Novidade: Kazuo Ishiguro

A Gradiva aproveita a atribuição do prémio Nobel a um dos seus autores, Kazuo Ishiguro, para voltar a lançar algumas das suas obras já esgotadas, e anunciar o lançamento de dois dos seus títulos ainda não publicados em Portugal.

Ainda que não goste homogeneamente de todas as obras do autor, gostei bastante de Nunca me Deixes, um livro em que existem clones humanos cujo propósito é fornecer peças extra compatíveis aos originais, apesar do seu lento desenvolvimento e decisões de percurso que podem parecer menos lógicas, mas O Gigante Enterrado, que usa metaforicamente a mitologia arturiana para contar a envolvente aventura de um casal de velhotes de memória nublada, foi de tal forma marcante que se tornou um dos livros favoritos do ano.

Comentários a obras do autor

Homem-Aranha Vol.4 – A ascensão do Escorpião / Miles Morales

O quarto volume começa com uma mirabolante viagem que leva o Homem Aranha e Fury a vários satélites que se encontram em torno da Terra. Só no espaço, nestes satélites é que o Homem Aranha consegue, com rapidez, a informação de que necessita sobre o Escorpião. Infelizmente, tal faz com que o Escorpião destrua alguns destes satélites, acção que terá grande impacto nas comunicações terrestres.

O retorno do Homem-aranha é turbulento e deixa-o vulnerável a um ataque por parte de Escorpião, um encontro quase fatal não fosse a intervenção dos Gémeos, outra entidade associada ao horóscopo que tem objectivos a cumprir, mais importantes do que a eliminação do herói.

Trata-se de uma aventura carregada de acção que permite, com a ida ao espaço, o enquadramento numa série de espaços visualmente espectaculares. Não faltam as batalhas com os vilões nem as pequenas piadas à homem-aranha ou os salvamentos de último minuto.

Depois de uma pequena aventura no dia dos namorados (parece que nem nesse dia os vilões descansam e deixam Homem-Aranha ir, descansado, a um encontro) segue-se a continuação da história de Miles Morales, o novo Homem-aranha, um rapaz ainda novo que não consegue explicar, à família, a súbita descida das notas na escola.

O quotidiano escolar de Miles é agitado por um novo super-herói na escola – um super-herói que o seu melhor amigo idolatra de tal maneira que expõe o segredo da identidade de Homem-aranha. Mas antes de poder conversar decentemente com o amigo Miles é necessário na sua função de Homem-aranha mas tal chamada revela-se um engodo para o apanhar.

O fato deste Homem-aranha é bastante mais apelativo do que o do original e Miles revela ter poderes e capacidades tecnológicas bastante diferentes. Apesar de possuir o título de Homem-Aranha este, mais jovem, apresenta história e personalidade própria, bastante diferentes.

Se sempre achei que o Homem-aranha original caia demasiado em episódios de autocomiseração e depressão. Este parece bem mais decidido, carregando a responsabilidade que advém dos poderes sem um episódio sombrio para enegrecer a vertente de herói.

Homem-Aranha está a ser publicado em Portugal pela Goody e pode ser encontrada nas bancas.

Resumo de leituras – Novembro de 2017 (2)

207 – Valerian Vol.9 – Christin, Mézières -Sem o mundo que lhes deu origem, Valerian e Laureline vão-se envolvendo nos conflitos a que assistem, vivendo pequenas e movimentadas aventuras. É nestas que irão conhecer alguns dos elementos que lhes permitirão fazer uma revolução em volumes mais avançados da história;

208 / 209 – Homem-aranha vol.3 / 4 – Slott, Camuncoli, Buffagni, Bendis e Pichieli – Enquanto o homem-aranha original explora novas geografias mas luta contra vilões já muito conhecidos, Miles Morales, o novo homem-aranha debate-se com as suas responsabilidades quotidianas, enquanto jovem estudante, e tenta justificar, à família, a quebra nas notas;

210 – Apocryphus – Vol.2 – vários autores – Graficamente melhor do que o primeiro volume (se tal era possível), este segundo denota, também, uma melhoria a nível narrativo, explorando a temática Crime;

211 – Vingadores secretos – Vol.35 Coleção oficial de Graphic Novels Marvel – Visualmente este volume é esplendoroso. Explora um conjunto de super-heróis que age de forma mais subtil, realizando pequenas missões secretas com o objectivo de salvar o mundo;

212 – Thor o último Viking – Vol. 33 Coleção oficial de Graphic Novels Marvel – Volume com trechos mais antigos que explicam o surgir de Thor, bem como os anos que passou entre os mortais sem reconhecer os seus poderes. Como mortal procura uma identidade banal que lhe possibilite sobreviver, mas o aparecimento de monstros que procuram eliminá-lo dificulta a sua existência em anonimato.

