The Paper Menagerie and other stories – Ken Liu

IMG_8106

Centradas sobretudo em personagens asiáticas que passam por um choque cultural ao integrarem novas sociedades ou ao evoluírem no tempo e integrarem novas formas de pensar, debruçando-se por diversas vezes sobre problemas de adaptação, as histórias em The Paper Menagerie and other stories, destacam-se por apresentar pessoas, com os seus sentimentos e pensamentos, ainda que possam existir detalhes fantásticos ou de ficção científica – detalhes que o próprio autor afirma poderem ser “apenas” metáforas.

Lightspeed Agosto 2012

O conjunto abre com a história mais díspar que não envolve humanos, mas livros. The Bookmaking Habits of Select species discorre sobre os métodos que diferentes espécies alienígenas usam para fazer livros peculiares. Uma série de invenções fabulosas que foi nomeada para o prémio Nebula e que se encontra disponível gratuitamente (tendo sido aqui que a li pela primeira vez).

lighspeed magazine december 2012

The Perfect Match é outro dos contos que se destaca ao se apresentar como uma pequena distopia em que a tecnologia é usada para conhecer detalhadamente os seus usuários. Neste caso as pessoas são levadas a adquirir programas que tomam decisões por eles – quando beber café, quem conhecer; tornando-os não só dependentes da tecnologia mas facilmente manipuláveis por quem se encontre por detrás desta programação. Apesar de ser arrepiante pela semelhança com o que nos rodeia não é, no entanto, inovador.

Por sua vez em Good Hunting somos confrontados com as crenças antigas sobre seres sobrenaturais na China, existindo homens que se dedicavam a caçar estes seres. Com o avançar da civilização mecânica a magia vai desaparecendo do mundo e estes seres vão sendo substituídos por ideais metálicos ao mesmo tempo que as famílias de caçadores procuram novas ocupações.

Em Literomancer a história é centrada numa rapariga que tem por empregada doméstica uma chinesa. Neste caso é ela que sofre os comentários maldosos dos colegas cada vez que abre a marmita onde se encontra comida chinesa. Ainda não transformada numa pequena senhora, gosta de deambular pelo campo acabando por conhecer um velhote que lhe ensina a magia das letras chinesas, com a qual se irá defender.

lightspeed magazine sampler

Simulacrum é outro dos textos que já conhecia (e também disponível gratuitamente) que apresenta uma rapariga para sempre traumatizada com o ter interrompido o pai numa simulação erótica, episódio que a leva a distanciar-se do pai. O pai, por sua vez, para compensar o distanciamento, refugia-se numa simulação da filha em criança, recordado os bons momentos que passaram e criando novos momentos.

Vencedor dos prémios Hugo e Nebula, e finalista do Locus, The Paper Menagerie, o conto que dá título ao conjunto (e que na prática, possibilita a sua publicação) apresenta o distanciamento típico dos adolescentes dos pais, neste caso agravado por constituir, também, um distanciamento racial. A mãe do rapaz é asiática, uma noiva encomendada por um homem americano, que vem de um meio pobre e que cria pequenos brinquedos de papel que o filho adora – até se ver gozado e descriminado pela sua diferença cultural. Evitando falar a língua materna e qualquer elemento cultural chinês, o distanciamento agrava-se ao longo dos anos.

All the flavors, uma das histórias mais longas deste conjunto, apresenta um estilo semelhante a The Grace of Kings, o primeiro livro do autor. A história não tem propriamente elementos fantásticos ou de ficção científica e apresenta um grupo de chineses que, deslocando-se para a América, trabalha arduamente para sobreviver. Uma rapariga curiosa inicia amizade com eles, escutando as suas cantorias e histórias, aprendendo os jogos e experimentando a comida – experiência que é bem vista pelo pai, homem com olho para o negócio que vê nestes homens possíveis clientes, mas rejeitada pela mãe, sempre pronta a destacar as diferenças culturais com uma perspectiva negativa, demasiado apegada à crença cristã.

PANVERSE

Em The Man who ended history: a documentary encontra-se um novo método de visualizar acontecimentos passados, incidindo-se sobretudo num evento horrendo em que prisioneiros de guerra foram torturados e transformados em cobaias para múltiplas e indescritíveis experiências. Estes eventos ocorreram durante os anos 30 e 40, e a forma que se encontrou para lidar com estas atrocidades foi sobretudo o esquecimento, detalhe que o autor realça, incidindo na necessidade de expiar o peso emocional carregado pelas famílias.

Esta colectânea apresenta muitos outros contos, histórias que apresentam o peso da diferença racial, um choque de culturas em que os chineses são vistos como subalternos, muito trabalhadores, mas hierarquicamente inferiores e tratados com condescendência, desprezo ou racismo. Quando o outro é visto como um estranho, afastado e os seus hábitos ridicularizados ou se ignora, ou se força a aceitação, ou se tenta a adaptação (a adopção de outros hábitos, mesmo que apenas em aparência). Todas estas hipóteses vão sendo apresentadas em diferentes contos.

Destacando as injustiças no sistema feudal chinês, na intrínseca necessidade de manter uma postura de humildade nas camadas inferiores que levam a uma série de injustiças praticadas por quem está no poder, transporta estes homens para uma nova sociedade em que as regras deixam de se aplicar – seja porque um acordo válido tem de ser honrado pelas duas partes, seja porque os costumes deixam de ser práticos num mundo rápido, caracterizado pela tecnologia.

O homem adapta-se rapidamente mas o seguir hábitos e costumes sem enquadramento cultural leva a um vazio, a uma ruptura com as gerações anteriores que pode facilitar, numa primeira fase, a integração mas que, num prazo mais longo, pode resultar numa quebra de identidade – perspectiva que só se obtém com alguma maturidade.

Com contos bastante diferentes em tom e estilo, esta colecânea não reúne todas as histórias ao autor, mas apresenta uma qualidade constante em diferentes géneros de um dos autores asiáticos mais proeminentes no panorama editorial anglo-saxónico. É, sem dúvida, um excelente conjunto que se destaca por apresentar uma perspectiva pouco usual e que usa a herança cultural para manter um tom original.

2 pensamentos sobre “The Paper Menagerie and other stories – Ken Liu

  1. Pingback: The Paper Menagerie and other stories – K...

  2. Pingback: Resumo de Leituras – Agosto de 2016 (1) | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s