Fungi – vários autores

Comecei a ler este livro aqui há uns anitos, em formato digital, numa assinatura mensal gratuita do SCRIBD. Acontece que se trata de uma grande antologia pelo que, ao intercalar com outras leituras, não terminei dentro desse primeiro mês (comentário a esses primeiros contos lidos). Mas entretanto comprei o livro e, finalmente, terminei.

Possui contos para todos os gostos – os mais voltados para o New Weird que se dedicam a apresentar cenários simultaneamente horrorosos e fascinantes, outros que são mais aventureiros com personagens peculiares ou civilizações contaminadas por fungos. Alguns apresentam uma linguagem quase poética e sonhadora, outros centram-se mais na narrativa e conseguem ter tiradas finais engraçadas.

Capa de um dos livros sobre a cidade de Ambergris

Tal como no meu comentário à primeira parcela de contos, é impossível não ler este livro e recordar a ficção de Jeff Vandermeer que pegou no fascínio dos fungos para criar a cidade de Ambergris. Dificilmente se encontra alguma história de fungos que consiga atingir a profundidade deste mundo, que tem, neste volume, mais um conto, Corpse Mouth and Spore Nose, uma história de detectives que tem um final peculiar.

São comuns, nesta segunda parte, as histórias de exploradores, a começar por Kum, Raúl (The Unknown Terror), de Steve Berman, ou A Monster in the midst de Julio Toro San Martin, uma história que se torna mais interessante pela forma como é contada do que pelos desenvolvimentos.

Noutros contos, como Wild Mushrooms de Jane Hertenstein, os fungos fazem parte do quotidiano de uma família e marcam o seu estilo de vida. Neste conto a autora aproveita para falar sobre o sentimento de aversão que uma jovem criou pelos próprios pais por serem tão desenquadrados da sociedade em que se encontram – mas não por causa dos fungos, mas por diferenças culturais, como a dificuldades na linguagem ou roupa diferente.

 

 

 

 

 

Tubby McMungus, fat from fungus de Molly Tanzer e Jesse Bullington é uma divertida história numa realidade onde os animais são quase pessoas mas sem perder algumas das características mais marcantes do seu aspecto animal. Num reino comandado por gatos o alfaiate Tubby, também gato, consegue manter o interesse da nobreza pelas suas peças. Mas a sua competitividade, exacerbada pelo aparecimento de um alfaiate italiano, leva a destruir-se lentamente sem se aperceber.

Em Dust from a Dark Flower, de Daniel Mills, uma vila do Novo Mundo depara-se, não com bruxas (como Salem) mas com uma invasão de fungos que parece transformar os mortos… e os vivos. Trata-se de uma história envolvente, contada num tom pausado e de linguagem mais antiga (sem se exceder, e sendo de fácil leitura), que vai bem com o suposto relato de alguém da época.

Letters to a fungus de Polenth Blake é um dos contos mais divertidos do conjunto, reunindo várias cartas que uma mulher, bastante egoísta e mal disposta, escreve a um fungo (mas sempre mantendo a compostura) que estará a invadir o quintal e, posteriormente, a casa. Retratando uma troca inusitada de palavras, este conto consegue pegar no tema e, de forma simples, ter um desenvolvimento cómico.

Out of the blue é outro dos contos mais divertidos do conjunto mas num tom totalmente diferente, contando uma aventura sobrenatural numa casa que estará assombrada. Um agente imobiliário, especializado em casas assombradas, chama, a meio da noite, um amigo para perceber o que estará errado numa das propriedades que estará a restaurar. O conto destaca-se pela capacidade de caracterização de duas personagens caricatas numa aventura divertida e assombrosa.

De visual cuidado, esta antologia possui uma grande diversidade de contos que oscilam bastante em tom e forma como aproveitam o tema. O resultado é oscilante em qualidade, ou, pelo menos, em público alvo. Algumas das histórias são muito boas, outras achei facilmente esquecíveis. De realçar que a edição física tem mais contos do que a digital.

Um pensamento sobre “Fungi – vários autores

  1. Pingback: Os mundos decadentes de Jeff Vandermeer | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.