Lançamentos Fantásticos e FC

Se o mês de Novembro promete em eventos, o mês de Outubro aparece recheado de excelentes propostas nos géneros fantásticos e ficção científica.

Saída de Emergência

O destaque deste mês será para a Saída de Emergência, com títulos como O Homem Do Castelo Alto de Philip K. Dick ou Sonho Febril de George R. R. Martin, ambos clássicos do género.

O primeiro tinha sido já publicado há vários anos em Portugal, pela Livros do Brasil em dois volumes, um clássico do género que retrata uma história alternativa onde a Segunda Guerra Mundial teve um desfecho diferente e o território dos Estados Unidos foi dividido entre os japoneses e os nazis. Para muitos este é um dos melhores livros do género, ainda que um dos livros menos característicos do autor, Philip K. Dick. Apesar das críticas à semelhança da capa com a de outras edições em inglês, esta está, para mim, excelente, muito mais impressionante ao vivo do que no ecrã.

Sonho Febril é outra grande aposta da editora para este mês, uma obra excelente de George R. R. Martin, o responsável pelas Crónicas de Gelo e Fogo.

Sonho febril é uma história contada num único volume, uma história de vampiros que se distancia da imagem romanceada tão badalada ultimamente. Imaginem antes caçadores implacáveis e persuasivos, de uma força tão sobrenatural quanto a sua origem, que apesar de dormirem de noite não possuem as fraquezas disparatadas que os humanos julgam. Esqueçam a água benta, a estaca no coração, o alho ou as cruzes: nada disto fará parar estes seres e mesmo a luz apenas os matará após longas horas de exposição. Abner Marsh é um capitão falido de barcos a vapor a quem é oferecida uma sociedade monetariamente favorável mas com estranhas condições por detrás: não deverá questionar os estranhos hábitos do sócio, nem as suas companhias. Tal torna-se no entanto difícil de ignorar quando começa a interferir nos negócios, amedrontando os empregados do maior barco no Mississipi.

Para além destes dois volumes, a Saída de Emergência continua a publicar a série de Charlainne Harris, com Sangue Felino:

Traída pelo seu namorado vampiro de longa data, Sookie Stackhouse, empregada de bar do Louisiana, vê-se obrigada não apenas a lidar com um possível novo homem na sua vida (Quinn, um metamorfo muito atraente), mas também com uma cimeira de vampiros há muito agendada.

Com o seu poder enfraquecido pelos estragos do furacão em Nova Orleães, a rainha dos vampiros locais encontra-se em posição vulnerável perante todos aqueles que anseiam roubar o seu poder. Sookie vê-se obrigada a decidir de que lado ficará. E a sua escolha poderá significar a diferença entre a sobrevivência e a catástrofe completa…

A Eleita de Kushiel é o terceiro volume de série de Kushiel publicado:

Terre d’Ange é um lugar de beleza sem igual. Diz-se que os anjos deram com a terra e a acharam boa… e que a raça resultante do amor entre anjos e humanos se rege por uma simples regra: ama à tua vontade. Phèdre nó Delaunay foi vendida para a servidão em criança. O seu contrato foi comprado por um fidalgo, o primeiro a reconhecê-la como alguém atingido pelo Dardo de Kushiel, eleita para toda a vida experimentar a dor e o prazer como uma coisa só. Ele adestrou Phèdre nas artes palacianas e nos talentos de alcova – e, acima de tudo, na habilidade de observar, recordar e analisar. Quando tropeçou numa trama que ameaçava os próprios alicerces da sua pátria, ela abriu mão de tudo o que lhe era mais querido para salvá-la. Sobreviveu, e viveu para que outros contassem a sua história, e se eles embelezaram o conto com tecido de mítico esplendor, não ficaram muito aquém da realidade. As mãos dos deuses pousam pesadamente sobre a fronte de Phèdre, e ainda não deram a sua missão por te rminada. Embora a jovem rainha que jaz sentada no trono seja bem amada pelo povo, há quem creia que outro deveria usar a coroa… e aqueles que escaparam à ira dos poderosos ainda não acabaram as suas tramas de poder e vingança.

Gailivro

Cornos de Joe Hill é um dos livros mais esperados da editora para este mês. Este é o segundo livro do filho de Stephen King publicado em português, tendo o primeiro revelado interessante mas não excelente.

