Novembro de 2015

Aproxima-se o Natal e aumentam os lançamentos pelas várias editoras, principalmente no género fantástico. De realçar o livro de Umberto Eco, aguardado há alguns anitos, Histórias dos terras e lugares lendários.

historia das terras_2

Lançamentos nacionais relevantes

Dois anos, oito meses e vinte e oito noites – Salman Rushdie – D. Quixote;

– As reencarnações de Pitágoras – Afonso Cruz – Alfaguara;

– Verdes moradas – W. H. Hudson – Sistema Solar;

– Tony Chu – Vol. 3 – G Floy;

Wolverine: Origem – Vol. 2 – G Floy;

Um cisne selvagem e outros contos – Michael Cunningham – Gradiva;

Histórias das terras e dos lugares lendários – Umberto Eco – Gradiva;

Todos os fogos o fogo – Julio Córtazar – Cavalo de Ferro;

O Cavaleiro Sueco – Leo Perutz – Cavalo de Ferro;

A alvorada dos Deuses – Filipe Faria – Editorial Presença;

Bem-vindos a Joyland – Stephen King – Bertrand Editora;

GGG – O Grande Gigante GentilOficina do Livro;

Histórias de aventureiros e patifes – Vários autores – Saída de Emergência;

estacao 11

Críticas interessantes

Ficção científica

Estação Onze – Emily St. John Mandel – Deus me Livro / O sofá dos livros;

Crónicas Marcianas – Ray Bradury – My very own lines;

On the steel breeze – Alastair Reynolds – Máquina de escrever;

Caliban’s War – James S. A. Corey – Intergalacticrobot;

J – Howard Jacobson – Deus me Livro;

Interzone #258 – Vários autores – Intergalacticrobot;

– Os melhores contos brasileiros de ficção científica – vários autores – Intergalacticrobot;

Time out of joint – Philip K. Dick – My very own lines;

Leviathan’s Wake – James S. A. Corey – Intergalacticrobot;

rainha vermelha 2

Fantasia

– The sleeper and the spindle – Neil Gaiman – Leitora de fim-de-semana;

– A Rainha Vermelha – Victoria Aveyard – Deus me Livro;

– A corte dos traidores – Robin Hobb – Nuno Ferreira;

Histórias de aventureiros e patifes – vários autores – Uma biblioteca em construção / Leituras do corvo Fiacha / Sonhos, Imaginação & Fantasia;

– Mort – Terry Pratchett – Leitora de fim-de-semana;

– O poço da ascensão – Brandon Sanderson – Nuno Ferreira;

Os dilemas do assassino / Sangue do Assassino – Robin Hobb – Leitora de fim-de-semana;

saga banner

Banda desenhada

Em busca de Peter Pan – Cosey – Que a estante nos caia em cima;

– Saga Vol.1 – Brian K. Vaughn e Fiona Staples – Intergalacticrobot;

Esquadrão da Luz – Peter Tomasi – As Leituras do Pedro;

Cidade suspensa – Penim Loureiro – My very own lines;

Kong the king – Osvaldo Medina – As Leituras do Pedro;

Regresso às origens – J. Michael Straczynsky – Que a estante nos caia em cima;

Milagreiro – André Oliveira – As Leituras do Pedro;

Outros

– A night in the lonesome October – Robert Zelazny – Intergalacticrobot;

– A Tumba – H. P. Lovecraft – Nuno Ferreira;

Outros artigos

– O que aconteceu depois de “O Regresso de Jedi” ? – Máquina de escrever;

– O Futuro é agora – Revista Estante;

– O trauma de Wolverine continua em «Origem Vol. II» – Diário Digital;

– A Palavra dos Outros: Autores: Tony Sandoval – Leituras de BD;

– Fantasia e imaginação são as fórmulas para inovar na escrita diz Salman Rushdie – Diário Digital;

– O outro lado da ficção científica em Portugal – Revista Estante;

Eventos nacionais

– Há sempre tempo para mais nada – sessões de Leitura;

– AmadoraBD – Intergalacticrobot / Leituras de BD / Notas Bedéfilas;

– Recordar os esquecidos;

