Comprado em resultado da vinda do autor a Portugal, esperava um vulgar e mesmo aborrecido livro de divulgação científica.

Felizmente a expectativa demasiado baixa foi ultrapassada. Numa obra em que todos os dados relacionados com a masculinidade são postos a cru, os homens são dissecados em frases hilariantes – desde os espermatozóides, ao pénis, aos caracteres secundários e ao cérebro.

Os factos são confrontados com as crenças populares, mitos urbanos ou ideias “científicas” comuns na Antiguidade.
Existe ainda uma interessante dissertação sobre a famosa teoria segundo a qual, o cromossoma Y desaparecia dentro de alguns anos, deixando a humanidade como uma multidão de fêmeas disseminadas assexuadamente.

Este é daqueles livros que passou directamente para um dos melhores de divulgação científica, não só pelo conteúdo, mas pela forma como autor soube aproveitar a temática.