Novidade: Torpedo Vol.1

Esta quinta-feira, dia 01 de Fevereiro, é lançado o primeiro volume de Torpedo 1936! A série será lançada pela Levoir em parceria com o jornal Público na integra e fecha com Torpedo 1972, a obra lançada em 2017, ilustrada e colorida por Eduardo Risso. Deixo-vos a sinopse disponibilizada pela editora, bem como algumas páginas do primeiro volume:

Lucas Torelli, mais conhecido como Torpedo, é um siciliano emigrado na América dos anos 30 à procura do sonho americano.  Homem amargo, duro, de coração seco, sórdido, amoral e rancoroso, para quem a vida humana não tem qualquer valor é um dos personagens mais truculentos da banda desenhada contemporânea.

Torpedo 1936 foi criado em 1981 por Ernesto Sánchez Abulí nas páginas da revista Creepy. Inicialmente foi convidado para  desenhar esta obra de um humor imensamente negro e cheia de trocadilhos o mestre americano Alex Toth, que deu também a sugestão do título: Torpedo era o nome dado na América dos anos 30 aos pistoleiros a soldo. Um título que, como reconhece Bernet, “se revela uma imagem perfeita para definir aqueles tipos que, uma vez que recebem o dinheiro e a incumbência de matar alguém, põem-se em marcha e não param até atingir o alvo. Exatamente como um torpedo!”

Em 1981, Toth abandonaria a série ao fim de apenas dois episódios, incomodado com o sexo, violência e amoralidade dos argumentos de Sánchez Abulí.

Quem o sucedeu foi o reconhecido ilustrador catalão Jordi Bernet que ao dar protagonismo a um mafioso cínico e sem escrúpulos, cuja figura se vai humanizando muito lentamente, à medida que vamos conhecendo o seu passado, fez de Torpedo 1936, uma das mais populares séries europeias do final do século XX. Em 1985  ganhou o Prémio Alph-Art para o  Melhor Álbum Estrangeiro de Angoulême.

Durante vários anos Torpedo  esteve suspenso devido a querelas entre Abulí e Bernet, mas face ao sucesso das sucessivas edições integrais que mantiveram bem viva a chama de Torpedo, Luca Torelli regressa à BD em 2017. Torpedo 1972, o último volume desta colecção, foi entregue ao argentino Eduardo Risso, desenhador bem conhecido dos leitores portugueses graças a Batman Noir, Parque Chas, ou Batman: Uma História Verdadeira, já anteriormente editados pela Levoir. Risso apresenta-nos um Torpedo a cores, envelhecido, mas que continua refinado na sua maldade mantendo as virtudes que o tornaram grande no mundo do crime. Risso passa com distinção na dura prova de substituição a Jordi Bernet.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s