Lightspeed Magazine Dezembro 2012

lighspeed magazine december 2012

Eis mais um volume de Lightspeed Magazine que se inicia com o conto de Ted Chiang, Story of your life. Tendo já lido este conto na colectânea do autor, não repeti, apesar de ter gostado imenso da história (muito raramente repito leituras). Sem contar com esta, o volume começa ameno e até desinteressante, compensando com Lázaro y Antonio de Marta Randall, An Accounting de Brian Evenson e Catskin de Kelly Link.

A Story of your Life, segue-se então Cold Days de Jim Butcher, o excerto de um livro do autor onde um cavaleiro acorda refém da sua rainha que, dando ordens para que cuidem dele, o tenta matar de forma diferente todos os dias. Um pedaço intrigante que me fez pensar num cenário mais medieval do que aquele que encontro a partir das capas do livro, mas ainda assim, talvez interessante o suficiente para considerar o livro nas possíveis leituras.

Após esta história temos oportunidade de ver o trabalho de Luis Lasahido, o autor da capa – apesar de grande detalhe técnico, as imagens presentas na revista não me fascinaram, e após visitar a galeria oficial do autor encontrei algumas a meu ver melhores, por evocarem sentimentos e pensamentos mais fortes (como The Thieves).

the_thieves_by_lasahido-d7rwuye

Luis Lasahido – The Thieves

Algumas entrevistas depois (a Junot Diaz e Tad Williams) temos finalmente direito a mais histórias – desta vez um conto distópico, The Perfect Match por Ken Liu. Centrando-se na dependência da tecnologia e na fácil manipulação das populações, é um conto arrepiante pela semelhança com o que nos rodeia, sem ser, no entanto inovador – rapidamente me recordo de vários outros contos que, de forma brilhante, exploraram a mesma temática.

Por sua vez, Swanwatch de Yoon Ha Lee é uma história estranha que se centra, no meu entender, na componente menos interessante do mundo relatado. Uma jovem que aspirava a ser uma patrocinadora das artes, vê-se num género de prisão por um incidente diplomático. Para sair deverá compor uma sinfonia que agrade a um júri exigente (no qual estará o diplomata que a aprisionou).

Se em Dreams in Dust conhecemos uma Terra pós-apocalíptica num episódio consistente que não chega a ser memorável, finalmente chegamos a Lázaro y Antonio de Marta Randall, a melhor história do conjunto. Numa cidade de duas bolhas em que os desfavorecidos se encontram claramente à parte, conhecemos Lázaro, um miserável quase acéfalo que já foi muito mais do que as primeiras páginas deixam antever. História de amor e amizade centra-se neste pobre que lentamente se esquece de si mesmo.

Vintage photo of a skull and pistol as in an old master painting

Brian Evenson é conhecido pelas histórias que envolvem horror e fantástico. Em An Accounting não é diferente. Esta excelente história conta como um homem se fez ao deserto acompanhado apenas por um cão para se tornar num Jesus Moderno, sem nunca ter lido a Bíblia, e usando apenas algumas frases chave. O contexto que o levou a deambular é desconhecido, mas o relato intercala entre o trágico e o cómico numa história demente carregada de pequenos horrores quase normais.

American Jackal é uma de seis histórias relacionadas que se encontram sob um título maior: Family Teeth. Da autoria de J. T. Petty, pertencem ao género de fantasia urbana e descrevem interacções entre humanos-chacal e os humanos que lhes desconhecem esta segunda natureza. Não que esta segunda natureza seja o mais relevante nos seus relacionamentos – são todos pobres de espírito, que vêem apenas o imediato e respondem prontamente com violência seguindo os instintos mais básicos. Neste volume da revista encontramos duas das histórias que, podendo ser lidas de forma independente, se cruzam. São relatos interessantes, ainda que não excelentes.

catskin

Eis então a última autora do conjunto: Kelly Link com Catskin. História de bruxas e feitiços, centra-se no filho mais novo de uma bruxa que morre envenenada. Sabendo que lhe resta pouco tempo, divide os seus tesouros pelos três filhos: os mais velhos, aluados e irresponsáveis seguem vida ignorando as indicações da mãe. O mais novo, por sua vez, fica com a vingança da mãe, uma gata que o irá acompanhar e proteger, até que o rapaz seja capaz de se vingar do bruxo que envenenou a mãe. Apesar dos acontecimentos é uma história sem lamechices, carregada de detalhes mágicos pouco agradáveis. Assim é a vida.

Um pensamento sobre “Lightspeed Magazine Dezembro 2012

  1. Pingback: Lightspeed Magazine – Abril de 2015 | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s