Amatka – Karin Tidbeck

A realidade de Amatka não é constante. Os objectos não são sólidos e imutáveis. Ou pelo menos não como na nossa realidade. Em Amatka a permanência da forma de um objecto depende de uma constante marcação para que estes recordem o que são. Tem de se etiquetar um lápis como um lápis para que não se transforme numa matéria amorfa! E atenção – nada de errar na pronunciação, não vá o lápis transformar-se noutra coisa qualquer.

Em Amatka não são só os objectos que estão sob marcação constante. As pessoas, de forma bastante diferente, estão sob vigilância constante. Mas sem recorrer a câmaras – a vigilância mútua sob um apertado conjunto de regras. Trata-se de uma comunidade em que todos os bens são divididos por todos e as funções de cada um são definidas de acordo com as necessidades da comunidade e as suas qualificações.

Vanja trabalha para uma secção da comunidade que a leva a viajar a outra colónia a fim de perceber se necessitam de novos produtos de higiene pessoal. No destino apercebe-se que existem muitas coisas das quais não se fala, inclusivé o misterioso desaparecimento de vários elementos da comunidade, o que faz com que na casa onde é acolhida possa ter um quarto só para si, algo pouco usual no sítio de onde vem.

Lentamente, as investigações sobre higiene de Vanja levam-na a perceber que a realidade daquela comunidade é mais instável do que o habitual, necessitando de procedimentos adicionais para que as coisas permaneçam o que são. Paralelamente, algumas pessoas vão revelando algum descontentamento, sentimento que é muito perigoso revelar numa comunidade – rapidamente se pode ser denunciado e sujeito a uma operação em que se perde a fala.

Amatka é uma distopia que joga com a materialidade da realidade e da sociedade, mostrando como a responsabilidade pelo grupo se sobrepõe às dos indivíduos, nem que para isso seja necessário castrar a pessoa dos pensamentos e da fala. Aquilo que se percepciona como diferente deve ser calado e ignorado, uma farsa psicológica de alegria que abrange a realidade.

Amatka foi publicado em Portugal pela TOPSELLER.

2 pensamentos sobre “Amatka – Karin Tidbeck

  1. Pingback: Resumo – 2º trimestre de 2018 | Rascunhos

  2. Pingback: Resumo de Leituras – Julho de 2018(5) | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.