Eventos: Fórum fantástico – dia 1

ff2014b

O primeiro dia foi, também o mais curto, ou não tivesse chegado já a meio da programação (dia de trabalho é assim), mas a tempo do debate sobre blogues do fantástico com Artur Coelho, João Campos, Luís Pinto e Nuno Reis (e moderação por Sofia Teixeira). Um debate marcado pelos elogios aos blogues Intergalacticrobot e Viagem a Andrómedra (merecidos), mas onde sinceramente, não acho que tenha ouvido nada de novo.

Seguiu-se a apresentação da Antologia Por Mundos Divergentes, que na prática, foi uma apresentação da Editorial Divergência, dos seus princípios e objectivos, bem como projectos futuros e expectativas editoriais. É sempre interessante assistir à apresentação de novas pequenas editoras e livros, com a preocupação de publicar autores portugueses. Fiquei, no entanto, com a sensação de que ainda irão ter de percorrer algum caminho para se tornarem mais professionais (ou comerciais). E com isto não estou a querer referir falta de seriedade, mas que a criação de uma plataforma comercial em site próprio com evidência da própria marca deveria ter sido uma preocupação inicial, e que os livros editados precisam de perder o aspecto de fanzine. Na Sombra das Palavras já foi lido há um mês, e estou curiosa por ler a antologia Por Mundos Divergentes.

Após um intervalo para jantar assistimos a “O Fantástico e a FC na Música” onde João Morales apresentou uma compilação de vídeos musicais influenciados pela ficção científica ou pelo fantástico, seja em termos de visual (em concertos ou videoclipes) quer em termos de letras. Entre Genesis e The Residents, eis, no final do post, uma das músicas que me ficou no ouvido. Acrescentado: entretando descobri que no Sficiworld têm uma lista completa das músicas ou vídeos apresentados.

O dia terminou em grande, com Os Contos não Vendem, um programa de rádio com Joana Neves que terá gravado (ou assim percebi) um episódio durante o Fórum Fantástico com a leitura de dois contos, primeiro por Madalena Santos, e depois por João Barreiros (um conto traduzido pelo próprio, que não o leu, simplesmente, mas o interpretou).

2 comments

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.