Shelves (39)

Robert Silverberg é um dos autores mais prolíferos de ficção científica, sendo conhecido pela série Majipoor, ou por livros como Sailing to Byzantium, Enter a Soldier. Later: Enter Another, ou Nightwings. The Longest Way Home decorre num planeta distante da Terra, onde os seres humanos terão colonizado o planeta em duas vagas distintas, sendo que a segunda domina a primeira.

Apesar da má experiência com Heroes and Villains, de Angela Carter resolvei adquirir The Infernal Desire Machines of Doctor Hoffman, após várias críticas positivas.

Set in an unspecified Latin American country, the novel features Desiderio, a government minister in the main city, currently under attack by Doctor Hoffman’s reality distorting machines. Desiderio embarks on a journey to find Hoffman’s former physics teacher, eventually bringing him to Hoffman’s castle.

The End of Mr. Y de Scarlett Thomas conheceu já duas edições em língua portuguesa. De premissa estranha, parece-me um livro fantástico juvenil em torno de um livro amaldiçoado:

A cursed book. A missing professor. Some nefarious men in gray suits. And a dreamworld called the Troposphere? Ariel Manto has a fascination with nineteenth-century scientists—especially Thomas Lumas and The End of Mr. Y, a book no one alive has read. When she mysteriously uncovers a copy at a used bookstore, Ariel is launched into an adventure of science and faith, consciousness and death, space and time, and everything in between. Seeking answers, Ariel follows in Mr. Y’s footsteps: She swallows a tincture, stares into a black dot, and is transported into the Troposphere—a wonderland where she can travel through time and space using the thoughts of others. There she begins to understand all the mysteries surrounding the book, herself, and the universe. Or is it all just a hallucination? With The End of Mr. Y, Scarlett Thomas brings us another fast-paced mix of popular culture, love, mystery, and irresistible philosophical adventure.

Rosny aîné é o pseudónimo utilizado por Joseph Henri Honoré Boex, um dos escritores mais importantes da ficção científica francesa. As suas histórias do final do século XIX contém extraterrestres, espécies mutantes e vampiros com origem numa mutação genética. Algumas decorrem num tempo futuro, pós-apocalíptico. Para além de ficção científica, Rosny âiné escreveu alguma ficção pré-histórica, como Vamiré e A Guerra do Fogo, os dois únicos livros do autor que encontrei traduzidos para português.

Red Spikes é o título de um livro de contos da autoria de Margo Lanagan, o mesmo que escreveu Tender Morsels, um dos melhores livros de fantástico do ano 2009. Aproveitando-se dos elementos fantásticos para explorar e expor sentimentos, Red Spikes revelou-se, para mim, um fiasco. Como comentei num post isolado, a fórmula que funcionou em Tender Morsels por nos envolvermos com as personagens ao longo das páginas do livro, alienou-me completamente.

Segue-se O Grande Retrato de Dino Buzzati. Dino Buzzati tornou-se um dos meus autores favoritos com O Segredo do Bosque Velho, tendo também adorado O Deserto dos Tártaros, se bem que de forma totalmente diferente.

Se O Segredo do Bosque Velho consegue ser bastante distinto de O Deserto dos Tártaros, O Grande retrato torna-se bastante diferente de ambos pela forma como explora a premissa.

O Castelo dos Destinos Cruzados foi a minha última aquisição de outro autor de cujas obras gosto bastante – Italo Calvino:  em O Barão Trepador tinha-nos contado a história de um rapaz  que sobe às árvores para nunca mais retornar e em As Cidade Invisíveis imagina ou transfigura cidades.

A forma como O Castelo dos Destino Cruzados surgiu faz-me pensar que também este livro se destacará dos restantes:

Apliquei-me sobretudo a observar as cartas de tarot com atenção, com olhos de quem não sabe o que sejam, e a extrair delas sugestões e associações, a interpretá-las de acordo com uma iconologia imaginária. Quando as cartas alinhadas ao acaso me davam uma história em que eu reconhecia um sentido, punha-me a escrevê-la…

Eternidade é o nome do primeiro volume de uma série fantástica de Alyson Noel: Os Imortais. Centrando-se numa jovem de 16 cuja família terá sido vítima de um acidente, apresenta-nos seres de um mundo encantado onde ninguém morre:

Ever sees Damen and feels an instant recognition. He is gorgeous, exotic and wealthy, and he holds many secrets. Damen is able to make things appear and disappear, he always seems to know what she’s thinking – and he’s the only one who can silence the noise and the random energy in her head. She doesn’t know who he really is – or what he is. Damen equal parts light and darkness, and he belongs to an enchanted new world where no one ever dies.

Quase no final, Se Acordar Antes de Morrer, o livro de João Barreiros que reúne várias das suas melhores histórias. Um livro indispensável para quem aprecie ficção científica pura e dura, rodeada por um ambiente negro de sarcasmo e ironia.

Esqueçam os finais felizes e preparam-se para ser chocados com sátiras violentas a que poucos sobrevivem, enterrem as personagens da vossa infância, o Noddy e o Pai Natal.

Por último, impressionante pelo seu grafismo acizentado, Animal’Z. Num mundo devastado ecologicamente, a água torna-se um tesouro, e a única forma de sobrevivência é a luta individual longe dos núcleos urbanos.

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.