Algumas editoras já começaram a anunciar alguns dos lançamentos que nos esperam para 2023. Entre banda desenhada, ficção científica, e lançamentos noutros idiomas, eis os livros pelos quais espero mais ansiosamente.

Banda desenhada

Para os lançamentos de banda desenhada a nível nacional, podem ir vendo o que o Blog Vinheta 2020 tem estado a publicar.

A G Floy anuncia Black Magick, uma série que já tinha pensado adquirir no formato original, mas assim sendo aguardo, claro a edição da versão nacional. A série destaca-se por apresentar uma detective (nada de novo aqui) mas que é, também, bruxa, ainda que este lado da sua vida não seja público. A premissa é curiosa e promete alguma originalidade.

Segue-se Lydie. Neste caso, não é, para mim, uma nova leitura, dado que li esta história na edição espanhola. É, com outras histórias de Zidrou, uma história dolorosamente credível, que nos faz sentir empatia pela personagem, enquanto nos vai destruindo. Uma leitura agridoce e perfeita na imperfeição das personagens que desenvolve.

Já o próximo volume de Mattéo será também uma das séries esperadas por outros leitores, uma série que tem sido publicada ao longo de vários anos, e que chega agora ao final.

Mundo sem fim (no roginal Le Monde Sans Fin) é um livro que me tem despertado grande curiosidade. Tenho-o visto à venda em todos os locais em Paris, mesmo naqueles que têm poucos livros de banda desenhada em exposição. Deverá, no entanto, ser um livro difícil de ler para o meu nível de inglês (pelo pouco que conheço do autor) e, como tal, espero ansiosamente pela edição portuguesa.

Sambre é uma surpresa curiosa – desconhecia a série até há bem pouco tempo, tendo adquirido o primeiro volume noutro idioma. Qual a minha surpresa quando descubro que a série volta a nossa mercado com uma nova edição, estando previstos quer os volumes não publicados em Portugal, quer os primeiros que já não se encontram com grande frequência.

Para quem gosta de Trillo e Mandrafina, espera-se o quarto volume de Spaghetti Bros! Os anteriores apresentavam várias histórias curtas, cada uma com uma reviravolta mais escabrosa que a anterior, mas simultaneamente cómicas pelo cruzamento do inesperado com as cruas brutalidade e sexualidade.

Claro que outra continuação esperada é a do nono volume de Os Passageiros do Vento! Já O Segredo da Força Sobre-humana é também uma leitura curiosa que tive oportunidade de ler o ano passado. Neste livro a autora explora a relação com a actividade física, usando-a para falar de vários outros aspectos nos quais não se enquadrava na sociedade na época em que cresceu. Outro dos volumes que gostaria de destacar é Ducks pela Relógio d’Água, um livro que vi em várias listas de melhores do ano e que iria integrar uma das próximas encomendas. Assim sendo, aguardo pela edição portuguesa.

Banda desenhada estrangeira

Entre os lançamentos da Norma destaco Tenebrosa. Do mesmo autor de Pele de Homem (uma das leituras favoritas de 2022), este Tenebrosa promete um conto medieval obscuro e violento. Num tom visual totalmente diferente, temos o regresso de I Hate Fairyland. A Gertrudes está de volta! Agora que voltou ao mundo normal e que percebeu que a sua vida foi desperdiçada, que novas aventuras a esperarão? Entre Criminal e Reckless, Ed Brubaker e Sean Phillips estarão de volta para mais uma história negra e violenta. Night Fever promete-nos um thriller negro com traços de Dr. Jekyll e Mr. Hyde, em que um homem se confronta com o que existe dentro dele.

Outros livros

Os dois primeiros são lançamentos já anunciados pela Relógio d’Água, das poucas editoras no mercado que anunciam o seu programa editorial com regularidade – AI 2041 e Moon Witch, Spider King, ou Inteligência Artificial 2041 e Feiticeira da Lua, Rei Aranha, em português. O primeiro é um livro de ficção científica que pretende responder à questão – como irá a inteligência artificial mudar o mundo nos próximos 20 anos? Este volume é o resultado da cooperação entre um expert em IA e um escritor de ficção especulativa.

O segundo, Feiticeira da Lua, Rei Aranha é o segundo volume na trilogia de Marlon James, sendo que o primeiro foi finalista no National Book Award. Esta trilogia leva-nos para um mundo de magia com fortes raízes na mitologia e fantasias africanas.

Por sua vez, Contos Cruéis é uma colectânea de contos de Viliers de L’Isle-Adam, contemporâneo de Charles Baudelaire e Edgar Allan Poe. De acordo com a informação disponível, os contos serão de temas diversos, existindo contos de fantasia e textos satíricos.

The House of Good Bones é um dos próximos lançamentos de T. Kingfisher – uma autora que em 2022 se tornou numa das minhas autoras favoritas, com histórias que cruzam detalhes de fantasia e horror, com resultados originais e interessantes. Yellowface é o próximo livro de R.F. Kuang que publicou há pouco tempo o aclamado Babel. Antes disso, a autora tinha ficado conhecida por The Poppy War, regressando agora com uma história que irá tocar em temas como diversidade e racismo. Já The Terraformers é, como o nome indica um livro que vai ter como tema principal, a transformação num planeta para ser mais semelhante à Terra e proporcionar condições de vida aos terrestres. Mas claro que não será simples e surgirão conflitos que ameaçam esse objectivo.