The compendium of the dead – Zoran Zivkovic

Há cerca de dois anos Zoran Zivkovic esteve em Portugal. Recordo-me de ter referido a recente descoberta da obra de Saramago, de que muito tinha gostado e que o seu livro seguinte teria alguma referência ao autor.  Mas mesmo assim não esperava tamanha alusão à obra portuguesa As Intermitências da Morte no volume que fecha a trilogia Papyrus, em que a personagem principal, o inspector Dejan Lukic, aproveita para recomendar o livro a uma colega e explica a premissa do livro em várias ocasiões.

Thank you for the new recommendation. However, there is something in Death with interruptions that scared me.”

Em The Compedium of the dead desenvolve-se um novo mistério envolvendo livros e, claro, que o inspector é chamado. Ocorrência após ocorrência parece detectar-se um padrão – em vários locais pouco acessíveis e de elevada segurança estão a aparecer livros com páginas em branco e cartas que são destinadas ao inspector. O objectivo por detrás é obscuro, mas o Inspector tem suspeitos, os culpados pelas perturbações que originaram os volumes anteriores da trilogia.

Num novo jogo que deturba o papel tradicional de escritor, personagem e leitor, The Compedium of the dead afasta-se dos locais usuais de outros livros do autor (livrarias e casas de chá) apesar de os referir levemente. Em contrapartida, explora novas cenários com livros e mantem o tema da morte sempre presente.

And there is the book itself. I have never heard of one that has no lettering. Even if this weren’t a book at all, but for example a luxurious diary or notebook, there would be some writing, right?

(Bem, esta personagem nunca ouviu falar da obra Livro em Branco).

Se o surgir dos livros vazios é inexplicável (ou quase impossível) por todos os que conhecem o local, escandalizando os responsáveis, o caso torna-se preocupante quando, para além de surgir livros, começam a desaparecer pessoas.  A primeira desaparece de um elevador fechado, sendo que ambos os andares, onde entrou e onde deveria ter saído, se encontram sob vigilância. Quem poderia ser capaz de tal feito? Decerto só o autor teria tal poder. Ou a Sociedade. Ou…. Várias possibilidades surgem, mas nenhuma parece encaixar perfeitamente no estilo dos actos misteriosos.

Tal como os volumes anteriores da trilogia, The compendium of the dead explora o poder do autor perante as personagens e o cenário, levando os acontecimentos à sua vontade mesmo que, para tal, quebre as regras lógicas do univero ficcional. Os livros de Zoran Zivkovic são lançados em Portugal pela Cavalo de Ferro (os dois primeiros volumes da trilogia já foram publicados).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s