Visualizações

2022 parece ter fomentado a tendência. Apesar de ter passado o confinamento, novas responsabilidades a nível de trabalho (com montes de viagens associadas) levaram a um menor livro de leituras e de publicações. O número total de leituras baixou de 286 para 185, bem como o número de publicações de 243 para 186.

A leitura em espanhol diminuiu um pouco (12%). Em francês também, ainda que preveja que deva aumentar para 2023 por conta das aulas neste idioma. As leituras em inglês continuam em alta. Em termos de género, este ano destaca-se o aumento de leituras de fantasia, sobretudo por conta de ter descoberto T. Kingfisher, uma autora que consegue pegar em clichés e em histórias já conhecidas, para construir novas perspectivas com toques de horror.

Em visualizações, houve, também, uma redução, mas não tanta quanto a esperada dado o menor volume de posts (10% menos visualizações, quando o número de publicações reduziu 25%). As visualizações associadas aos livros do PNL continuam elevadas, destacando-se, este ano, a Crónica do Rei Pasmado, de Gonzalo Torrente Ballester, Contos de S. Petesburgo de Gogol e Aventuras de João Sem Medo de José Gomes Ferreira. Fora estes usuais, destaca-se O Jogador de Xadrez de David Sala que tem vindo a crescer em visualizações. Entre as publicações de 2022, estas foram as que tiveram maior número de visualizações:

Eventos

Este ano trouxe algum retorno à normalidade. Ainda não foi desta que voltei a eventos internacionais, mas em Portugal tive oportunidade de ir à Leiriacon, ao 1º Festival de Jogos de Tabuleiro para Famílias (no Estoril), ao Festival Contacto (onde cooperei mais activamente com a dinamização de uma sala), e ao Fórum Fantástico. Não pude ir ao Festival de BD de Beja mas participei com um texto para uma exposição e estive envolvida com o Prémio Ataegina.

E 2023 ?

Bem, espero retomar o ritmo de publicação – se fizer um apanhado de publicações por mês para 2022 constato que o segundo semestre foi mais activo, e pretendo manter o ritmo para 2023. Pretendo aumentar as leituras em francês (até porque irá facilitar a progressão no idioma, necessária por motivos profissionais) e manter as de espanhol (continuam a ser publicadas obras francobelgas que, de outra forma, me estariam indisponíveis por enquanto).

Em termos de géneros, irei continuar decerto com as leituras de T. Kingfisher, mas já não me falta muito para ler tudo o que a autora publicou. Provavelmente arranco 2023 a ler alguns dos melhores de 2022 que me despertaram curiosidade (sobretudo em BD, Fantasia e FC), bem como alguns lançamentos de finais de 2022 em banda desenhada que ainda não tive oportunidade de pegar. Tenho também alguns livros de não ficção (sobre afrofuturismo e história da FC) que pretendo ler. Dadas as viagens recorrentes é provável que pegue bastante mais no kindle.

Retrospectiva de