197 – A História do Contador Eléctrico – Fred – Repentinamente, as pessoas deixam de ver televisão. No estúdio, instala-se o pânico. As audiências estão em queda sem motivo aparente… Mas afinal é a Lua que passou a contar belíssimas histórias que levam todos a preferir ouvi-las a ver os acéfalos programas televisivos;

198 – Little Bird – Vol. 1 – Van Poelgeest, Bertram e Hollindgsworth – Entre a fantasia e ficção científica, apresenta-se uma distopia religiosa, contra a qual alguns, poucos, se insurgem. Alguns foram alterados geneticamente, outros estão destinados a papéis importantes – mas nem tudo corre conforme previsto. A história tem elementos nublados e figurativos, resultando numa narrativa com alguns saltos. Visualmente, o desenho acompanha a estranheza narrativa. O resultado tem um efeito dúbio, fascinando pela estranheza, mas afastando-me pelas componentes de percepção pouco linear;

199 – Un tal Daneri – Trillo e Breccia – Uma série de pequenos episódios que reflectem o pior lado da humanidade em torno de uma personagem, Daneri, que parece estar sempre no centro de todas as desgraças. Daneri é um detective duro e de moralidade inabalável, que se vê, sucessivamente nos episódios mais estranhos;

200 – Fraternity – Canales e Munuera – Durante a Guerra da Secessão um grupo de pessoas funda uma fraternidade, fora da lei dos Estados Unidos. Aqui instala-se um género de comunismo, uma comunidade em que todos são iguais e todos recebem uma parcela do que é produzido. Mas, claro, que surgem uns com ideias subversivas, achando que uns são mais iguais do que outros. Durante esta narrativa demonstra-se que a representatividade nos orgãos administrativos não é a devida. Para além deste contexto, existem alguns fenómenos fantásticos ligeiros que permeiam a narrativa de outro nível de interesse.