East of West – Vol.4 – Hickman, Dragotta e Martin

Neste quarto volume a série mostra que ainda está a ganhar raízes e a expandir-se, começando por nos apresentar as várias fracções. Ao longo dos volumes anteriores fomo-nos apercebendo da existência de várias potências militares ou tecnológicas, potências com maior ou menos interesse na lenda do Apocalipse que rodeia a deambulação dos cavalheiros e a busca pelo filho de Morte.

A apresentação das várias fracções é realizada pela introdução de fichas onde, a par com uma descrição resumida, se apresentam dados como área ocupada, poder militar e económico, bem como estabilidade política e viabilidade. A integração destas fichas a par com uma cronologia dos acontecimentos peca apenas pela concentração no início de volume que, julgo que teria direito a leitura mais atenta se espalhada no final de cada capítulo em que a história se debruçou sobre essa fracção.

Após estas fichas a história decorre, mostrando o filho de Morte que, agora liberto, está associado a uma inteligência artificial que lhe mascara toda a visão do mundo – o que é belo e natural aparece como cenários de horror enquanto que os verdadeiros monstros aparecem como animais fofinhos com os quais a criança quer brincar. Esta deturpação segue um plano específico para moldar a criança, fazendo-a crer que o mundo onde está precisa de ser destruído e reconstruído.

Por sua vez, Morte não perde as esperanças em encontrar o filho, mesmo depois de esgotadas as pistas iniciais, pelas quais pagou bem caro. Assim consegue, após duras conversas, uma reconciliação pouco pacífica com Xiaolian Mao, a princesa que agora governa uma das fracções, e mãe do seu filho.

Ainda que este volume não efectue grandes desenvolvimentos na história, East of West continua a interessar tanto pela mitologia e contexto, como pelos detalhes fantásticos e bizarros que conferem um ambiente de dessensibilização ao horror – mas nem sempre a aparência determina o carácter do que é percepcionado. Este é um volume em que se continua a criar antecipação pelos possíveis desenlaces criando um crescendo de tensão.

Se, em termos narrativos, esta série tem vários pontos de interesse, com a evolução de várias linhas diferentes, visualmente consegue também captar tanto pelos elementos tecnológicos como pelos elementos fantásticos tornando-se numa das melhores séries da Image.

Sobre outros volumes da série

Anúncios

Um pensamento sobre “East of West – Vol.4 – Hickman, Dragotta e Martin

  1. Pingback: Retrospectiva 2017 – O Rascunhos em Banda desenhada | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s