O Imperativo Thanos – Marvel Graphic Novels Vol. 37

Não sei se pela alternância com outras histórias mais calmas, achei este volume excessivo. Excessivo na acção, não tendo momentos de paragem e transmitindo uma constante urgência, excessivo na densidade cromática e de quadrados, fazendo com que ocorra demasiado em pouco espaço, e apresentando diferentes características visuais na mesma página. Há, também, a destacar que, visualmente, este volume tem, também, planos brutais nalgumas páginas que dão espaço para todo o detalhe que elas possuem.

Thanos volta mas a sua obsessão não se concretiza. Thanos quer morrer a todo o custo e as suas acções são determinadas pela possibilidade de tal desejo ocorrer. Em simultâneo Cancroverso liberta-se neste Universo e com ele uma série de monstros imortais, provenientes de uma realidade em excesso por se ter dado cabo da Morte.

Perante esta ameaça, diversos grupos se unem, provenientes dos mais diversos planetas e de todos os cantos do Universo. A ameaça é enorme e os episódios de luta frustrada sucedem-se, levando os heróis a enveredar por engodos, armadilhas e subterfúgios. Existe, na prática, não uma luta contra a morte, mas a favor da morte, demonstrando que tem um papel fulcral no Universo na renovação e manutenção do equilíbrio.

Entre o rápido questionamento filosófico a ameaça desdobra-se e impõe-se, levando ao cansaço dos heróis que nem sempre tomam as opções mais correctas, agindo contra o comum acordo estabelecido.

Ainda que possua elementos interessantes, este é um dos volumes que achei menos interessantes da colecção, sobretudo pela sobrecarga de acção. Este é o volume 37 da Colecção Oficial de Graphic Novels Marvel.

Novidade: Colecção Liga da Justiça – Levoir

Não esquecer que amanhã começa nova colecção da Levoir em parceria com o jornal Público! Desta vez trata-se de uma colecção da DC, Liga da Justiça, apresentando cinco volumes. Como já é habitual os volumes são em capa dura, por 10,90€ cada livro. Eis datas e títulos, bem como páginas e sinopse para o primeiro volume.

1 -Nova Ordem Mundial de Grant Morrison e Howard Poter- 9 de Novembro

O ponto de partida desta nova fase de Grant Morrison, que declarou numa entrevista que o que está “a fazer com a Liga da Justiça é regressar ao tipo de histórias que gostava de ler quando era miúdo e a tentar fazer uma versão actualizada dessas histórias, capaz de agradar aos miúdos de hoje”, é bem evidente neste Nova Ordem Mundial, e consiste em colocar a Liga da Justiça a defrontar um tipo de ameaças tão poderosas que mais ninguém seria capaz de enfrentar.

A recém-formada Liga da Justiça depara-se com a ameaça de um grupo de seres chamado Hyperclã que chega à terra, dizendo-se sobreviventes de um mundo que foi destruído há milhares de anos e que vieram para a Terra para impedir que a humanidade se destrua. De início realizam milagres, transformando o Deserto do Saara numa floresta e reduzindo a taxa de criminalidade como nunca antes tinha sucedido ganhando a simpatia da população. Porém, mal sabe a Liga da Justiça – e também o mundo – que os tais “bem-feitores” são marcianos brancos querendo dominar o planeta.