Resumos nacionais anteriores

– Outubro 2015

Setembro 2015

Julho / Agosto 2015

Anúncios

Bang! N.º 19 – Não ficção

capa_bang19_FINAL.ai

Cada lançamento de um novo número da revista é uma celebração. De distribuição gratuita e impressão a cores, peca em formato apenas no grande tamanho da página que dificulta o transporte e a leitura em qualquer sítio que não seja a nossa casa. Mas passemos ao conteúdo. É de realçar o texto introdutório de George R. R. Martin à antologia recentemente publicada, Histórias de Aventureiros e Patifes, bem como o texto de João Seixas sobre Ray Bradbury. Encontramos, também, interessantes referências a Shirley Jackson e Lovecraft.

A revista inicia-se com uma introdução mais política de Safaa Dib, fruto dos tempos que ocorrem, relacionando esta temática com a ficção científica. A esta, segue-se o usual texto do editor Luís Corte Real sobre a colecção Bang! que auspicia boas novidades para os apreciadores de ficção científica: Annihilation de Jeff Vandermeer (Hooray), A Balada de Antel (vencedor do prémio Bang|) e a publicação de Terrarium de Luís Filipe Silva e João Barreiros numa nova edição revista. Ficou apenas a faltar a referência a uma data prevista para The Fifteen Lives of Harry August, livro que a editora chegou a anunciar o pré-lançamento para o retirar de imediato. Esperemos, então, um pouco mais.

Annihilation

Uma das mais belas e simples capas de Annihilation

Ainda que me entusiasmem mais os lançamentos de ficção científica, não é de esquecer os próximos de fantasia, com a antologia, já publicada entretanto, Histórias de Aventureiros e Patifes, organizada por George R. R. Martin; ou The Witcher de Andrej Sapkowski. A estas futuras publicações seguem-se sugestões de outras obras, como o The Martian, ou o Estação Onze (um excelente lançamento da Editorial Presença).

A Arquitecturas da loucura em que Jorge Palinhos fala um pouco de cinema de horror (bem a propósito do Halloween) segue-se um texto de Fernando Ribeiro, vocalista dos Moonspell, Metais pesados. Ocupando uma página disserta sobre o snobismo da literatura dita séria em comparação com a literatura de género, escondida e marginalizada. Uma discussão que dá pano para muitas mangas – até porque quem se esconde da FC são essencialmente leitores de best-sellers que do género pouco ou nada sabem. Esta temática será novamente vislumbrada no artigo de João Seixas, em enquadramento distinto.

mailis

A componente de não ficção continua com um bom artigo sobre Banda Desenhada por João Lameiras, sobre Simon du Fleuve, o herói da série de Claude Auclair, e com um artigo sobre cinema de horror de António Monteiro onde disserta sobretudo em torno do The Omen.

Todos adoram um patife é a próxima secção, o nome que foi dado para a transcrição do prefácio de Histórias de Aventureiros e Patifes, escrita por George R. R. Martin, um dos organizadores da antologia. Neste texto, George R. R. Martin aproveita para apresentar alguns bons vilões de cinema e de literatura que, decerto, farão o leitor procurar por alguns destes filmes e livros.

Apesar de não ser particularmente fã dos Iron Maiden (aprecio de algumas músicas, mas a globalidade da sua obra não corresponde aos meus gostos), achei interessante o artigo de Ricardo S. Amorim onde se destacam alguns dos temas literários integrados nos álbuns do grupo. Encontram-se assim referências tão variadas como Poe, Lovecraft ou C. S. Lewis, sobretudo de títulos de horror e ficção científica que terão sido aproveitados quer nas letras, quer nas capas.

rainha vermelha 2

Seguem-se várias críticas a um dos mais recentes lançamentos fantásticos da Saída de Emergência, Rainha Vermelha de Victoria Aveyard, uma entrevista à autora e exposição de alguns factos e personagens que permitem introduzir à obra, cuja premissa exposta me recordou A Trilogia do Mágico Negro de Trudi Canavan (publicada em Portugal há alguns anos).

O Mythos Lovecraftiano nos jogos narrativos de Pedro Lisboa, debruça-se sobre um dos mestres do horror para dissertar sobre a influência nos vários meios que nos rodeiam, dando especial realce aos RPG’s.

