The House of Discarded Dreams – Ekaterina Sedia

Se existe algo característico nas obras de Ekaterina Sedia, será decerto a melancolia que envolve as histórias, algo que as torna por vezes um pouco sombrias. Em The History of Moscow conhecemos uma cidade fantástica e subterrânea, bastante semelhante à Londres apresentada em Neverwhere de Neil Gaiman, onde várias pessoas começam a desaparecer. The Alchemy of Stone enquadra-se no género Steampunk e centra-se numa rapariga de metal, um autómato que apesar de ser livre em pensamento, nunca o poderá ser em corpo pois não possui a chave do seu próprio coração. The House of Discarded Dreams será, dos três, o mais original, sombrio, doloroso, sentimental e simultaneamente, decepcionante.

Vimbai é uma jovem estudante americana, de ascendência africana, que espera fugir da carga de tradições ancestrais ao mudar para um quarto alugada numa casa nas dunas. A casa é, na realidade, uma frágil cabana onde vivem mais duas pessoas. Pouco tempo depois da mudança, Vimbai começa a aperceber-se de estranhas presenças, algumas próximas e inofensivas, outras distantes mas ameaçadoras. Depois de descobrir um fantasma bebé na linha telefónica, descobre que o estranho cabelo do rapaz que partilha a mesma casa, é um pequeno universo onde ele guarda outros fantasmas e seres estranhos.

A avó de Vimbai retorna sob a forma de fantasma para a proteger e lhe ensinar as tradições do seu povo. Mas para além dos três habitantes humanos, a avó é apenas mais um ser estranho. Existem caranguejos que deambulam entre a vida e a morte, uma cabeça fantasma que se movimenta sobre uma perna fantasma, um bebé fantasma, um peixe que engole almas e seres sem boca que sugam tudo o que encontram. Todos estes seres coexistem na casa que se transforma no cenário dos sonhos dos seus habitantes.

Ao fugir da mãe e dos seus estudos africanos, Vimbai acaba por retornar às origens de uma outra forma, através da avó e da reflexão que os acontecimentos lhe permitem. Esta reflexão não termina na descoberta dos antepassados e Vimbai acaba por explorar a sua própria personalidade e dissecar o relacionamento dos pais, numa viagem que é mais introspectiva que fantástica.

The House of Discarded Dreams possui uma excelente combinação de  aspectos fantásticos: um cabelo que se revela um pequeno universo, uma casa que atinge dimensões extraordinárias e se transforma em vários cenários, seres sobrenaturais estranhos com capacidades originais. A meu ver estes aspectos foram subaproveitados numa história com poucos momentos de acção mas demasiada e repetitiva introspecção de uma personagem que não desperta grande interesse.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.