Corto Maltese: Sob o signo do capricórnio – Hugo Pratt

Eis uma aventura clássica de Corto Maltese! Com várias referências a obras anteriores, esta aventura expressa bem o espírito do herói aventureiro de características controversas, que por um lado tenta aproveitar as oportunidades que se lhe apresentam e por outro realiza boas acções, mas sem as justificar e arriscando uma negativa interpretação da sua personalidade, mostrando-se imprevisível.

Desmascarando o misticismo associado às religiões não ocidentais, que se faz sentir em pesadas premonições concretizadas à força (ainda que de forma subtil para que alguns continuem a associar os acontecimentos à previsão) esta aventura aproveita o encontro de dois irmãos, nascidos em pontos opostos do globo para arrancar com uma longa aventura.

Corto Maltese alia-se a um professor caído em desgraça (de bebedeira em bebedeira) e decide-se a ajudar os jovens, enquanto concretiza uma missão clandestina com a qual irá lucrar bastante dinheiro. As suas verdadeiras motivações vão obscuras, e a todos estes objectivos junta-se a busca por um grande tesouro na qual terá de se aliar a várias personagens duvidosas.

O caminho de Corto Maltese cruza-se com o de Rasputine, lançando referências a aventuras anterioers (A Juventude ou A Balada do Mar Salgado). O relacionamento entre ambos continua bipolar com Rasputine a oscilar entre aprisionar Corto Maltese e a querer envolvê-lo como sócio nas suas iniciativas nos episódios seguintes. O espírito misterioso de Corto Maltese não ajuda e Rasputine recorda que Corto Maltese lhe salvou a vida, mas nem assim confia totalmente nele. E com razão.

Em Sob o signo do Capricórnio não faltam as referências ao imperialismo que se faz sentir em todo o globo, contraposto por apertadas manobras de grupos independentistas que jogam entre as grandes potências, ora com aproximações políticas, ora com aproximações bélicas. A par com a diferença de tratamento vemos diferenças culturais que aprofundam divergências e preconceitos e justificam o movimento de libertação.

Outras histórias de Corto Maltese

Histórias com referências óbvias a Corto Maltese

Anúncios

Um pensamento sobre “Corto Maltese: Sob o signo do capricórnio – Hugo Pratt

  1. Pingback: Resumo de leituras – Fevereiro de 2018 (2) | Rascunhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s