De seguida, destaca-se o longo artigo sobre Ray Bradbury de João Seixas, O Futuro é hoje: alimentando as chamas, destruindo o cânone. Como não gostar de um artigo que, expondo alguns factos da vida do escritor, está carregado de referências às suas obras mais emblemáticas?

Acacia_Vozes_da_Profecia_BP

Depois deste artigo, ponto algo da revista, os restantes surgem menos iluminados. O Trio Fantástico Carey, Durham e Hobb apresenta uma análise a três das sagas fantásticas que não me interessou o suficiente, o género de análise que possui variáveis como grau de paixão ou conflito que,  dissecando um pouco as séries, não é alto que goste de ler.

Figuras Clássicas do Terror traz-nos um conjunto interessante de ilustrações de monstros conhecidos, de diversos autores que referem um pouco sobre o método de criação da ilustração. Gostei particularmente do Olharapo e do Skeleton Army.

No final uma surpresa. A secção de Sugestões FNAC que já trouxe algumas referências insípidas, sugere agora Shirley Jackson, a autora de obras como Sempre vivemos no castelo ou The Lottery.

Em suma. Após 19 edições a Bang! continua de boa saúde e recomenda-se. Se considerarmos que a revista é gratuita, ainda mais. Notam-se novos nomes nos artigos, o que vai garantindo a introdução de novas ideias e conteúdos, mas nota-se, também, o aumento do conteúdo de propaganda às próprias obras da editora, Saída de Emergência. O que gostava que houvesse de diferente? Maior exposição do que se vai fazendo lá fora, e que quase não chega a Portugal.

Outubro de 2015

Estranha, mas felizmente, este mês parecem abundar as críticas a livros de ficção científica, com destaque para os recentes Arranha-céus de J.G. Ballard e Estação onze de Emily St. John Mandel. É bom que assim seja – são dois dos mais recentes lançamentos do género em Portugal e, apesar de não terem sido particularmente anunciados como tal, alimenta alguma chama de esperança de ver fortalecer o género por cá.

Por outro lado, foram, também, várias as críticas a livros muito mais antigos e quase esquecidos como A Guerra Eterna de Joe Haldeman ou a antologia Com a cabeça na Lua.

arranha ceus

Lançamentos nacionais relevantes

O Papiro de César – R. Goscinny e A. Uderzo – Edições Asa;

Arranha-céus – J.G. Ballard – Elsinore;

Os últimos na terra – Robert C. O’Brien – Editorial Presença;

Os assaltos à Padaria – Haruki Murakami e Kat Menschik – Casa das letras;

– Colecção Marvel – Salvat;

Esquadrão da Luz – Peter Tomasi e Peter Snejbjerg – G Floy;

Saga Volume 3 – Brian Vaughan e Fiona Staples – G Floy;

Fatale Volume 3 – Ed Brubaker e Sean Phillips – G Floy;

estacao 11

Críticas interessantes

Ficção científica

Stand on Zanzibar – John Brunner – Intergalacticrobot;

Arranha-céus – J.G. Ballard – Deus me Livro, As leituras do Corvo, Roda dos Livros;

The day of the Triffids – John Wyndham – Que a estante nos caia em cima;

O Marciano – Andy Weir – Letras sem fundo;

Comandante Serralves – vários autores – My very own lines;

Com a cabeça na Lua – vários autores – Leitora de fim-de-semana;

Solarpunk – vários autores – Nível Épico;

A Guerra Eterna – Joe Haldema – D’Magia;

Estação onze – Emily St. John Mandel – As leituras do Corvo, Viajar pela leitura;

The Hungry City Chronicles – Philip Reeve – Biblioteca mil;

Almanaque Steampunk – vários autores – Intergalacticrobot;

rainha vermelha 2

Fantasia

Rainha Vermelha – Victoria Aveyard – Pedacinho literário;

A Terra das Lágrimas – Terry Goodkind – Deus me Livro;

h alt 2

Banda desenhada

Demolidor: partes de um todo – David Mack – As Leituras do Pedro;

Living Will #1 – André Oliveira – Que a estante nos caia em cima;

The Walking Dead Vol.12 – Robert Kirkman, Charlie Adlard, Cliff Rathburn – aCalopsia;

