Duval, o autor da série Nevada e Nenúfares negros, teve outra obra recentemente publicada pela Norma Editorial – este M.O.R.I.A.R.T.Y. que nos parece remeter para um Sherlock Holmes steampunk. Autor conhecido, conceito curioso e visual sombrio – eis o que me fez decidir ler este volume.

A história

O jogo num clube de cavalheiros ingleses é conturbado quando se descobre que um dos jogadores é um autómato bastante realista que vencia jogo através de jogo. A partir deste autómato descobre-se um enredo maquiavélico que irá confrontar, claro, Sherlock Holmes e o seu némesis.

Crítica

Eis um daqueles livros que parecia bastante interessante, mas que se tornou esquecível. Aliás, mesmo para escrever esta curta descrição da história tive de voltar a olhar para as páginas do livro – e tive pouco sucesso. A história apresenta longos e cansativos diálogos (o que em banda desenhada tira muito dinamismo) que pretendem parecer mais inteligentes do que realmente são, com as supostas deduções da investigação, mas que me soaram um pouco ocas e desinteressantes.

O desenho que acompanha, sombrio como prometia, é muito estático e pouco expressivo, com feições pouco detalhadas, e, até, nubladas. Por vezes, o sombrio dá lugar à pouca definição e à confusão visual, sendo que a maioria das páginas apresenta pouco contraste, sobretudo nas paisagems mais urbanas. Salvam-se as páginas que se focam na visão das alturas ou numa paisagem mais rural.

Entenda-se, o livro não é mau. Mas decepcionou. Apesar de esquecível, a linha narrativa era consistente, e recordo-me de o ter lido sem dificuldade. Já os desenhos, se retirarmos as secções menos boas, até consegue ter algumas páginas atractivas e interessantes. O problema é que o conjunto não se torna excepcional, e consegue ter passagens menos atractivas.

Conclusão

Apesar das expectativas que tinha para este volume, o resultado ficou aquém do esperado. Não é mau, mas também não é muito interessante. Tal como a narrativa, algumas páginas são monótomas e esquecíveis. É pena porque existem páginas que se destacam pela positiva.