O melhor do primeiro trimestre de 2016

Estes três primeiros meses foram prolíferos em leituras, com 80 livros lidos, dos quais 38 são banda desenhada em inglês, português e até francês (ver Leituras 2016). Eis um resumo com os favoritos do primeiro trimestre, por ordem de leitura:

historia universal

1 – História Universal da Pulhice Humana – Vilhena – publicado pela E-primatur, uma das primeiras leituras do ano revelou-se um conjunto de episódios históricos transformados em alusões cómicas e satíricas à sociedade em geral, e à portuguesa em particular, com desenhos peculiares a acompanhar.

 

cavaleiro sueco

2 – O Cavaleiro Sueco – Leo Perutz – publicado pela Cavalo de ferro, é história fantástica com detalhes que recordam as histórias mais populares envolvendo o diabo, apresenta um dois homens que atravessam as terras geladas em busca de comida e abrigo – um nobre que terá desertado do exército e um pobre ladrão que se revela mais correcto moralmente do que o nobre. Por uma partida, acabam por trocar destinos, mas com as reviravoltas da vida irão endireitar o caminho de ambos.

dois anos

3 – Dois anos, oito meses e vinte oito dias – Salam Rushdie – Não tendo lido nada do autor antes deste livro, surpreendi-me pela premissa fantástica, e pelo seu desenvolvimento. Apesar de deambular em excesso nalguns episódios, está carregado de reminiscências de histórias conhecidas, com ecos de contos, lendas e histórias fantásticas, apresentando várias histórias cujo destino se cruza. Em  Portugal foi publicado pela Dom Quixote.

low

4 – Low – Vol.1 – Remender, Tochini – Banda desenhada de ficção científica que nos apresenta um futuro distante em que a humanidade foi obrigada a abrigar-se em cidades no fundo dos oceanos. Após várias gerações o ar não aguenta novas renovações, e as sondas enviadas à procura de planetas habitáveis não retornam. Ainda assim, neste mar de pessimismo deprimente , a personagem principal é a eterna optimista, a força que faz andar a história.

contos maravilhoso

5 – Contos Maravilhosos – Herman Hesse – Com estrutura base semelhante a contos populares, de figuras caracterizadas e de moral, estes contos elegantes e coesos possuem um objectivo claro – mas nem por isso o autor descura a criação de ambiente, envolvendo o leitor em cada história. Em Portugal este livro foi publicado pela Dom Quixote.

emphyrio

6 – Emphyrio Jack Vance – Clássico de ficção científica, apresenta uma sociedade distópica num cenário quase medieval ainda que tecnologicamente a humanidade seja capaz de viagens intergalácticas e domine as técnicas da biologia molecular. Mas neste planeta os comuns são mantidos sob uma economia rigidamente controlada, uma forma de manter a sociedade estagnada e dócil.

saga gosta

7 – A Saga de Gosta Berling – Selma Lagerlof – Aqui está, uma leitura mirabolante, carregada de reviravoltas dementes, de personagens irresponsáveis, sonhadoras e inconstantes – tudo envolto por elementos surreais. Pactos com o diabo sorrateiro, donzelas inocentes (ou nem tanto) que se deixam tentar, mulheres poderosas caídas em desgraça por se afirmar a verdade que já todos sabem, castigos com impacto prolongado – ao longo de quase 400 páginas vamos conhecendo a forma como se interligam os destinos destas pessoas numa sucessão de desgraças e poucas alegrias. Em Portugal foi publicado pela Cavalo de Ferro.

descender

8 – Descender – Vol.1 – Jeff Lemire – Banda desenhada de ficção científica que recorda Battlestar Galactica ou A.I. , apresentando um futuro onde algumas máquinas se assemelham a humanos e se revoltaram. A acção é centrada num pequeno robot que tem o aspecto de um rapaz, que estava adormecido na altura da revolta. Anos depois, acorda e tem como único objectivo encontrar a sua família. Infelizmente é uma peça importante no entendimento da revolta.

wytches

9 – Wytches – Vol.1 – Scott Snyder – banda desenhada de horror, pega em terrores antigos e profundos, retomando como cenário uma floresta deserta onde seres sobrenaturais, as bruxas se escondem. Estas bruxas concedem desejos a troco de vidas em cenários negros, misteriosos e sangrentos.

contrato com deus

10 – Um contrato com Deus – Will Eisner – Dizem-me que os livros de Will Eisner são todos semelhantes e que as histórias se repetem em tom e estilo. Bem, a vantagem é que li muito pouco de Will Eisner. O que destaca este volume é trazer-nos o ambiente da América de há algumas décadas, em histórias que retratam os factos daquela vida e daquele quotidiano, centrando-se sobretudo em personagens pobres ou remediadas que vivem na esperança de conseguirem algo melhor. Em Portugal este volume foi lançado pela Levoir em parceria com o jornal Público, na colecção de Novelas Gráficas.

comboio dos orfaos

11 – O Comboio dos órfãos – Jim e Harvey – Philippe Charlot e Xavier Fourquemin – Era para ficar pelas tradicionais 10 referências, mas tinha de citar este livro. Tomando inspiração nos anos 20 da América, acompanha os órfãos (ou crianças abandonadas) que eram recolocadas no interior do país para terem novas famílias e se afastarem de uma vida de vícios. De boas intenções está o inferno cheio – as crianças nem sempre são aceites com boas intenções, e os supostos benfeitores que patrocinam a distribuição das crianças deixam-se levar pela superioridade moral em que se envolvem. Em Portugal este volume foi publicado pela Arcádia.

Um pensamento sobre “O melhor do primeiro trimestre de 2016

  1. Pingback: O melhor do segundo trimestre de 2016 | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s