Mexican Gothic – Silvia Moreno-Garcia

Eis o vencedor do prémio Goodreads para a secção de Horror! Mexican Gothic é um livro que pega nalguns elementos clássicos do horror gótico, tanto em termos de ambiente como no sobrenatural para tecer uma história nos anos 50. A história começa como uma leve deambulação em torno de Noemí, uma jovem da sociedade mexicana que gosta de andar de festa em festa, alternando entre diferentes companhias.

A História

A mais recente festa terminou inesperadamente com Noemí a ser chamada a casa. Ao invés de encontrar uma reprimenda pela companhia desaconselhada dessa noite, Noemí encontra o pai preocupado com o bem estar da recém casada prima, Catalina, depois de ter recebido uma estranha e conturbada carta.

Este episódio irá determinar a ida de Noemí para High Place – uma velha mansão nas zonas rurais mexicanas que pertence à família do marido de Catalina. Aqui encontra um ambiente soturno e claustrofóbico. A casa terá sido construída segundo as tradições inglesas, num pesado estilo gótico onde a electricidade não chegou totalmente. Sente-se o declínio de uma riqueza anterior, uma tentativa de manter as aparências perante a decadência inquestionável.

Cerro El Bordo, Estado de Hidalgo, Mexico
A história decorre em Pachuca, uma localização conhecida pela exploração mineira. Neste caso, a família de Virgil terá vindo de Inglaterra para explorar as minas, mas com a inundação da mina terá perdido as principais fontes de rendimento. Durante a exploração mineira em Hidalgo, mais de 70 mineiros terão perdido a vida, em acidentes. A autora usa estes elementos no seu romance.

Mas o ambiente não é a única coisa estranha. Catalina mostra-se apátia, enquanto o marido, um homem arrogante e distante, Virgil, parece afastar Noemí, provocando-lhe reacções tempestuosas. Por sua vez, o patriarca, o pai de Virgil, é um velho doente mas rígido que impõe normas em todos os detalhes do quotidiano. Sem conversas à mesa, banhos frios, saídas controladas – tudo elementos que diz referirem-se a uma raça superior, ideias defendidas noutra época.

Race Crossing in Jamaica: Amazon.com: Books
A eugenia é um conceito falado durante a história, mas numa vertente pouco conhecida – o filósofo José Vasconcelos vê a mistura racional como forma de criar uma nova raça ideal.

Noémia instala-se, quebrando rapidamente todas as regras. Convence o primo de Virgil, um jovem tímido, a levá-la à aldeia em alturas inapropriadas, fuma no quarto, toma banhos mais quentes e tenta conversar durante as refeições soturnas. Mas a sua leveza vai sendo contaminada pela negritude daquela família e daquele ambiente, começando a perder o apetite e a ter pesadelos: principalmente quando conhece as histórias de assassinatos nas gerações anteriores.

Panteón Inglés – Mineral del Monte, Mexico - Atlas Obscura
A cidade ficcional descrita no livro é inspirada em Mineral del Monte, uma cidade mineira gerada pelos ingleses onde se podem encontrar edifícios de tradição inglesa, ou, até, os cemitérios que lhes seriam típicos.
https://www.goodreads.com/notes/52873094-mexican-gothic/2725776-silvia-moreno-garcia?ref=bsfknh

A Narrativa

A história vai apresentando os elementos devidamente espaçados, tentando assemelhar-se a um clássico, ainda que contenha detalhes mais recentes. A história é centrada na perspectiva de uma só personagem, apresentando diálogos, pensamentos e sonhos, mas consegue, ainda assim, apresentar um bom ritmo e interesse. As descobertas da personagem principal são simultâneas às do leitor. Neste caso é uma abordagem que funciona bem e que é bem explorada pela autora, apesar de alguns elementos estruturais que tornam a história coerente, mas algo previsível.

A história possui, nos primeiros 80% aquela aura de terror em que nada propriamente horrível acontece, mas que fornece uma tensão crescente. Até aos 20% finais existem elementos estranhos, histórias passadas de crimes e violência, mas na primeira linha narrativa, esta tensão não resulta em violência palpável ou algo concreto. Neste sentido, a autora consegue, com sucesso, criar um sentimento de estranheza crescente, intercalando os momentos estranhos com as descobertas e os pensamentos. Este método permite uma leitura fluída e ritmada.

Os elementos góticos

Pode-se considerar que o género gótico inclui obras como Dracula, Frankenstein, A Christmas Carol e terá surgido com a obra inglesa, O Castelo de Otranto. De forma genérica, o romance gótico destaca-se por combinar horror com romance, bem como conter algumas personagens estereotipadas: uma mulher jovem e pura, um herói, e um predador (figura masculina), entre outras. As histórias costumam incluir edifícios de aura pesada com segredos que se interligam com a história. Tratam-se de localizações que reflectem a deterioração do mundo, como castelos ou edifícios religiosos. Muitas obras mais recentes evocam o ambiente gótico usando alguns destes elementos.

Em Mexican Gothic encontramos uma casa carregada de segredos que reflecte o ambiente decadente, usual nos clássicos. Em torno da casa, de construção inglesa, não falta um denso nevoeiro, nem um cemitério tradicional inglês, o que dá a todo o enquadramento, uma aura gélida. Para além disso, algumas das personagens correspondem ao estereotipo.

Noémia é uma jovem mulher, virgem, ainda que se afaste do ideal de docilidade e pureza. Por um lado é uma jovem extremamente social, por outro, é uma pessoal lógica que procura uma explicação racional para o que vê. Por sua vez, o marido da prima, Virgil, assume totalmente o papel de predador, um elemento de corrupção que é atraente, mas de uma forma doentia. Não falta, claro, o herói, o primo de Virgil, uma personagem tímida e contida que se vai revelando com a progressão da história.

Não faltam, até, os elementos sobrenaturais ou o sonambulismo. Noémia deambula pela casa durante a noite, visualizando uma casa que se transforma em carne viva. Nestes pequenos passeios nocturnos visualiza a figura de uma mulher que mais tarde identificará como pertencendo à família de Virgil, mas há muito falecida. A explicação, no entanto, não seguirá o usual percurso fantasmagórico.

Conclusão

Mexican Gothic é uma boa leitura. Não apresenta um horror pesado e constante, mas uma tensão crescente que vai sendo intercalada com as tentativas de explicação lógica da personagem principal. Uma abordagem que funciona bem, apesar da aura sobrenatural (ligeiramente fantástica) que rodeia a história. De forma a manter a lógica narrativa existem algumas concessões em termos de previsibilidade, sendo que existem desenvolvimentos que sabemos algumas páginas antes que vão decerto ocorrer. Trata-se de uma boa leitura, envolvente e interessante, que, não tendo chegado ao excepcional, é aconselhável.

2 comments

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.