Sorcerer to the Crown – Zen Cho

Sorcerer to the crown consegue a proeza de ser um livro, simultaneamente, surpreendente e cliché, misturando elementos de variedade racial com detalhes tradicionais relativos à perspectiva feminina na fantasia – se por um lado o cenário da história é semelhante ao de Inglaterra e as personagens principais não são ocidentais, por outro, a protagonista feminina tem como principal objectivo de vida, casar bem, com alguém que possa sustentar um determinado nível de vida.

A história alterna entre Zacharias e Prunella. O primeiro é um afro descendente que foi retirado da escravidão por um benfeitor inglês, dada a sua potencialidade mágica. Os sentimentos que mantém em relação a este benfeitor serão, sempre dúbios. Se, por um lado, recebeu educação, dinheiro e herda a posição do importante mágico inglês, por outro sente mágoa por ter sido separado muito cedo dos pais, mesmo sabendo que, como escravo, tal poderia ocorrer a qualquer momento.

Enquanto mágico de pele negra (algo nunca visto na sociedade inglesa) sofre forte preconceito, sendo-lhe difícil a integração social, mesmo mantendo uma importante posição – a de Feiticeiro Real. Após o desaparecimento do seu benfeitor (cujo segredo apenas ele  conhece) herda este papel e torna-se um alvo preferencial das famílias mágicas mais importantes de Inglaterra.

Paralelamente, Prunella é a filha órfã de um senhor inglês que tem, nitidamente, mistura não ocidental. Após a morte do pai é cuidada por uma senhora que vê na riqueza herdade uma oportunidade e funda uma escola para meninas de bem que possuem dotes mágicos. O objectivo desta escola não é ensinar as meninas a controlarem os seus poderes, mas ensiná-las a abdicar deles. Prunella cresceu nesta escola como aluna, mas com o passar dos anos começa a assumir alguns dos papéis de gestão e controlo das restantes alunas.

Para além dos problemas pessoais de cada personagem, Inglaterra enfrenta um duro período mágico – a magia no reino declina rapidamente o que leva Zacharias a viajar até ao reino das fadas em busca de um motivo, algo que encontrará, mas que não será de fácil resolução. Mas Zacharias tem outro objectivo oculto – fazer, numa primeira, com que as mulheres sejam treinadas na magia, ao invés de ostracizadas, e, numa segunda, com que o ensino da magia englobe as camadas mais pobres da população.

Prunella, por sua vez, é uma feiticeira poderosa, uma jovem com elevados poderes aos quais não dá uma grande importância e que tem, como objectivo de vida, deixar a escola e procurar, na sociedade inglesa, algum bom partido que lhe permita ter um bom nível de vida. A descoberta de uma grande herança de objectos mágicos por parte do pai leva-a a usar estes objectos como forma de atingir um bom casamento.

Com uma abordagem agradável às capacidades mágicas num mundo semelhante ao nosso no século XVIII, Sorcerer to the crown tem bons episódios de astúcia e lutas entre mágicos. Consegue tocar, de forma eficiente, no tema da descriminação racial, mas possui alguns defeitos na caracterização de personagens e na forma como aborda a componente feminina, criando condições para que sejam consideradas de igual para igual na sociedade, mas dando às mulheres uma perspectiva limitada face à magia.

Sorcerer to the Crown consegue ser envolvente e de leitura rápida, constituindo o primeiro de uma trilogia que pode ser lido de forma independente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.