Em muito por causa das críticas éticas negativas em torno da morte de embriões humanos para obtenção de células estaminais, desenvolveu-se recentemente uma ténica que permite obter estas células sem implicar a quebra no desenvolvimento embrionário. Mas nem assim as críticas diminuem

A principal autoridade do Vaticano em questões bioéticas critica um novo método de obter células estaminais que não destrói os embriões, considerando-o uma “manipulação” que não responde às preocupações éticas da Igreja Católica.

Argumentando que

“Se o resultado que aguardamos – ou seja, reproduzir apenas células embrionárias – é resultado de uma manipulação de um processo que, de outra forma, resultaria num embrião, a objecção ética mantém-se”, acrescentou.
(…)as promessas das células estaminais não devem ser realizadas à custa da vida humana, mesmo nas suas fases mais embrionárias.

Apesar de eu própria ser um pouco céptica quanto às supostas qualidades infindáveis das células estaminais, não posso deixar de considerar importante o seu estudo mais que não seja por se poderem utilizar células humanas como modelo celular, ao invés de se estudarem leveduras como actualmente. Estas células permitem ainda estudar o desenvolvimento e algumas doenças humanas com possível aplicação em inúmeros tratamentos.

Analisando os argumentos éticos apresentados contra… passam-me várias coisas pela cabeça

  1. Poderá considerar-se vida humana, um aglomerado de células que mesmo implantado tem uma percentagem mínima de sucesso de vir a ser alguma coisa? (tendo em conta que a maioria de embriões fertilizados naturalmente sem intervenção externa terminam o seu desenvolvimento poucos dias depois originando abortos imperceptíveis…)
  2. Poderá sequer considerar-se o potencial de tais embriões no seu valor ético? E isto lembra-me a “terrível” e cómica frase “every sperm is great, every sperm is sacred” … é melhor não adiantar mais nada neste ponto 👿
  3. Que tal Bush e a Igreja Católica preocuparem-se mais com o potencial de vidas efectivamente a decorrer, como nos países sub-desenvolvidos em que morrem aos milhões e ninguém se preocupa? (será só a mim que cheira a hipocrisia esta moralidade toda em torno das células?)
  4.  Se o valor das células é estarem vivas… Bush preocupa-se com isso quando o alvo são os maus dos árabes? ou será que ele não considera que eles estejam vivos?
  5. Caindo no ridículo da questão… se o valor das células é estarem vivas… matar uma mosca (um organismo totalmente desenvolvido) é moralmente incorrecto? (não, não ando por aí a matá-las, não levem a frase à letra sff)