 

2 – O Vírus Amazo de Geoff Johns- 16 de Novembro

3 -O Prego: Teoria do Caos de Alan Davis- 23 de Novembro

4 – Darkseid 1 de Geoff Johns e Jason Fabok -30 de Novembro

5 – Darkseid 2 de Geoff Johns-7 de Dezembro

 

Tio Patinhas N.º 1 e N.º2

Estes são os dois primeiros números da revista Tio Patinhas, uma das três revistas publicadas pela Goody em Portugal depois de extinguir a Comix. Cada uma destas revistas é dedicada a uma personagem, Donald, Mickey e Tio Patinhas. Relativamente a esta estruturação das histórias da Disney, a editora já informou que vai interromper temporariamente a edição destas três edições para repensar aspectos na sua configuração. Mais detalhes sobre esta avaliação serão disponibilizados quando existirem.

Estes dois números apresentam sobretudo histórias centradas no Tio Patinhas e na sua avareza, mas não só. O primeiro número tem, também duas histórias do Mickey, uma do Donald e uma do Zé Carioca, onde não se vislumbra o Patinhas. O segundo volume tem uma estrutura semelhante.

Ainda que ambos os volumes possuam pequenas histórias simples e lineares, têm também, algumas com elementos mais complexos. No primeiro número temos uma história de uma realidade virtual de difícil controlo, uma viagem no tempo em que a linearidade dos acontecimentos depende da viagem e uma regressão de idade para tentar transformar um vilão num homem bom.

Já o segundo número começa com uma aventura na Lua, para passar a centrar-se bastante em Fantomius o Ladrão Cavalheiro – entre as classes altas existem aqueles que caíram em desgraça à mão de aproveitadores e apesar da sua fama de ladrão, Fantomius rouba aos ricos com um grande sentido de justiça, revelando-se culto e inteligente.

Ainda que sejam destinados a um público mais juvenil estes dois números possuem histórias um pouco mais compostas com detalhes mirabolantes. A qualidade dos desenhos e da narrativa vai, assim, também, oscilando. O segundo número é um pouco mais coeso do que o primeiro (por possuir um grande seguimento de histórias que se sucedem).

A revista Tio Patinhas é publicada em Portugal pela Goody.

Novidade: O Filho da Mãe – Vilhena

Eis o novo lançamento da E-Primatur! Mais um livro de Vilhena! Uma aquisição obrigatória para quem leu e adorou os anteriores, como Manual de Etiqueta, Avelina criada para todo o çerviço, ou História Universal da Pulhice Humana. Tal como os anteriores, prevê-se uma sátira deliciosa que capta o espírito luso no melhor da sua corrupção:

O autor concentra-se mais no texto e procura, cada vez mais, fixar em papel os males da nação e das suas gentes. Este volume compreende pois a trilogia, completa e não censurada (por muito que alguns o quisessem!), que narra a vida e feitos tudo menos notáveis do Filho da mãe. Uma obra que assentou que nem uma luva a muito português e fez chorar de rir outros tantos e no entanto constitui-se como um fidelíssimo retrato desta pátria que avança por aí aos trambolhões.

Reféns do Ultralum / O órfão dos Astros – Valerian Vol.9 – Christin Mézières

Aproveitando a elevada soma que ganharam recentemente e o já não estarem associados a uma agência, Valerian e Laureline encontram-se numa belíssima e luxuosa viagem. Laureline aproveita o momento mas Valerian, habituado a missões movimentadas e perigosas está aborrecido.

Eis que, a bordo da nave em que se encontram, ocorre um rapto. O filho de um riquíssimo sultão é levado, conjuntamente com Laureline na nave de uma alienígena, a mesma alienígena que tinha sido morta por um terrestre, razão pela qual repudia essa espécie. Ainda assim, por motivos de força maior, acaba por cooperar com Valerian na busca em Ponto Central.

Esta aventura mirabolante prossegue com contornos imprevistos. Claro que Valerian encontra Laureline, mas também o terrestre em falta terá oportunidade de expiar as suas acções. Já o filho do sultão não acabará com o pai, numa extraordinária reviravolta.

A segunda história deste volume é uma continuação da anterior, com Valerian e Laureline a fugir de um grupo de assassinos, sendo que, para tal, pede ajuda a um distribuidor de comida. A dupla acaba nas filmagens com Laureline a aproveitar todo o seu potencial – mas não da forma como poderia ser típica numa mulher bonita.

Estas aventuras, sem rumo concreto, ou melhor, sem uma missão explícita, acabam por ser bastante mais interessantes, fazendo com que a dupla realize boas acções por si, e interagindo livremente com várias espécies alienígenas de forma mais pessoal. Este volume apresenta vários episódios movimentados onde se exploram as potencialidades de uma série de espécies que podem ser usadas como arma ou como meio de comunicação.

