A Antologia Ficção Especulativa Queer abre com uma história num colégio interno para raparigas. Neste colégio impera a disciplina, mas uma nova aluna puxa consistentemente uma outra para o mau caminho! A boa aluna envolve-se com o mistério que se lhe apresenta – um relacionamento carregado de novidade! Já as feiras parecem não gostar muito do relacionamento e informam a família do mau comportamento levando a um castigo singular.

Paralelamente, decorrem curtos episódios em torno de uma jovem que espera um destino tenebroso, o mesmo que terá levado todos os seus familiares. A relação com a história principal e o que a espera, iremos saber apenas no final – e é aqui que se revela, abruptamente, como um conto de ficção científica. Esta reviravolta, demasiado rápida, é o ponto mais fraco do conto.

Em termos narrativos é uma história de bom ritmo que consegue levar-nos a querer saber mais sobre os motivos para as interacções que nela decorrem. Ainda assim, em termos de premissa, a justificação para toda a história poderia ter sido um pouco melhor trabalhada, dando mais foco aos curtos episódios que intercalam a história principal. É, no entanto, uma história de escrita competente que abre bem esta Antologia.