Casa de Bonecas – Sandman – Neil Gaiman, Mike Dringenberg, Malcolm Jones III, P. Chris Bachalo, Michael Zulli, Steve Parkhouse

img_2339

No segundo volume de Sandman, o eterno responsável pelos sonhos continua a demanda para restabelecer o equilíbrio que o cativeiro causou no seu reino e nos sonhos dos homens.

img_2344

O volume começa, no entanto, com uma história bem diferente, a história de um grande amor que Sonho terá vivido com uma mortal, não uma mortal qualquer, uma rainha que se sacrificou a bem do seu povo e do reino terreno que controlava – um sacrifício que pagará bem caro.

img_2352

Se, por um lado, os seres que abandonaram o reino provocam distúrbios na nossa realidade e precisam de ser capturados, Sonho tem ainda que se preocupar com o controlar de um poderoso vórtice, um fenómeno que envolve uma jovem rapariga que se torna, assim, num chamariz para os mesmos seres pouco amistosos que deambulam pela Terra.

img_2355

O atingir de um novo equilíbrio irá requerer confrontos e sacrifícios, ainda que nem sempre da forma perspectivada por Sonho. Lentamente recupera o domínio sobre os seus subalternos e refaz o reino que se irá desenvolver sob novos padrões. Os vários episódios tornam-se, por vezes, violentos e acabam por ter consequências para todos os envolvidos, transformando a percepção que têm da realidade e do que os envolve.

img_2370

Paralelamente a esta narrativa, carregada de monstros e detalhes surreais entrelaçados com aparente normalidade, as restantes histórias criam uma mitologia circundante e conferem, a este universo, uma trama mais densa. Seguem-se as referências externas (onde se encaixam personagens de outras histórias e mitologias) e internas (entre os vários volumes voltados a ver referências às mesmas personagens e acontecimentos) que criam um intenso sentimento de familiaridade onde facilmente se encaixam os elementos estranhos.

img_2360

Apresentando diferentes estilos, por vezes desconexos entre o que representam e a descrição, Sandman atinge o estatuto de obra-prima sobretudo pelas ligações que constrói, pelo lento surgir de todo um Universo que poderia estar interligado ao nosso sem que nos apercebêssemos, pela criação de uma possibilidade que quase vislumbramos pelo canto do olho.

img_2366

A série Sandman foi publicada pela parceria Levoir / Público.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s