A série Valerian foi publicada, em Portugal, pela Asa.

Novidade: Os Portões da Casa dos Mortos – Steven Erikson

O segundo volume da Saga do Império Malazano já tem data programada para dia 03! Deixo-vos a sinopse:

O Império Malazano é abalado por uma purga da nobreza onde muitos aristocratas são traídos e desterrados para as minas. Enquanto isso, no Sagrado Deserto Raraku, a Vidente Sha’ik e os seus seguidores aguardam o líder prometido de uma rebelião há muito profetizada.

Perante esta insurreição brutal, as forças malazanas terão de recorrer a um plano de evacuação desesperado e audaz para salvar os refugiados imperiais. De uma dimensão e selvajaria nunca antes vistas, este pico de fanatismo e sede de vingança irá mergulhar o Império Malazano num conflito sanguinário onde as hipóteses de sobrevivência não estão ao alcance de todos.

Valerian Vol.8 – As Armas Vivas / Os Círculos do Poder – Christin Mézières

Sem suporte técnico terrestre, Valerian e Laureline aterram num planeta primitivo. Laureline começa por inspeccionar o local e conhece o primeiro alienígena daquela planeta, um ser de cheiro nauseabundo que pertence a uma companhia de teatro que opera naquelas zonas, sobrecarregadas pela eterna guerra entre duas facções guerreiras.

Não é, sem dúvida, um planeta onde se possa obter consideração e bom público como elemento num teatro ou num circo. Laureline e Valerian juntam-se à comitiva e acabam todos sequestrados por uma das facções – aquela que acredita em por fim à guerra, através da guerra à guerra. Filosoficamente divertida, esta primeira história é leve e descontraída, carregada de elementos irónicos que questionam o senso comum.

A nave de Valerian e Laureline continua a dar problemas cada vez mais sérios – problemas que exigem um arranjo demasiado caro para o seu nível de vida. Nada que não seja possível de resolver com uma missão no planeta onde o nível de corrupção é tão elevado que é dado como adquirido e onde tudo se compra e vende.

Num planeta destas a informação corre livre e rapidamente e depressa o duo é envolvido numa pequena missão onde poderá obter a quantia necessária. A missão terá como objectivo inspeccionar o círculo do poder, o nível de onde deveriam vir todas as ordens para a gestão caótica do planeta.

Entre viagens de táxis voadores que lembram várias outras obras de ficção científica posteriores e visões de uma cidade estratificada e carregada de lixo e sucata, encontramos dominatrixes e grunhidores, o mais famoso trio de negociadores de toda a galáxia e uma série de personagens mirabolantes com propósito próprio. No meio desta caótica imensidão de interesses os nossos heróis terão de se desembaraçar.

Com o desaparecimento da versão da Terra que deu origem aos agentes do espaço e do tempo, os nossos heróis arranjam forma de prosseguir as aventuras, ainda que sem o objectivo das missões, de salvarem algum planeta ou populações. Estas duas histórias apresentam o prosseguir das aventuras dos heróis como sendo os únicos terrestres que agora se aventuram pelo espaço.

Continuando com os detalhes imaginativos e utilizando elementos já apresentados em aventuras anteriores, as histórias aproveitam a mitologia global para ganharem profundidade e interesse para os que as seguem. Com este volume a série voltou a subir bastante na minha consideração.

A série Valerian está a ser publicada pela Asa em parceria com o Público.

Novidade: O que se vê da última fila – Neil Gaiman

Do conhecido autor de vários livros de fantasia e banda desenhada, Neil Gaiman, foi publicado, este mês, pela Elsinore, este conjunto de ensaios onde foge da sua vertente ficcional e se expressa sobre diversos assuntos:

«Há aqui textos sobre coisas e pessoas que me dizem muito. Há também aqui um pouco da minha vida: tenho a tendência para escrever do ponto onde me encontro e isso significa que talvez ponha demasiado de mim naquilo que escrevo.» Neil Gaiman é há muito conhecido do público pela sua imaginação sem limites e inteligência aguda. Neste apaixonante conjunto de ensaios, dá-se a conhecer como curioso e perspicaz observador da realidade, numa variedade de temas e argumentos que lhe são próximos, incluindo opiniões muito pessoais sobre arte e alguns artistas, literatura, cinema, viagens, sonhos, mitos e memórias. Um livro que oferece uma visão íntima do pensamento e paixões de um dos autores mais influentes e originais do nosso tempo.

