Este romance histórico pretende retratar a vida de Giordano Bruno – um filósofo, matemático, astrólogo e astrónomo italiano que ficou conhecido pelas suas técnicas de mnemónica que possibilitavam captar maior quantidade de informação; e por considerar a possibilidade de vida extrerrestre e de outros mundos para além do nosso sistema planetário.

A sua carreira terminou na fogueira, como era usual com as mentes brilhantes do seu tempo, mas antes Giordano Bruno viveu em vários países para fugir à perseguição da inquisição e ao ostracismo.  

Uma personagem histórica interessante que poderia ter originado um romance histórico sublime. Não é o caso.
A autora consegue impregnar todas as acções do livro com uma aborrecida monotomia, resultando numa biografia descritiva com episódios pessoais mal encaixados.
A informação sobre as personagens e a época realmente transborda do livro, mas quando não ajuda no desenrolar da história torna-se um mero obstáculo.

Enfim, uma desilusão, que faz parte da curta lista de livros não terminados.