Últimas aquisições (2020-06-14)

Eis uma rubrica que não andava por aqui há muito tempo! O objectivo é mostrar o que chegou esta semana cá a casa e falar um pouco sobre as motivações por detrás das suas aquisições. Alguns destes livros foram oferecidos.

Todo Paracuellos era uma aquisição que já andava debaixo de olho há algum tempo. Trata-se da compilação de uma série de histórias que foram sendo publicadas periodicamente, onde o autor retrata a dura vivência nos colégios internos onde residem as crianças cujos pais não têm disponibilidade para tomar conta delas.

Todas as histórias possuem uma base verídica, ainda que reúnam histórias de sobreviventes de vários colégios diferentes. Alguns meninos são órfãos, outros foram abandonados, havendo, também, os que têm os pais num sanatório (tuberculose) ou aqueles que não têm disponibilidade para mais uma criança.

A compra de Todo Paracuellos foi impulsionada por uma conversa sobre banda desenhada no grupo BD Passion, onde me recordei desta aquisição. E se vou encomendar alguma coisa da Amazon espanhola, porque não pesquisar se existe mais alguma coisa que me interessa? Este Hombre pareceu um bom candidato, tanto pela descrição como pelo aspecto visual, mas a sua aquisição tornou-se obrigatória depois de ler esta opinião.

Se já seguem este blogue há alguns anos já sabem que sou fã de Zoran Zivkovic, vencedor do World Fantasy Award (como se pode ver neste artigo comparativo que pega em quase todos os livros do autor). Infelizmente, a cadência de livros do autor não tem sido muito grande mas aproveitei uma encomenda recente para me actualizar.

De uma forma bastante simplista, o autor tem, na ficção, dois tipos de livros: conjuntos de contos temáticos que se interligam e criam uma história maior, ou histórias que cruzam realismo mágico com crime. Independentemente da forma, destacam-se as alusões a livros (e, claro, bibliotecas) e gatos.

Em Portugal, a Cavalo de Ferro publicou algumas das suas obras, destacando-se O Livro – uma obra que tem este objecto como personagem principal para tecer fortes críticas em relação à máquina de produção de livros em que se tornaram algumas editoras.

Para além dos livros de Zoran Zivovic, nesta foto vêem-se, ainda, duas banda desenhadas ganhas em leilão – uma porque o desenho me pareceu interessante, outra porque é da dupla Christin Bilal.

Estes foram oferecidos. Mas já andavam na wishlist da bookdepository há algum tempo. The Magic Order é da autoria de Mark Millar e apresenta-nos uma família de mágicos. Como qualquer família, existe todo um historial que resulta em sentimentos de rejeição e competição. Mas alguns destes sentimentos são postos de parte quando os membros da família começam a ser eliminados, um a um.

Gideon Falls é a fabulosa série de horror de Jeff Lemire. Ainda só tinha tido a oportunidade de ler o primeiro volume, mas é excelente. Como outras histórias de Jeff Lemire, existe uma espécie de mitologia em torno do elemento principal, aqui de horror – um celeiro que assombra algumas pessoas e que parece ser a causa da sua perdição.

Sete para a Eternidade, de Rick Remender, situa-se num reino fantástico onde diferentes criaturas coexistem. Uma delas, capaz de ler a mente e de perceber o que cada um mais deseja, tece pesados acordos que o transformam num Imperador temido e capaz de corromper qualquer um. Ou quase qualquer um! E é aqui que se cria o conflito que dá origem à narrativa.

Vida e morte do comandante Raul Morales foi oferta do próprio autor, no seguimento do meu comentário, o ano passado, a outro livro de Onofre dos Santos, Lenguluka. Será uma das minhas próximas leituras, já que depois de Lenguluka, o autor entrou para o meu radar de novidades.

Do lado esquerdo encontra-se Science Fiction – A Literary History, que reúne textos de vários autores sobre a ficção científica, começando com as primeiras formas do género (antes do século XIX) e prosseguindo com apresentação da ficção científica, enquadrando-a em cada uma das épocas históricas.

À direita encontram um livro de Michal Ajvaz, o autor de The Other City e The Golden Age, ambos publicados pela Dalkey Archive, editora que publicou, em inglês autores portugueses como Teolinda Gersão, Gonçalo M. Tavares, António Lobo Antunes e Raul Brandão. Tanto The Other City como The Golden Age conseguem situar-se naquela fronteira entre a realidade e o fantástico que caracteriza o realismo mágico, trazendo para a narrativa elementos pouco palpáveis e etéreos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.