Normal – Warren Ellis

Adam Dearden olhou para o abismo. Que é, como quem diz, entrou em esgotamento, um problema mental que tem de ser resolvido. Transportado para instalações próprias, descobre que vários outros profissionais que, como ele, se ocupam do futuro, se encontram, também, no estabelecimento.

Pronto a aceitar que precisa de ajuda, Adam percebe que algo de muito estranho se passa – um dos pacientes desaparece, raptado, talvez, e no seu lugar são encontrados dezenas de insectos. Decerto uma partida de mau gosto.

Entre os restantes pacientes percebe existirem duas fracções, duas vertentes de encarar a tecnologia bastante diferente que se opõem, defendidas por duas figuras principais, dois elementos quase recuperados com direito a viverem em casas de integração, o último passo para o retorno à sociedade. Mas esta integração dura muito mais do que seria de supor.

Crítica inteligente à utilização da tecnologia com uma perspectiva bastante cínica, Normal de Warren Ellis questiona o próprio conceito de normalidade e de loucura que está associada aos doentes mentais, fazendo perceber que existe um limite de pressão para o cérebro inteligente – um limite tecnológico que abre portas a capacidades assustadores, sem possibilidade de retorno.

Normal é, assim, uma história bastante curta mas excelente que apresenta o abismo. E com ele o leitor também se vai sentir mais paranóico e desconfiado da tecnologia, mais perto de um limite assustador. Normal foi publicado em Portugal pela TOPSELLER.

Novidade: Do Inferno – Alan Moore e Eddie Campbell

Depois de vários rumores sobre o lançamento português pela Devir do livro de Alan Moore, eis que já é certa a sua publicação, este mês! Deixo-vos a sinopse e algumas páginas deste volume:

A história de Jack o Estripador, onde se detalha os eventos que levaram aos assassínios e o posterior encobrimento dos mesmos.

O livro combina uma investigação meticulosa com especulação informada e o resultado é uma obra-prima de ficção histórica tão convincente como aterradora.

 

 

Ecos Invisíveis – Tony Sandoval e Grazia La Padula

Grazia La Padula é uma das autoras convidadas do AmadoraBD e que estará no evento entre os dias 11 e 12 de Novembro. Já conhecia outro trabalho da autora, Jardim de Inverno, uma história deliciosa que apresenta um jovem que se distancia dos pais enquanto a vida não lhe corre bem, deprimido e desiludido com a vida na cidade.

Em Ecos Invisíveis a história começa com o funeral da esposa de Baltus. Recordando os momentos em que se conheceram, e a foto que lhe tirou antes sequer de lhe saber o nome, Baltus tem uma forte premonição de que algo vai acontecer a essa foto. Sobrecarregado pelo surgir de um dom e de luto, Baltus isola-se da civilização.

Como seria de esperar, este isolamento não é eterno. Vários anos decorreram desde o seu afastamento mas ao utilizar o dom para ajudar o desaparecimento de uma rapariga local, chama a atenção de uma repórter que se encontra em busca de pessoas com essas características.

Apesar de Baltus fazer passar o seu dom como profundo conhecimento da Natureza, sem reais capacidades, a repórter, percebendo que existe algo mais, não insiste. Prefere investir num relacionamento mais pessoal com Baltus e convidá-lo ao lançamento do seu livro na cidade.

Envolvente e carregado de emoções, Ecos Invisíveis é uma história relativamente simples mas que capta o leitor desde a primeira página. É impossível não sentir o peso da perda, é impossível não sentir o peso do destino que Baltus carrega consigo e que acaba por se tornar decisivo no relacionamento com os outros.

A grande empatia que se sente em Ecos invisíveis provém, sobretudo, da expressividade dos desenhos de La Padula. A desproporção das cabeças é um mecanismo que funciona bem no destaque de expressões e emoções, diminuindo a necessidade de diálogos complexos para apresentar interacções.

