Bone – Coda / Estúpidas, Estúpidas Mostrorratas – Smith / Smith, Sniegoski e Sakai

Eis mais dois spin-off de Bone, que apresentam histórias fora da narrativa principal. O Stupid, Stupid Rat-tails encontrava-se esgotado na edição inglesa, pelo que aproveitei para encomendar os dois em edição espanhola, capa dura, da Astiberri. Apesar das diferenças linguísticas, estranhei menos do que a minha expectativa.

A história

Coda é um volume de Smith que começa por apresentar um episódio após a saga principal – os primos Bone regressam à sua cidade natal, mas antes de conseguirem chegar ao destino vão passar por algumas peripécias envolvendo penhascos e aves gigantescas. Após esta história, o autor conta o seu percurso, desde a invenção das personagens à auto-publicação de Bone. São relatos carregados de episódios históricos onde conta alguns dos momentos de viragem do mercado internacional de banda desenhada.

Para além dos relatos de Smith, este volume possui vários textos explicativos de Bone, falando da importância da obra, interligando-a com outras obras importantes da ficção especulativa (colocando-a a par de Star Wars ou O Senhor dos Anéis). Esta componente termina com uma entrevista a Smith.

Estúpidas, Estúpidas Mostrorratas possui duas histórias com a narrativa de Tom Sniegoski. A primeira desenhada por Jeff Smith, a segunda por outro autor, Stan Sakai. A primeira história decorre muitos anos antes da saga principal, mostrando uma aventura do fundador de Boneville com as criatura-rato. Este fundador, um Bone, apresenta características que parecem uma mistura dos primos Bone: está sempre a inventar histórias mirabolantes, é trapalhão, mas corajoso e bem intencionado.

A segunda história deste volume centra-se num par de criaturas-rato que, procurando almoço, raptam um javali maluco, pensando tratar-se de um pequeno leitão. A perspectiva de refeição não irá decorrer conforme pretendem, levando a uma sucessão de episódios psicóticos em que quase sentimos pena dos monstros.

A narrativa

Coda é um volume mais interessante pelo conteúdo não ficcional do que pela história que contém. Apesar de dar para revermos as personagens, a história contida é inconsequente e explora pouco as diferenças de personalidade dos três primos, um dos elementos mais interessantes da história.

Já as duas histórias de Estúpidas, Estúpidas Mostrorratas são geniais. A primeira apresenta uma personagem diferente e peculiar um aventureiro com histórias pouco credíveis que vive uma aventura ainda mais mirabolante que envolve as criaturas-rato. É uma história divertida e envolvente que pega nas pequenas criaturas do bosque, caracterizando-as de forma semelhante à apresentada em Bone.

A segunda história deste volume é, também divertida, usando a mesma dinâmica que encontramos num par de criaturas-rato na série principal. O resultado é divertido e mirabolante, um pouco menos envolvente que o original, mas igualmente lúdico.

O desenho

Tanto na história de Coda, como na primeira história do volume Estúpidas, Estúpidas Mostrorratas, o desenho é de Jeff Smith, estando dentro do estilo do autor: desenho a preto e branco, expressivo, caricaturesco q.b., e capaz de apresentar texturas e jogos de luzes quando necessário. Dada a simplicidade das histórias, não existe grande exploração de luzes e sombras, mas os desenhos enquadram-se de forma adequada na história e o resultado é, claro, muito bom.

Na segunda história de Estúpidas, Estúpidas Mostrorratas, o desenho é de outro autor, que é bem sucedido em transmitir o elemento caricaturesco, mas de uma forma mais exagerada e simplista, resvalando um pouco para um aspecto mais infantil. Nada que se estranhe na história, dado centrar-se em criaturas mais juvenis.

Na segunda história de Estúpidas, Estúpidas Mostrorratas, o desenho é de outro autor, que é bem sucedido em transmitir o elemento caricaturesco, mas de uma forma mais exagerada e simplista, resvalando um pouco para um aspecto mais infantil. Nada que se estranhe na história, dado centrar-se em criaturas mais juvenis.

Conclusão

Comparando as partes de ficção, gostei mais das histórias apresentadas em Estúpidas, Estúpidas Mostrorratas do que da história apresentada em Coda. Ainda assim, Coda torna-se mais interessante pela perspectiva de Jeff Smith do mundo dos comics, a forma como se envolveu mais com a comunidade de leitores (nas Con) e as suas interacções com outros autores.

São portanto, ambas, boas leituras, apesar de bastante diferentes, aconselháveis a quem gostou da série Bone.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.