150 – Butterfly Beast – Vol. 1 – Yuka Nagate – Depois de anos e anos de guerras feudais, alguns guerreiros (shinobi) foram abandonados à sua sorte. Sem senhor nem propósito, causam distúrbios na população. Ochou foi, ela também, uma guerreira, mas ao invés de vagar sem propósito, tem como missão caçar shinobi que perderam o seu rumo. Em paralelo, é cortesã, o que lhe permite manter uma boa rede de contactos;

151 – The Sleepless – Victor Manibo Romance de ficção científica que nos apresenta uma realidade ligeiramente futura onde uma pandemia levou a que alguns humanos não durmam e não precisem de dormir. Este efeito secundário é aparentemente inócuo para a saúde, mas tem consequências sociais. O autor explora-as ao mesmo tempo que nos apresenta a resolução de um crime;

152 – Summer in Orcus – T. Kingfisher – Uma história mais juvenil onde a autora apresenta, como personagem principal, uma criança que é demasiado controlada pela mãe. Mas o controlo não é a única característica que a define – é, também, dada a episódios de descontrolo emocional, Summer, a criança, é quem a acalma. Quando, num dia como todos os outros, a Baba Yaga aterra no seu quintal, e lhe dá o desejo do seu coração, Summer vê-se num outro mundo. Se há algum objectivo desconhece ainda que, em teoria, Baba Yaga não faça nada sem propósito. É uma aventura curiosa, com várias metáforas, e onde os heróis o são de forma pouco usual;

153 – The Women Could Fly – Megan Giddings – Nesta distopia com elementos fantásticos o mundo apresentado é bastante semelhante ao nosso, divergindo pela capacidade em executar magia. Mas esta magia é uma magia de bruxa tradicional, com pequenos poderes difíceis de controlar. A história decorre nos Estados Unidos da América e demonstra como a magia (associada injustamente apenas às mulheres) é usada para controlar o género feminino ou para acusar e queimar na fogueira cidadãos que não são homens brancos.