As novas estantes (11)

IMG_2270

Quem nunca leu Dragonlance ? Publicados nos anos noventa pela Europa-América, e, mais recentemente, pela Saída de Emergência, são histórias divertidas que possuem todos os elementos da fantasia: elfos, magos, anões e dragões; num ambiente medieval onde cabem as mulheres guerreiras e pequenos episódios cómicos. Sem constituirem obras-primas são de leitura agradável, leve e divertida.

Os livros de Robin Cook que se seguem são, na sua maioria, thrillers com detalhes de ficção científica médica, ou seja, histórias onde o autor aproveita para explorar os resultados dos avanços científicos recentes, como a fertilização in vitro, a clonagem ou a manipulação genética. Infelizmente, tirando duas ou três histórias, existe uma linha narratória comum à maioria dos livros, que os faz previsíveis para quem leu meia dúzia.

A seguir aos Tolkien encontram-se os livros de divulgação científica de assuntos bastante diferentes que vão desde a física à biologia: a teoria do Caos que influencia as mais variadas áreas científicas, é sem dúvida uma das minhas paixões.

IMG_2284

Na última prateleira encontram-se alguns dos SF Masterworks, uma das colecções de ficção científica mais abrangentes, que reúne obras mais antigas e mais recentes. Os primeiros volumes da colecção têm um visual mais escuro onde se intercalam capas visualmente agradáveis com outras que… nem tanto. De entre estes livros realço dois dos meus favoritos: The Dispossessed de Ursula Le Guin, e Where Late the Sweet Birds Sang de Kate Wilhelm, ambos publicados em português como Os Despojados (numa edição miserável pela Europa-América) e Onde os Últimos Pássaros cantaram (pela Gailivro, uma edição que se encontra agora barata pela wook ou pela fnac).

IMG_2294

Após um intervalo de publicação, a editora voltou a lançar novos clássicos da ficção científica, agora com um visual mais claro e moderno que não agradou a todos. Foi assim que conheci City de Clifford D. Simak, uma obra brutal e The Female Man de Joanna Russ, um livro que usa os universos paralelos que usa a mesma personagem em diferentes contextos sociais para explorar o papel da mulher.

 

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.