Comédia em modo menor – Hans Keilson

IMG_8556

Como judeu que abandonou Berlim durante a Segunda Guerra Mundial, Hans Keilson criou em Comédia em modo menor, uma arrepiante sátira em torno da situação vivida pelos judeus que se refugiaram em casa de locais por não poderem atravessar a fronteira incólumes.

Neste caso a história centra-se num casal que, sem filhos, abriga um judeu num quarto extra, mantendo-o isolado e incontactável. O dia-a-dia do casal é alterado para acomodar o novo hóspede que definha lentamente, tanto pela falta de exercício como de contacto social.

A componente trágico-cómica aparece quando o judeu morre, deixando o casal a braços com um cadáver de difícil tratamento. Como se irão ver livre do corpo sem levantar suspeitas do seu envolvimento?

Menos rocambolesco do que faz acreditar a sinopse, esta pequena história irónica transforma o casal de bons samaritanos em foragidos por receio de serem descobertos dando guarida a um judeu. Pelo meio desenvolvem-se as tensões criadas pela presença de um estranho em casa, um homem que pretendem ajudar, mas sobre o qual desconhecem antecedentes ou feitio.

Apesar de serem bastante exploradas, não são só as tensões que são alvo de escrutínio, mas também os motivos por detrás das boas acções. Terão estas como alvo o outro, ou a impressão que cada um tem de si próprio? Até onde são as boas acções actos de altruismo?

De contexto trágico (evidentemente) a história consegue ser menos pesada do que deveria ao se centrar sobretudo na dificuldade de relacionamento entre as três personagens principais. O judeu submete-se ao novo quotidiano caracterizado pelo medo constante da descoberta, e o casal, também receoso, adapta-se, esperando, do hóspede uma maior abertura do que este, habituado a fugir, está preparado para oferecer.

Sem ter achado excepcional é uma curta perspectiva interessante das acções locais em resposta aos actos de extermínio, de ambiente relativamente leve para a temática, que põe a crú alguns pensamentos menos nobres que ocupam as mentes humanas nos momentos de maior tensão.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s