Astérix e o Papiro de César – R. Goscinny e A. Uderzo – Leituras de BD, Máquina de escrever;

– Revista H-Alt 1 – aCalopsia;

Homem-aranha: regresso às origens – J. Michael Straczynski – As Leituras do Pedro;

lisboa triunfant 2

Outros

Lisboa triunfante – David Soares – My very own lines, Nuno Ferreira;

O livro dos seres imaginários – Jorge Luís Borges – Deus me Livro;

Sete minutos depois da meia-noite – Patrick Ness – Floresta de Livros;

A sombra sobre Lisboa – vários autores – Nuno Ferreira;

Sr. Bentley, O Enraba Passarinhos – Ágata Ramos Simões – My very own lines;

O feiticeiro e a bola de cristal – Stephen King – Nuno Ferreira;

estante

Outros artigos

– Graphic Novels, ou a banalização de uma denominação – Leituras de BD;

– Quarenta andares de caos – Máquina de escrever (sobre o recente livro do Ballard);

– O Super-homem já não é Clark Kent. E é camionista – Observador;

– O Futuro é Agora –  Revista Estante;

– À noite, no Gerês, quem quer andar pelos caminhos das bruxas – Público;

– Prémio Hernâni Cidade para obra de João Rogaciano – Cultura ao minuto;

– Anúncio do vencedor do Prémio Divergência 2015;

– Festa chama três mil visitantes a aldeia com 17 moradores – DN;

– O Porto tem três novas livrarias e todas elas diferentes – Público;

Eventos nacionais

– FOLIO – DN;

Ciclo de conversas – confesso que li;

– Alice 150 anos;

– Recordar os Esquecidos;

Resumos nacionais anteriores

Setembro 2015

Julho / Agosto 2015

Junho 2015

 

 

Eventos: Inauguração Livraria Distopia

inauguracao

Num dos locais mais privilegiados da cidade irá ser inaugurada, hoje, uma livraria de nome peculiar: Distopia. Esta nova livraria irá ter, para além de livros recentes, uma secção de usados e uma secção de livros em inglês.

Distopia 1

Mas não vendem só livros e não prevêm ter um papel passivo na venda de livros. Terão também música à venda, e prevê-se que dinamizem eventos literários como lançamentos, leituras infantis ou tertúlias temáticas.

Distopia 2

Curiosos? Eu estou. Para além de bem localizado, o espaço parece agradável e passarei por lá assim que tiver oportunidade. Para mais detalhes sobre o espaço e a sua localização exacta, podem consultar a página oficial.

distopia 3

Assim foi: David Brin Lecture

IMG_6045

Chegada à livraria, é no andar de baixo que nos espera David Brin – um autor carismático com vários livros publicados em Portugal pela Europa-América, na colecção de ficção científica. Como em qualquer evento em Portugal esperaram-se mais dez minutos para além da hora não fosse alguém chegar atrasado e foi neste compasso de espera que aproveitei para questionar se o autor iria poder assinar livros. A resposta não só foi positiva, como o autor tratou logo de sacar da caneta e autografar os 13 livros que levei. Sim. 13. E ainda ficaram alguns cá por assinar.

 

IMG_5750

A sessão iniciou-se com uma introdução de Maria Paula, onde se resumem alguns dos princípios fundamentais de cada um dos livros de David Brin. Após este resumo David Brin começa por apresentar alguns dos livros que tenta espelhar nas suas histórias: resistência à autoridade, excentricidade, diversidade, tolerância e individualidade. Partindo destes princípios, e passando por clássicos como 1984 de Orwell e Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley o autor continuou dissertando sobre a evolução da sociedade.

Após alguns minutos foram óbvias as bases em torno das quais rodavam as ideias apresentadas: a comparação entre a estrutura hierárquica fixa (triângulo típico característico da idade média) e a estrutura mais dinâmica em losango da sociedade actual; o ridículo da unidimensonalidade da política (esquerda e direita); ou o colectivo como suporte ao indivíduo. Entre estes conceitos é de realçar a opinião de David Brin sobre a vigilância em que refere que esta deveria servir para vigiar todos (ao menos seria igualitária).

