Os mundos decadentes de Jeff Vandermeer

Jeff Vandermeer – foto retirada do site oficial http://www.jeffvandermeer.com/

Jeff Vandermeer é o autor da trilogia Área X, do qual o primeiro volume, Aniquilação, foi adaptado recentemente para filme. Vencedor de vários prémios (World Fantasy Award, BSFA, Locus, Nebula ou Shirley Jackson Award), Jeff Vandermeer é, para além de escritor, editor e organizador de várias antologias de ficção especulativa e bem como crítico, publicando regularmente as opiniões em diversos jornais e revistas.

Desde a maravilhosa cidade de Ambergris carregada de esporos à cidade sem nome de Borne, em que as ruínas se tornam nichos ecológicos para construções biotecnológicas, grande parte da ficção de Vandermeer decorre em cenários de corrupção crescente, seja por acção humana, seja por circunstâncias histórias e ecológicas anteriores aos acontecimentos que acompanhamos.

Se em Venice Underground nos é apresentado um local transformado pela biotecnologia em que se esmorece a fronteira entre animais e humanos, dando origem a novos seres mas, também, baixando o valor do humano, num desenvolvimento que se enquadra no género New Weird (para quem desconhece, foi um sub-género da ficção especulativa que, aqui há uns anos originou trabalhos como Perdido Street Station de China Miéville ou The Etched City de K. J. Bishop onde se sobrecarrega a realidade com elementos estranhos levados ao extremo e que, nalguns casos provocam hostilização e inquietação no leitor), em Borne, os elementos estranhos são enquadrados de forma a parecerem quase normais, levando o leitor a empatizar com as novas criaturas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Assim, em Borne, temos uma criatura que, não sendo humana, quer ser uma pessoa, mas a sua natureza fagocítica impele-o a comportamentos inclusivos pouco sociáveis. Por sua vez, em The Strange Bird, segue-se um pássaro com resquícios de humano, que cruza elementos de vários animais e é um ser pensante. As suas características especiais levam-no a ser usado por vários seres humanos com objectivos distintos, objectivos dos quais se vinga sorrateiramente. Esta segunda história, mais pequena, fornece alguns detalhes que tinham sido omitidos (sem desproveito da narrativa) em Borne, dando novos sentidos irónicos a alguns acontecimentos.

Tal como seres refeitos de partes de outros, a imagem de Urso é comum. Em Borne um dos novos seres é um urso enorme, um constructo com proxies à sua imagem, que ameaça toda a realidade. Já em The Situation  a imagem do urso tinha sido marcante, desta vez uma representação metafórica de um trabalhador num ambiente profissional corrosivo. Trata-se de um conto carregado de elementos representativos onde se destaca o ambiente claustrofóbico provocado por um líder incompetente que desagrega a equipa. O resultado é a transformação das personagens consoante o estado psicológico.

Ainda não localizei o terceiro volume da trilogia depois das mudanças… Nem esse nem outros que tenho do autor…

A corrupção do mundo encontra-se, também, presente na trilogia Area X. O primeiro livro, Aniquilação, apresenta uma bolha na realidade descrita, uma descontinuação que é de difícil exploração pelo homem e onde decorrem uma série de fenómenos inexplicáveis – fenómenos que parecem iteracções fractais de vários elementos. A trilogia prossegue, num tom bastante diferente, conferindo perspectivas totalmente opostas da fornecida no primeiro volume. O ambiente é inóspito e propositadamente confuso para os seus visitantes (e, consequentemente, para os leitores) destacando-se alguns cenários não presentes directamente na adaptação cinematográfica como a torre invertida, inspirada na Quinta da Regaleira.

Desde City of Saints and Madmen (Ambergris) a Borne, Jeff Vandermeer leva o leitor a passear por realidades impossíveis – realidades que constrói povoando de detalhes estranhamente coerentes e personagens peculiares, duas componentes que possibilitam o envolvimento absoluto do leitor.

Mas o espírito criativo de Jeff Vandermeer não se fica pela escrita. Conjuntamente com a esposa, Ann Vandermeer, tem organizado várias antologias que ficam para a história da ficção científica. Recordo, por exemplo, o Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas onde uma série de autores cria novas e fantásticas doenças. Trata-se de um manual totalmente ficcional, publicado em português com doenças inéditas por autores portugueses, e que já foi encontrado na secção de medicina da FNAC como se fosse um livro académico.

Recordo, também, os belíssimos manuais Steampunk, livros de mesa que reúnem as mais maravilhosas referências do género, ou, mais recentemente, The Big Book of Science Fiction que pretende conter histórias representativas de todos os géneros.

Alguns livros publicados pela Livros de Areia, entre eles, no topo, um pequeno livro com histórias de Ambergris, a cidade dos fungos!

Em Portugal ainda é um autor pouco publicado. Para além do almanaque de doenças ficcionais referido acima, mais recentemente foi lançada a trilogia da Área X (aproveitando a adaptação cinematográfica) e houve, há vários anos, uma pequena parte da história de Ambergris publicada pela Livros de Areia – A transformação de Martim Lake & Outras histórias – numa belíssima edição.

Outros artigos sobre livros de Jeff Vandermeer

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.