The Dark – Issue 12 – May 2016

The Dark 12

 

Desde o primeiro número que sigo este projecto com interesse – o ser gratuito é um bónus para uma revista organizada por Sean Wallace, editor conhecido de outras revistas como Clarckesworld ou The Fantasy Magazine, ou da editora Prime Books que conta com autores como Theodora Goss ou Ekaterina Sedia no seu catálogo.

Depois de ter estado algum tempo sem ler nada no formato digital, a recepção do número 12 despertou especial atenção pela presença de Angela Slatter, uma autora bastante conhecida no meio literário pelas suas histórias de fantasia negras, com as quais já ganhou alguns prémios. Da autora existem, até, antologias publicadas pela Tartarus Press.

Reunindo dois novos contos com nova publicação de dois contos não originais, The Dark parece ter ganho um tom próprio e mais definido neste número. As histórias que se apresentam aqui são, como seria de esperar, de fantasia negra podendo até ser classificadas como horror. Ao contrário das primeiras edições em que sentia uma grande disparidade entre os contos originais e os contos re-editados, este número parece apresentar uma maior coesão na qualidade.

O primeiro conto é The Haferbrautigam de Steve Berman, um conto arrepiante que toca num tema sensível, a pedofilia, e segue um homem que, regressando à terra natal, não perde tempo em encontrar nova vítima. Tal é a sua ânsia em envolver o rapaz que nem se apercebe dos sinais que o rodeiam – é que o homem parece ser o único a vê-lo e acaba por entrar num perigoso jogo.

Em The Body Finder de Kaaron Warren um homem procura o corpo da filha assassinada. Tendo morto o homem que a matou resta-lhe agora procurar pelos locais mais inóspitos. Pelo caminho encontra outros e acaba por se deparar com os sítios onde vários assassinos deixam cadáveres.

Caroline at dusk de Kali Wallace, foi o conto que menos gostei do conjunto, uma história que recorda as mazelas que a violência na infância deixou numa mulher que consequentemente estabeleceu com a irmã uma peculiar relação. De narração circular e passado num espaço bastante limitado, foge bastante do cliché esperado. No final, ao tentar sair do ciclo força um término descabido.

the girl with no hands

O quarto e último conto é The Jacaranda Wife de Angela Slatter, uma história fantástica com paralelismo a várias histórias tradicionais onde um homem, procurando esposa, encontra debaixo de uma Jacaranda uma mulher perfeita e bela. Apesar de toda a formosura física mostra-se apática perante as atenções do homem e é incapaz de falar.

Um pensamento sobre “The Dark – Issue 12 – May 2016

  1. Pingback: Resumo de Leituras – Maio de 2016 (3) | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s