Lightspeed Magazine Sampler (parte 1)

lightspeed magazine sampler

Para além do volume totalmente gratuito que pode ser encontrado nas diversas plataformas de venda de ebooks, a Lightspeed Magazine disponibilizou gratuitamente um volume de amostra, onde pode ser percepcionado o conteúdo dos restantes volumes. Carregado de entrevistas e questões a escritores, possui também imagens de dois artistas e histórias de 10 autores tão diferentes como Ken Liu, Nancy Kress ou Megan Arkenberg. Ao contrário do anterior volume que tive oportunidade de ler, este abre de forma menos acolhedora, apresentando em primeiro lugar os contos que achei mais fracos do conjunto.

The Old Equations de Jake Kerr acompanha uma expedição espacial numa realidade onde as teorias da relatividade de Einstein nunca chegaram a ser conhecidas. Assim, no ano de 2193, é com grande espanto que astronautas e cientistas se apercebem que esta missão de longo curso irá demorar mais tempo do que o previsto pois a nave não poderá ultrapassar a velocidadade da luz. Segue-se a angústia dos astronautas e familiares quando se apercebem que não se irão ver 10 anos depois. A história é contada através das mensagens trocadas com a nave, não se tornando, a meu ver, nem envolvente nem emocionante. Estabelecida a premissa a história continua sem que tenha algum desenvolvimento que não seja a exploração emocional da situação.

Em Snapshots I brought back from the black hole de K. C. Ball também acompanhamos uma expedição que não decorreu como previsto, mas do ponto de vista da inteligência artificial, responsável por monitorizar os elementos e por fornecer as estatísticas necessárias para a tomada de decisão. Para além dos elementos treinados, existe uma rica celebridade, um grande americano que consome mais recursos que qualquer um e que desastabiliza um ambiente onde as regras deveriam ser rígidas. Mais centrada no trio amoroso que existe a bordo da nave, a história desenvolve-se de forma previsível e apesar de nos relatar um episódio de grande tensão, falha em envolver o leitor no momento.

Ken Liu sobe o nível das histórias com Simulacrum. Nesta apresenta uma rapariga para sempre traumatizada com o ter interrompido o pai numa simulação erótica. Após este episódio distancia-se do pai. De forma a compensar este distanciamento, o pai refugia-se numa simulação da filha em criança, recordando os bons momentos que passaram e recriando novos momentos com a criança que nunca existiu. Explorando questões sentimentais e éticas, não se transforma num dos meus contos favoritos, apesar de ser uma história interessante.

4 pensamentos sobre “Lightspeed Magazine Sampler (parte 1)

  1. Pingback: Resumo de leituras – Janeiro de 2015 (4) | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s