Este é bastante melhor, colocando a personagem numa posição de poder simultaneamente ridícula e irónica: vários meses após a morte da namorada, acorda com cornos na cabeça e um estranho poder de provocar confissões naqueles que encontra. Para além disto, consegue saber todos os actos ou pensamentos maldosos apenas por tocar nas pessoas, e consegue instigá-las a seguir os seus desejos mais sombrios. Principal suspeito do homicídio da namorada, descobre assim quem a terá violado e assassinado, abrindo-se uma oportunidade para a vingar.

Hex Hall, de Rachel Hawkins, é outro dos títulos previstos pela Gailivro para este mês:

Um bilhete só de ida para um colégio interno perdido nos pântanos do Louisiana era talvez a última coisa que Sophie Mercer esperava receber pelos seus dezasseis anos. Mas Sophie não é uma adolescente igual às outras. Sophie é uma feiticeira e, tal como os outros prodigium, feiticeiros, fadas, lobisomens e vampiros, Sophie não pode frequentar uma escola normal. O que Sophie esperava ainda menos era ser companheira de quarto de Jenna, a única vampira da escola, e ver-se enredada numa trama para descobrir quem anda a assassinar os alunos da escola ao mesmo tempo que tem que lidar com os seus novos poderes, a descoberta da importância do seu Pai na hierarquia dos feiticeiros e a sua paixão pelo namorado da sua mais recente inimiga.

O Exorcista é, sem dúvida, um dos filmes de horror mais conhecidos, senão o mais conhecido. Segundo a sinopse, o filme será, no entanto, bastante leve quando comparado com o livro:

Publicado pela primeira vez em 1971, O Exorcista tornou-se não só um fenómeno literário como um dos livros mais assustadores e controversos alguma vez escritos. A história centra-se em Regan, a filha de doze anos de Chris MacNeil, uma ocupada actriz que reside em Washington D.C. A criança aparenta estar possuída por um demónio ancestral e cabe a dois padres a dura tarefa de o exorcizar, arriscando a sanidade e a própria vida. O Exorcista transcendeu as páginas escritas e saltou para o grande ecrã, onde se tornou uma referência incontornável do cinema. Mas se pensa que o filme é assustador, leia o livro. Até porque o filme nem chega a aflorar a ponta do iceberg! Propositadamente crua e profana, O Exorcista é uma obra com a capacidade de nos chocar, levando-nos a esquecer que “é apenas uma história”.

Editorial Presença

De entre os títulos da Editorial Presença, aquele que me parece mais interessante é sem dúvida O Abutre, de Kafka, integrado na colecção A Biblioteca de Babel:

A mais indiscutível virtude de Kafka é a invenção de situações intoleráveis. Para a impressão perdurável bastam-lhe uns breves apontamentos. A elaboração, em Kafka, é menos admirável que a invenção. Homens, há apenas um em toda a sua obra: o homo domesticus – tão judeu e tão alemão -, desejoso de encontrar um lugar, nem que seja o mais humilde, numa qualquer ordem; no universo, num ministério, num asilo de lunáticos, na prisão.

O argumento e o ambiente são o essencial; não as evoluções da fábula nem a penetração psicológica. Daí a primazia dos seus contos sobre os seus romances; daí o direito de afirmar que esta compilação de narrativas nos dá integralmente a medida de um tão singular escritor.

Em Chamas, de Suzanne Collins é o segundo volume de Os Jogos da Fome:

Pela primeira vez na história dos Jogos da Fome dois tributos conseguiram sair da arena com vida. Mas o que para Katniss e Peeta não passou de uma estratégia desesperada para não terem de escolher entre matar ou morrer, para os espectadores de todos os distritos foi um acto de desafio ao poder opressivo do Capitólio. Agora, Katniss e Peeta tornaram-se os rostos de uma rebelião que nunca esteve nos seus planos. E o Capitólio não olhará a meios para se vingar…

Finalmente, a editora lança, também,  A Viagem, o segundo volume da colecção Lenda dos Guardiões, uma história que parece direccionada para os mais jovens:

Tudo começou com um sonho, o sonho de encontrar a Grande Árvore Ga’Hoole, um lugar mítico onde uma ordem de corujas se ergue nos céus todas as noites para realizar feitos nobres. É aí que Soren, Gylfie, Crepúsculo e Digger esperam encontrar inspiração para lutar contra o mal que se instalou no universo das corujas. A viagem, porém, é longa e recheada de perigos inesperados. E, quando Soren e os amigos alcançam enfim o seu destino, esperam-nos desafios que jamais haviam imaginado…

