Maria e Salazar – Robin Walter

Durante o Estado Novo foram milhares os portugueses que se viram obrigados a emigrar, em busca de melhores remunerações e condições de vida. Uns procuraram as grandes cidades, outros o Ultramar, outros ainda atravessaram a fronteira e deslocaram-se até França, apesar de desconhecerem o idioma e de terem nesse país poucos ou nenhuns conhecidos.

Maria trabalha para uma família francesa há largas décadas. Acompanhou o crescimento das gerações mais novas e a decadência dos mais velhos, e quase já faz parte da casa. De tal forma se habituaram à sua presença que é quando colocam a casa de família à venda a casa que se recordam da origem de Maria, levando um dos membros da família, o autor, a escrever a história da empregada portuguesa.

Mas para poder escrever sobre Maria, o autor tem, também, de investigar as condições em que esta deixou Portugal, os motivos que a terão levado a emigrar, bem como as condições em que viajou e que encontrou no novo país. O autor acaba por não se centrar apenas em Maria e explora um pouco mais sobre e migração portuguesa e o contexto histórico em que esta ocorreu.

Normalmente as famílias portuguesas não emigravam  de uma só vez. Os homens iam primeiro para procurar emprego, casa e estabilidade financeira. Só então viajava a restante família. A ideia era, sempre, retornar um dia a Portugal e muitos guardam dinheiro com este sonho em mente – constroem uma casa na terra e colocam as poupanças em contas portugueas. Mas os anos passam e adaptam-se à nova cultura e idioma, regressando a Portugal apenas por uns dias por ano.

O tempo passa e começam a aperceber-se que as probabilidades de voltar são baixas. Os filhos já são mais franceses do que portugueses e, os netos, então, vêm a portugalidade como algo distante e, até, exótico. Os emigrantes começam a sentir-se divididos entre retornar à terra que já não reconhecem como a sua infância, e permanecer em França, perto dos filhos e netos.

Robin Walter explora todos estes aspectos (comparando, até os novos imigrantes franceses com os anteriores portugueses), bem como a vida durante o Estado Novo – uma vida dura e pouco rentável a que muitos tentam fugir. Oficialmente, a postura do Estado português era dúbia. Se, por um lado, quem fazia passar os emigrantes pela fronteira era visto como um inimigo da nação (sendo estes alvo de alguma propaganda negativa), por outro, a emigração gerava fluxos monetários interessantes com o depósito das poupanças.

Fornecendo uma perspectiva algo diferente do usual, Maria e Salazar debruça-se, sobretudo, nas dificuldades de quem abandona o país e tem de gerar rendimentos para sustentar uma família. Não faltam as tiradas à figura típica da mulher portuguesa, nem a melancolia do emigrante que deixa de ter terra para a qual voltar.

Não falta, também, o contexto em que os portugueses deixaram Portugal (fugindo de um país pobre onde faltam as oportunidades de progressão económica) nem a perspectiva mais pessoal de quem teve uma empregada portuguesa e se apercebeu de uma cultura diferente. O autor intercala estes aspectos com elementos históricos mostrando, também, os bairros em que os portugueses viviam, em França.

Não esperem, em Maria e Salazar, uma história comovente. Ou muito pessoal. É sobretudo um retrato interessante dos emigrantes portugueses, bem contextualizado, que espelha uma realidade que se repete ao longo dos séculos com outros povos. Maria serve como motivo para tratar do tema e a partir dela o autor investiga e desenvolve vários elementos associados à migração dando o exemplo português.

Maria e Salazar foi publicado em Portugal pela Polvo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.