war stories

War Stories começa da mesma forma que a Lightspeed Magazine que acabei de ler: uma história de Joe Haldeman, seguida de uma história de Ken Liu. A primeira, Graves, diria que é mais uma história de horror do que propriamente de guerra. E não estamos a falar do horror da guerra.

Nesta história acompanhamos um jovem que, pela falta de mestria no manejo das armas, foi destacado para receber os corpos (inteiros ou desmembrados), reorganizar as partes e colocar em caixões próprios os restos dos soldados caídos em guerra. Um trabalho que pode parecer horrível mas que ao menos costuma proteger das balas dos adversários.

Por ordens do superior hierárquico dirige-se, com alguns colegas, a uma zona de conflito recente, para pegar um corpo, mas, quando lá chegam, encontram restos ressequidos, uma espécie de múmia arrepiantes que não têm tempo de analisar, pois começam a ser alvo de tiros. No final do pequeno conflito, o cadáver ressequido tinha ressequido.

Apesar de escrita com mestria não é uma história particularmente envolvente: um início dúbio para esta antologia de Guerra.