Ecos Invisíveis foi publicado em Portugal por Kingpin books.

Comentários a outros livros dos autores

Novidade: Os Vingadores Vol.8

O número 8 de Os Vingadores vai hoje para as bancas! Como já é usual, deixo-vos a sinopse, o detalhe de conteúdo e algumas páginas disponibilizadas pela editora:

O surgimento de um inumano capaz de prever o futuro dividiu por completo a comunidade de super-heróis. A morte de Bruce Banner – O Incrível Hulk – veio agudizar ainda mais o conflito e já não existe meio-termo, nem espaço para o diálogo. As posições estão de tal forma extremadas que a guerra parece inevitável. Os maiores heróis da terra vão viver e morrer com base numa única decisão: proteger ou mudar o futuro? A chegada surpreendente dos Guardiões da Galáxia promete desequilibrar a balança do poder e atuar como fator decisivo no conflito, mas no meio da grande batalha, Ulysses tem mais uma visão aterradora do futuro, desta vez envolvendo diretamente o jovem Miles Morales, o novo Homem-Aranha.

Conteúdo

THE FALLEN (2016) #1 – Por Greg Pak, Mark Bagley, Scott Hanna, Marc Deering, Ian Herring e Rob Schwager;
ALL-NEW, ALL-DIFFERENT AVENGERS (2015) #14 – 
Por Mark Waid, Jeremy Whitley, Adam Kubert e Sonia Oback;
UNCANNY AVENGERS (2015) #14 – 
Por Gerry Duggan, Ryan Stegman e Richard Isanove;
CIVIL WAR II (2016) #5 – Por Brian Michael Bendis, David Marquez, Sean Izaakse e Justin Ponsor;
ALL-NEW, ALL-DIFFERENT AVENGERS (2015) #15 – Por Mark Waid, Adam Kubert e Paul Mounts.

Thor – O Último Viking – Marvel Graphic Novels Vol. 33

Neste volume apresenta-se Thor, o herói que é, também, o Deus nórdico que, por castigo do pai, vive entre os humanos, integrando as suas capacidades apenas quando usa um cajado para a sua transformação. Até recentemente não se recordava desta duplicidade e pensava ser humano. Agora, vê os humanos com outros olhos, reconhecendo a sua fragilidade, e mortalidade.

Com a descoberta das suas capacidades escondidas e da recuperação memória enquanto Thor, perdeu o seu disfarce humano. Para permanecer na Terra precisa de encontrar um trabalho e uma casa, servindo-se dos seus contactos, Fury, para os tentar obter.

Não se pode dizer que esta faceta humana esteja a correr bem – logo no primeiro dia de trabalho um monstro adormecido encontra-o, tendo em vista uma vingança, e Thor quase revela a sua verdadeira identidade ao ter de enfrentar a besta e, simultaneamente, salvar uma donzela em perigo.

Enquanto Thor luta com os monstros com que se depara, em Asgard os acontecimentos estranhos sucedem-se. Chegará em breve o último grande herói para ocupar o último lugar na mesa de banquete e Loki tece mais umas quantas intrigas com vista a perturbar o irmão.

Mas, o tema principal deste volume vai ser a chegada de um alienígena que viajou por quase todo o Universo para arranjar uma forma de eliminar os demónios que ameaçam destruir toda a sua espécie. Este alienígena destaca-se pela sua coragem e capacidade guerreira, características com as quais enfrenta Thor.

Com algumas histórias a datarem mais de 30 anos, este volume tem um aspecto mais clássico que se distingue bastante da coloração mais realista que vemos em números mais recentes. Também algumas das histórias e as batalhas contra os monstros têm uma perspectiva relativamente simples, destacando-se positivamente as componentes associadas ao último Viking e ao alienígena, usadas para apresentar grandes guerreiros (ainda que de forma diferente).

Thor ainda se tenta fazer passar por humano usando um simples estratagema usado por outros heróis (óculos! com um forte piscar de olho ao super-homem) e aprendeu, com o castigo do pai, uma grande lição. Com um início destes explica-se que um Deus esteja entre os humanos ajudando-os nas constantes ameaças a que estão sujeitos.

Este volume é o número 33 da colecção oficial de Graphic Novels Marvel.

