The Sleeper and the Spindle – Neil Gaiman

IMG_2583

E num fôlego Neil Gaiman transforma dois conhecidos contos (Branca de Neve e Bela Adormecida) numa história em que os finais tradicionalmente felizes são contornados. A história começa com o adormecer dos camponeses e respectivos animais, um adormecer que parece alastrar de um único ponto, desconhecido e remoto.

Alertados, os anões comunicam as descobertas a Branca de Neve, na véspera do casamento real. O que encontramos não é uma princesa desiludida por ser interrompida nas preparações, mas uma aventureira que parece mais que aliviada em deixar o tradicional final feliz, em trocar o vestido de noiva pelas vestes de viajante.

Assim partem em busca da origem do sono, apercebendo-se que os adormecidos ainda se movem, lentamente, tentando encurralá-los – mas tanto Branca de Neve como os anões se encontram imunes ao feitiço. Finalmente deparam-se com um castelo coberto de espinhos, onde jaz adormecida uma bela jovem, e uma velha deambula, livre e acordada.

IMG_2606

Mas também aqui o que se espera não se traduz no desenrolar tradicional do conto: a expectativa que criamos por conta dos detalhes conhecidos de outras histórias falha quando o final de desenrola de forma inesperada, e as personagens adquirem maior dimensão do que as simples histórias de duas princesas em apuros.

O livro tem cerca de 70 páginas mas a história ocupa apenas metade delas, sendo que o resto está ocupado por belíssimas imagens a preto, branco e dourado, que traduzem alguma da magia, mas também apreensão face ao desconhecido que espera as personagens – imagens de beleza sombria, não pelas cores, mas pelas expressões, onde os adormecidos são como fantasmas, desenhados a um traço mais fino.

Apesar do diminuto tamanho, este é um dos livros do ano – tanto pelas imagens contidas, como pela história inesperada.

4 pensamentos sobre “The Sleeper and the Spindle – Neil Gaiman

  1. Pingback: Retrospectiva 2014 – Resumo | Rascunhos

  2. Pingback: As novas estantes | Rascunhos

  3. Pingback: Trigger Warnings – Neil Gaiman | Rascunhos

  4. Pingback: Assim foi: Conversas Imaginárias 2015 – As Leituras do ano | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s