war stories

In the Loop, de Ken Liu, é um conto arrepiante. Não por conter momentos de terror ou de horror imediato, com sangue espalhado por todo o lado; mas por iniciar com um retrato bem real e actual: o de militares que vêem acumular os fantasmas pelos quais são responsáveis, e, devagarinho, começam a destruir a sua própria vida e a daqueles que os rodeiam.

É o que acontece com o pai de Kyra que se vai transformando num monstro, como ela própria o descreve, um homem amargurado que, desesperado, acaba por descarregar na família as suas frustrações. Quando se apercebe do papel destruidor que está a desempenhar, suicida-se, deixando a pequena Kyra confusa.

O pai não era, afinal um militar qualquer, antes um condutor de Drones, que, de acordo com as ordens que recebia matou centenas de vidas e que, apesar do afastamento físico de um campo de batalha sangreto, sente a responsabilidade por todas vidas terminadas num contexto quotidiano aparentemente normal.

Terminado o curso Kyra escolhe uma empresa envolvida em projectos militares, mais concretamente num projecto que visa a criação de Drones inteligentes, drones que não precisam que alguém os comande e prima o gatilho, máquinas que poderão tomar decisões, tendo por base algoritmos criados por Kyra. Não haveria, assim, a necessidade de alguém sofrer psicologicamente com as missões.

Um pequeno conto tocante de envolvência fatalista que explora o sentimento de culpa dos soldados, mesmo quando estão envolvidas tecnologias que supostamente têm como objectivo diminuir a envolvência directa dos seres humanos na carnificina. Em paralelo explora a progressão dessas mesmas tecnologias, num cenário utópico que traz, também, as suas consequências.