Os Vingadores – Vol.3 – Ataque a Pleasant Hill

Enquanto o Caveira Vermelha tece novo plano os Vingadores desconfiam de algo, mas quase que passam por ele sem se aperceberem. Tendo conseguido manipular as capacidades de Xavier, Caveira Negra está mais forte e mantém-se escondido. Por enquanto.

Na segunda parte deste volume conhecemos melhor Pleasant Hill, o projecto de Maria Hill, a directora da Shield que resolveu avançar com um projecto proibido. Cansada das sucessivas fugas dos vários vilões, constrói uma pequena e simpática vila onde, depois de lhes apagar a memória, os mantém.

Claro que é algo mais fácil de dizer do que de fazer. Ainda que não tenham memória dos seus tempos de vilão, alguns destes elementos percebem que algo está errado. Mesmo parecendo enquadrar-se e desempenhar papéis e heróis mortais nesta vila algo os puxa para se redescobrirem. Pleasant Hill transforma-se lentamente numa eminente desgraça.

A série Os Vingadores é publicada pela Goody.

Resumo de leituras – Novembro de 2017 (1)

201 – As armas vivas / Os círculos do poder – Valerian Vol.8 – Christin, Mézières – Este volume começa com uma história num planeta dominado pela Guerra onde até para acabar com a Guerra se faz a Guerra pela Guerra. A segunda história apresenta um planeta dominado pela corrupção – conhecida e publicitada abertamente – tudo se compra e tudo se vende. O local perfeito para a dupla conseguir reparar a nave a troco de uma pequena missão;

202 – Bouncer 5 – Boucq, Jodorowsky – Andando a procura do quarto volume e enquanto esperava numa livraria li o quinto. Implacável, demonstrando que o destino a todos espera e um sentido de justiça “olho por olho” apresenta um novo amor de Bouncer que se revela incompatível por razões de vingança;

203 – As Helvéticas – Hugo Pratt – O segundo contemplado pela espera, é uma aventura esotérica de Pratt onde se revelam segredos de cabalas e grupos secretos, entre referências literárias e históricas. É sobretudo uma aventura mental e interior de descobrimento e julgamento;

204 – O Idiota – André Diniz – Apesar de não ter lido o famoso romance, a adaptação é inteligível, captando o ambiente dos romances russos e apresentando a história de uma forma coerente e muito visual;

205 – Os Pássaros no fim do mundo – Charlie Jane Anders – Vencedor de prémios no género como o Nebula, é uma romance que cruza a ficção científica com a fantasia com muitos elementos de preocupação ecológica;

206 – Fables vol.13 – The Great Fables Crossover – Jack descobre o literal responsável pela escrita do reino das fábulas. E descobre que esse literal pretende eliminar esse mundo conjuntamente com todas as personagens. Parte então uma pequena comitiva para tentar travar o literal numa pequena aventura carregada de elementos cómicos onde se goza com os géneros literários e com as possibilidades do ridículo.

Os Vingadores – Vol.4 – Ataque a Pleasant Hill: Omega

Com o acordar dos vilões em Pleasant Hill e a descoberta por parte de Capitão América da concretização deste plano secreto e proibido, o fragmento de cubo cósmico, que se apresenta sob a forma de uma menina, inicia uma série de actividades para manter o seu pequeno mundo estável – agregando e apagando as memórias de todos eles.

Ainda que se encontrem sob a forma de meros cidadãos numa pacata vila, também os super-heróis se sentem infelizes e pouco realizados, não demorando muito até perceberem que foram manipulados e a retomarem as suas identidades carregadas de poderes.

Ambas as sequências, pré integração dos super heróis, e o após o acordar, são motivo para mostrar grandes cenas de batalhas épicas onde os poderes se expressam com todo o seu potencial. A menina (fragmento de cubo cósmico) não compreende tal reacção por parte daqueles que tentou ajudar a ter uma existência mais pacífica mas consegue fugir enquanto Pleasant Hill se abate.

De cores fortes e visual estrondoso, este quarta volume de Os Vingadores apresenta uma aventura engraçada que permite explorar o temperamento especial de alguns destes super-heróis (com especial destaque, claro, para Deadpool).

A série Os Vingadores está a ser publicada em Portugal pela Goody.