Este é o primeiro volume de uma das apostas da G Floy para 2019 – uma nova série de Jessica Jones que começa por nos apresentar a sua saída da cadeia. A razão da prisão desconhecemos, mas percebemos que caiu em desgraça entre os restantes heróis, restando-lhe apenas o seu trabalho enquanto detective privada. Simultaneamente, esconde a filha do pai, Luke – facto que provoca demonstrações violentas por parte deste super-herói e que leva amigos em comum a interferirem nos acontecimentos.

Jessica é, nitidamente uma figura em desgraça – mas fazendo parte dos super heróis, é procurada pelos comuns mortais quando os casos para os quais precisam de soluções especiais ou explicações pouco naturais. É o caso da sua nova cliente, cujo marido diz ser de outra realidade, uma realidade extinta onde a esposa era outra pessoa.

Paralelamente, alguém está a atacar os super heróis mais famosos e tenta incluir Jessica nessa trama, acreditando que a detective se mantém afastada dos restantes super mas que poderá proporcionar oportunidades de vulnerabilidade.

Contando com várias histórias em simultâneo que decorrem em torno da mesma personagem principal, este volume mostra uma personagem complexa que, fazendo o que é correcto, passa por vilã perante várias entidades e assume as fortes consequências de tal perspectiva.

Jessica é uma heroína peculiar – uma heroína que se afasta da luz da ribalta, uma sombra de grande importância que usa sobretudo o poder de dedução, aliado aos conhecimentos peculiares de ser uma heroína (sejam dados sobre os restantes super heróis, sejam elementos sobre as grandes batalhas ou eventos que decorrem em torno da humanidade sem que esta se aperceba.

A aura em torno de Jessica Jones é sombria. Com poucas batalhas épicas, usando sobretudo o raciocínio, Jessica Jones é uma personagem incompreendida pelas restantes que consegue afastar os que se encontram mais próximas. A combinação destes vários factores torna a história uma leitura inteligente e adulta, com algumas leituras mais subtis e uma personagem com profundidade intelectual e dimensão em termos de personalidade.

Jessica Jones foi publicado em Portugal pela G Floy.