Invisible Planets: Contemporary Chinese Science Fiction in Translation

Esta extensa colectânea de contos de ficção científica pretende reunir algumas histórias dos melhores autores chineses do género. E pelo caminho encontramos excelentes contos e noveletas, num tom que contém algumas notas culturais, mas não tão marcadas que tornem o texto incompreensível, muito pelo contrário, dando antes um tom exótico e original a boas narrativas.

The Waste Tide – Artigo de Chen Wiufan sobre a nova vaga de FC chinesa (clicar para ler)

A colectânea abre com histórias de Chen Qiufan, um autor galardoado e com vários contos publicados em inglês, alguns deles disponíveis gratuitamente, como Balin ou Coming of the Light ou The Fish of Lijang (Clarkesworld Magazine).  O primeiro conto, The Year of the rat apresenta uma sociedade economicamente frágil onde o curso superior não é garantia de emprego. Por essa razão o estudante aqui representado arranja um trabalho enfrentando ratos transgénicos (e inteligentes) que constituem uma praga no território chinês. Estes trabalhadores recebem um treino semi militar e enfrentam os animais – a campanha sofre algumas baixas e é com a morte de outro jovem que começa a história que é, sobretudo, uma luta psicológica.

O segundo conto é o The Fish of Lijang (disponível gratuitamente na Clakersworld Magazine (ver link acima) um conto onde o tempo não passa da mesma forma para todos fazendo com que alguns trabalhadores sejam mais produtivos, mas precisem, de umas férias afastados de tudo e todos para conseguirem recuperar.

Por sua vez, em The Flower of Shazui um homem fugiu dos acontecimentos passados onde usou de uma posição privilegiada para obter dinheiro extra. Agora mantém uma existência pouco relevante num bairro pobre, onde a magia se cruza com a tecnologia para usar as crenças supersticiosas dos que tentam usar da força para se imporem.

Xia Jia – podem seguir o link (clicando na imagem) para uma entrevista sobre o seu trabalho

A próxima autora é Xia Jia que, para além de autora de ficção científica, é actriz, académica, produtora de filmes, entre outras actividades. Depois de A Hundred Ghosts Parade Tonight, um conto onde os fantasmas se confundem com os vivos, encontramos Tongtong’s Summer, um belíssimo conto sobre o possível papel futuro da tecnologia, usada aqui para apoiar os mais velhotes, fazer-lhes companhia, ou garantir-lhes uma espécie de mobilidade, uma existência não corpórea noutros locais,

Em Night Journey of the Dragon-Horse uma fera metálica metade cavalo, metade dragão recorda-se da existência, há muitos anos, de cidades humanas. Um dia conta, a um amigo, uma série de histórias onde os seres humanos e os objectos modernos e tecnológicos são como elementos históricos e mitológicos. Uma história nostálgica excelente!

Um dos mais conhecidos autores de ficção científica chineses, Ma Boyong é o autor de The City of Silence, um trabalho que pode ser lido como satírico ao governo chinês. Nesta distopia autoritária, qualquer comunicação é controlada pelo estado. Não só as palavras escritas como também as palavras faladas. O nome de utilizador que se pode usar na net tem de ser autorizado e registado pelo governo e qualquer comunicação só pode usar as palavras autorizadas. A cada dia é retirada uma nova palavra, deixando as possibilidades escassas e estéreis em sentimentos e sentidos. Um excelente conto de autoridade e rebelião que, seguindo os moldes de outras distopias consegue transmitir o sentimento de sufoco.

Noveleta com que Hao Jingfang venceu o prémio Hugo

Vencedora do prémio Hugo, Hao Jingfang participa nesta antologia com Invisible planets e Folding Beijing. O primeiro é um apaixonante descrever de vários planetas, de sociedades impossíveis onde se cruzam aromas exóticos, civilizações compostas de mentiras ou grandiosas pela sua pacificidade, mundos onde coexistem espécies inteligentes que não se reconhecem ou mundos onde as pessoas se unem como duas bolas de sabão.

If two of them make an appointment and both happen to keep it, then they will most likely become a couple and live together – a propósito de uma sociedade de eternos mentirosos que quase nunca cumprem a palavra dada.

Em Folding Beijing várias cidades se sobrepõem existindo no mesmo espaço como que em várias dimensões. As viagens entre cidades são controladas como forma de controlar o crescimento populacional. Cada uma das dobras é cada vez mais pobres, constituindo uma oportunidade conseguir viajar e realizar algumas missões nas outras dimensões. Lao Dao espera, com as suas viagens, conseguir algum dinheiro para que a filha tenha uma educação excepcional. Este é um conto imaginativo que contém uma boa premissa mas, simultaneamente, pode ser lido como se centrando em migrantes que procuram, contra todos os perigos, um futuro melhor.

Os dois autores seguintes participam, cada um, com dois contos que me impressionaram pouco: Call Girl de Tang Fei e Grave of the fireflies de Cheng Jingbo. O primeiro encontra-se disponível gratuitamente na Apex Magazine e o segundo na Clarckesworld Magazine.

Conhecido pela trilogia que o destacou, tanto internacionalmente, como na própria China, Liu Cixin participa nesta antologia com The Circle, um conto engenhoso onde alguém constrói um computador capaz de realizar cálculos difíceis recorrendo a um exército de soldados como peças. O objectivo? Calcular várias casas do número Pi.

O segundo conto com que Liu Cixin participa nesta antologia é Taking Care of God. Neste conto uma série de humanóides com ar idoso circula pelas ruas pedindo algo para comer. Primeiro centenas, depois milhares e milhões. Estes idosos apresentam-se como pertencendo à espécie que conseguiu produzir vida e levá-la à inteligência em vários planetas, mas tendo perdido o conhecimento de alguma da sua tecnologia, já não consegue viajar com a mesma velocidade e com os mesmos objectivos. Trocam então o seu conhecimento científico por asilo e cada família da Terra alberga um Deus – velhotes que são, inicialmente tratados com deferência mas, depois, por causarem uma sobrecarga no orçamento familiar, começam a ser escorraçados.

Contendo diversas vozes, com imaginações e estilos bastante diferentes, esta antologia reúne contos excelentes e imaginativos, histórias originais que expandem o pensamento para novas possibilidades e novas perspectivas da ficção científica – eis um excelente conjunto com autores que prometem dar que falar nos próximos tempos.

2 pensamentos sobre “Invisible Planets: Contemporary Chinese Science Fiction in Translation

  1. Pingback: Resumo de leituras – Agosto de 2017 (6) | Rascunhos

  2. Pingback: Assim foi: Fórum Fantástico – as escolhas do ano | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s