brave new worlds

Geoff Ryman tem nesta colectânea uma das participações mais memoráveis do conjunto – O Happy Day. Mas também uma das mais banais com este Dead Space for the Unexpected. Neste conto a distopia é totalmente empresarial, onde nos é apresentado o procedimento institucional de um despedimento, de forma fria, agressiva e calculista.

Na empresa apresentada não existe espaço para falhas, nem para diminuição de produtividade – todo o tempo é ocupado e calculado ao segundo, e os desvios são nódoas no currículo. A par de toda esta gestão, é necessário conseguir interagir com outros chefes que, como num tanque de tubarões, se rodeiam de estratégias para fazer cair em ruína os seus pares.