Descender Vol.2 – Jeff Lemire e Dustin Nguyen

IMG_7301

Depois de um primeiro volume introdutório onde se sucedem episódios de forte acção, Machine Moon (o título deste segundo volume) lança os alicerces para a restante série, adicionando as personagens necessárias para apresentar várias histórias paralelas.

O cerne já conhecemos. Uma revolta das máquinas gerou uma guerra e os robots estão praticamente extintos entre os seres humanos. Um robot de companhia, Tim, capaz de empatia, acorda percebendo estar sozinho num pequeno planeta mineiro.

IMG_7327

Sendo um exemplar raro que poderá ajudar a descobrir a origem da revolta (por possuir determinados pedaços de código) Tim é prontamente caçado por várias equipas, tanto de companhias militarizadas de interesse económico, como de mercenários que o pretendem desmanchar.

Levado para um planeta de estranhos alienígenas, é salvo por uma batalhão de robots que pretende perceber o sonho que o pequeno Tim terá experimentado quando estava inconsciente e perto do equivalente robótico da morte. Por sua vez, Tim convence o batalhão a resgatar, também, o grupo de humanos que o acompanha, por conta de lhe terem prometido procurar o seu amigo humano a quem antigamente fazia companhia.

IMG_7322

Capazes de sentir empatia (mas também outros sentimentos, como iremos perceber) estes robots não são emocionalmente maduros. Aos sentimentos tentam sobrepor rotinas de lógica, mas são incapazes de integrar todos estes resultados. Por enquanto vivem em paz, unidos por um inimigo comum e pela tentativa de criar, para si próprios, uma mitologia que ainda se encontra incipiente e mostra alguns sinais de inocência (será crença?).

IMG_7316

Paralelamente à história de Tim começamos agora a acompanhar a de Andy, o humano a quem se afeiçoou Tim, e, ao de leve, a guerra gerada pelo resgate dos robots – com a morte do Imperador Alienígena outro lhe sucede, mais sanguinário e sedento de violência.

Se o primeiro volume me tinha levado ao paralelismo a Pinóquio e a Battlestar Galactica (por um lado pelo boneco que age como uma criança de verdade, por outro pela revolta das máquinas), neste segundo a história parece distanciar-se e ganhar voz própria. Este distanciamento é resultado, por um lado, da apresentação de rumos pouco previsíveis, e por outro, da expansão da narrativa para personagens secundários de diálogo cómico (e simples) que desanuviam a tragicidade do primeiro volume.

IMG_7318

Se no volume anterior tinha achado que a nostalgia e o sentimentalismo puro do pequeno robot poderiam tornar-se aborrecidos se a série continuasse no mesmo tom, percebo que o direccionar o foco para outros acontecimentos permitiu aliviar a carga trágica sem desvirtuar as características da personagem principal. Sem dúvida, uma série para seguir.

4 pensamentos sobre “Descender Vol.2 – Jeff Lemire e Dustin Nguyen

  1. Pingback: Descender Vol.2 – Jeff Lemire e Dustin Ng...

  2. Pingback: Resumo de Leituras – Julho de 2016 (2) | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s