The Seeds – Ann Nocenti e David Aja

Leitura interessante, ligeiramente futurista e quase apocalíptica, com detalhes algo herméticos – The Seeds é uma história que nos apresenta uma humanidade em decadência cultural e social, mostrando a degradação da sociedade. É neste contexto que alguns fundam uma comunidade à parte, longe do vício da tecnologia. É neste contexto que uma jornalista descobre a existência de alienígenas entre os humanos – uma revelação que poderá marcar a sua carreira mas que poderá por em causa a vida de outras pessoas.

A história decorre lentamente, mostrando a perspectiva e a interacção de várias personagens – mas não segue apenas os humanos, oscilando, também com o ponto de vista dos alienígenas mascarados que vieram à terra colher sementes. Este não é o seu primeiro planeta, mas é o primeiro onde encontram vida consciente – facto a que nem todos reagem da mesma forma, até porque pelo menos um deles está perto da demência violenta e insensível.

Paralelamente, os desastres ecológicos acumulam-se, provocados por uma humanidade adormecida para o que a rodeia, afundada em elementos tecnológicos. Já os meios de informação baseiam-se no número de visualizações que provocam e não na qualidade da informação, pelo que as teorias de conspiração criadas por jornalistas, crescem sem regulação.

A narrativa é composta por pedaços, episódios que mostram algum detalhe de forma a explicar os acontecimentos, mas sem detalhes suficientes para criar empatia para com as personagens, ou proximidade. Esta forma fragmentada de apresentar a narrativa provoca alguma quebra com a história e dá a sensação de haver detalhes que podem interpretar, mas não são directamente referidos.

O ambiente quase apocalíptico, de decadência ecológica e dependência tecnológica é complementado pelo visual. Os desenhos apresentam-se sobretudo a preto e branco, complementados com tons acastanhos ou amarelados que lhe dão um tom de corrupção e degradação.

Resumindo, The Seeds é uma leitura que pode levantar várias questões sobre a actualidade, exagerando alguns elementos actuais. Para além disso, adiciona alienígenas numa perspectiva pouco usual (com personalidades distintas, semelhantes à caracterização dos humanos). O desenho é detalhado com um interessante jogo de sombras. Consegue ser uma boa leitura, mas a pouca ligação a personagens torna a história pouco envolvente e poderá não ser para todos os leitores.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.