Coleccionador de olhos é um típico filme Gore. Esperem por ver arrancar olhos em primeiro plano, machadadas dispersas e cabeças a bater com tanta força que até ao espectador doi.

Mais típico é difícil – um deficiente mental em ponto grande, armado com um machado ou um gancho que mata quem lhe aparece à frente. A inteligência é pouca, mas a força é brutal.
Numa casa semi-abandonada ouvem-se horrendos gritos durante a noite – gritos de mulher. Por esta razão, dois polícias acorrem ao local. Um morre, o outro perde o braço, não sem antes disparar sobre a cabeça do gigante que consegue fugir.

Anos depois, 8 presos têm a oportunidade de diminuir a pena ajudando a limpar um velho hotel em ruínas. Nesse local o polícia que os acompanha volta a encontrar o terror dos seus sonhos.

Com cenas escabrosas que roçam muitas vezes o cómico, o filme consegue mesmo assim ser dos melhores do género – não é suposto apresentar grandes frases ou fingir profundidade intelectual. Tem uma grande parte expectável, mas mesmo assim consegue surpreender nalgumas tiradas. Para mim – cómico.