Guerra e Paz

A Rapariga dos Pés de Vidro, de Ali Shaw é um romance de detalhes fantásticos, simples e bonito ainda que não entre dentro da categoria do excepcional. Com elementos surreais e personagens peculiares, é uma leitura trágica mas simpática e bastante original:

Ida Maclaird sofre de um mal misterioso e assustador – lentamente o seu corpo começa a transformar-se em vidro. Regressa então à Terra de Santo Hauda, onde acredita que tudo teve início, com a vaga esperança de encontrar o único homem que poderá ser capaz de curá-la.
Midas Crook é um jovem solitário, que viveu toda a vida naquelas ilhas. Quando conhece Ida, sente que há qualquer coisa naquele espírito triste e desafiador que perpassa as suas defesas emocionais. Poderá o amor de Midas impedir que Ida se transforme em vidro?

Para além destes, sem detalhes disponíveis, mas previstos para Outubro teremos, pela Editorial Planeta, Anjo Caído de Lauren Kate,e The Fall de Guillermo del Toro e Chuck Hogan pela Editora Objectiva.

Fora dos géneros fantástico / ficção científica / horror

Não se encontram nos géneros da ficção científica, fantástico ou horror, mas são livros que aguardo e provavelmente irei adquirir:

A Boneca de Kokoschka, de Afonso Cruz, pela Quetzal:

O pintor Oskar Kokoschka estava tão apaixonado por Alma Mahler que, quando a relação acabou, mandou construir uma boneca, de tamanho real, com todos os pormenores da sua amada. A carta à fabricante de marionetas, que era acompanhada de vários desenhos com indicações para o seu fabrico, incluía quais as rugas da pele que ele achava imprescindíveis. Kokoschka, longe de esconder a sua paixão, passeava a boneca pela cidade e levava-a à ópera. Mas um dia, farto dela, partiu-lhe uma garrafa de vinho tinto na cabeça e a boneca foi para o lixo. Foi a partir daí que ela se tornou fundamental para o destino de várias pessoas que sobreviveram às quatro toneladas de bombas que caíram em Dresden durante a Segunda Guerra Mundial.

Especulação Imobiliária de Italo Calvino, pela Editorial Teorema:

Numa pequena cidade da Riviera, que conhece um rápido desenvolvimento económico, começa a falar-se de turismo. Por isso, é inevitável que o mercado imobiliário cresça e o cimento se espalhe de um modo febril e desordenado.
Quinto Anfossi, um intelectual que leva uma vida económica e espiritual muito recolhida, fica fascinado pelo novo espírito que parece ter invadido a Itália, pela energia vital que emana dos construtores e dos homens de negócios, indivíduos que, aos seus olhos representam o homem novo. Esmagado pelos impostos que, pela morte do seu pai, pesam sobre a propriedade da família, transforma-se em empresário imobiliário, seduzido, mais do que pelo dinheiro, por aquilo que interpreta como o novo espírito dos tempos. Para isso associa-se a um certo Pietro Caisotti, um homem rústico e ignorante que conseguiu já fazer uma pequena fortuna.
À medida que o tempo passa, o negócio torna-se mais complicado do que parecia e, depois de muitas vicissitudes legais e burocráticas que levam inclusive à ruptura com o seu irmão, Quinto, cada vez mais preso nas areias movediças da sua relação de negócios com Caisotti, decide chegar a um acordo com o empresário do qual o limitado e vulgar Caisotti sai obviamente vencedor.

4 comments

  1. Este mês estão a sair títulos bastante interessantes. Tive a sorte de ganhar o “Em chamas” num passatempo, mas já o li em Inglês e gostei muito.
    Outros que me despertam curiosidade são o Sonho Febril, Cornos e A Rapariga com Pés de Vidro. para além da saga da Jacqueline Carey, que ainda não tive oportunidade de começar a ler.

    E nem fazia ideia que o Afonso Cruz ia lançar um novo livro, mas parece interessante.

    P.S.: Acho que te enganaste nos “Cornos”. Disseste que é um livro de Stephen King, mas é do Joe Hill. 😉

  2. O Cornos é engraçado, melhor que o primeiro do autor. Já agora, lá em cima tenho filho do Stephen KIng 🙂 o Joe Hill é filho do Stephen King.

    Sonho Febril é muito bom. Também gostei imenso de ler Homem no CAstelo Alto do Dick, embora seja um bocado estranho (todos os livros dele são estranhos, mas este é estranho de uma forma diferente).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.