Pela Elsinore é lançado um volume que pega na história de Frankeinstein e a transforma numa história moderna:

Lago de Genebra, verão de 1816: Mary Wollstonecraft Shelley, de 19 anos, termina o rascunho do seu primeiro romance, um livro sobre um cientista atormentado, de nome Frankenstein, que consegue criar uma nova criatura: um monstro que se rebela e procura vingar-se do seu próprio criador.

Reino Unido, pós-Brexit: Ry Shelley, um jovem médico transgénero, apaixona-se por Victor Stein, investigador proeminente na área da Inteligência Artificial, acabando por assisti-lo nas experiências secretas que este conduz numa vasta rede de túneis subterrâneos.

Porém, o impacto das declarações públicas de Stein, assim como a forte suspeita de que as suas ideias podem estar em vias de revolucionar o mundo, despertam o interesse de um curioso grupo de personagens: Ron Lord, empresário recém-divorciado que pretende, a todo o custo, criar uma nova gama de sex dolls, Polly D, uma jornalista determinada em encontrar o seu «furo», e Claire, uma cristã evangélica que vê no trabalho de Stein muito potencial religioso.

Provocador, divertido e profundamente atual, Frankissstein parte do clássico universal de Mary Shelley para nos confrontar com os limites da ciência, dos desejos e, em última instância, daquilo que nos torna humanos.