguir as duas línguas.

  2. Pingback: Lançamentos diversos – BD | F_C | ...

  3. Pingback: O Diário do Meu Pai – Jiro Taniguchi | Rascunhos

  4. Pingback: Sharaz-De – Sergio Toppi | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s