 

IMG_5768

Mas houve mais. Ideias de como contornar a sociedade consumista ou breves noções da evolução do ser humano na literatura enquanto criador (de realçar os exemplos tradicionais de Frankenstein e Ilha do Dr. Moreau mas também A Guerra da Elevação do próprio autor). Finalmente, entre perguntas da audiência falou-se também do conceito de overmind, sendo perspectiva do autor de que esta poderia surgir como mais uma camada na psique humana, uma mente partilhada e comum.

Claro que estas são poucas linhas para descrever o muito que o autor falou de vários temas, alguns dos quais são visíveis nos livros, aproveitando o autor, também para publicitar o seu mais recente livro. Concordando-se (ou não) com algumas das ideias apresentadas, há que lhe dar o crédito devido – David Brin é um excelente orador que explorou algumas teorias interessantes de forma coerente, tendo esta sido uma sessão bastante envolvente, não só pela ficção científica, como pelas ideias expostas.

Maio de 2015

Aqui fica mais um resumo mensal sobre ficção especulativa em Portugal. Esta listinha resume o que achei mais interessante este mês em solo nacional (ou sobre projectos portugueses). Claro que se resume ao que tive acesso, existindo de certeza mais artigos que poderiam cá constar. Convido a deixarem novos blogs a seguir ou outros artigos que tenham achado interessantes.

estamos todos_

Lançamentos Nacionais Relevantes

Este foi um bom mês para os lançamentos nacionais:

O Grande Bazar – Peter V. Brett – Asa;

Número zero – Umberto Eco – Gradiva;

Os bebés de água – Charles Kingsley – Tinta-da-china;

A pedra das águas – Terry Goodkind – Porto Editora;

A espada de Shannara – Terry Brooks – Saída de Emergência;

Estamos todos completamente fora de nós – Karen Joy Fowler – Clube do autor;

O Dragão de gelo – George R. R. Martin – Gailivro;

Viagens de Chapéu – Susana Cardoso Ferreira – Oficina do livro.

Críticas interessantes

wayward_

Ficção científica

Dreaming 2074 – Vários autores – Intergalacticrobot;

The Lifecycle of Software Objects – Ted Chiang – Que a Estante nos Caia em Cima;

Wayward Pines – Blake Crouch – Livros, livros e mais livros;

O Guardião de Memórias – Lois Lowry – Folhas do Mundo;

Over the top – Vários autores – Intergalacticrobot;

Mais que humano – Theodore Sturgeon – Que a Estante nos Caia em Cima;

insonho 2

Fantasia

Insonho: Durma bem – Vários autores – Que a Estante nos Caia em Cima;

Monstros fantásticos e onde encontrá-los – Newt Scamander – Deus me Livro;

A Ironia e Sabedoria de Tyrion Lannister – George R. R. Martin – Leituras do Corvo;

As Terras Devastadas – Stephen King – Nuno Ferreira;

A Lâmina – Joe Abercrombie – Livros, livros e mais livros;

O Dragão de gelo – George R. R. Martin – Deus me Livro;

Solomon – Carlos Pedro – aCalopsia;

Sete minutos depois da meia-noite – Patrick Ness – Uma Biblioteca em Construção;

Roy Just Wants to Have Fun – Victor Frazão – Uma Biblioteca em Construção;

Dias de sangue e glória – Laini Taylor – Deus me Livro;

Deixa-me entrar – John Ajvide Lindqvist – Livros, livros e mais livros;

Universos Literários – Vários autores – Floresta de Livros;

O Gigante Enterrado – Kazuo Ishiguro – Deus me Livro;

saga_

Banda desenhada

Mort Cinder – Héctor Oesterheld – Intergalacticrobot;

Bando de dois – Danilo Beyruth – As leituras do Pedro;

Saga (Vol. 1 e 2) – Brian Vaughan – Leituras de BD;

O Cavaleiro de Westeros – George R. R. Martin – Leituras do Corvo;

O Long Halloween – Jeph Loeb – Que a Estante nos Caia em Cima;

Fatale (Vol. 2) – Ed Brubaker e Sean Philips – As leituras do Pedro;

O livro do Mr. Natural – Robert Crumb – Intergalacticrobot;

alquimista

Outros

As Cidades Invisíveis – Italo Calvino – Nuno Ferreira;

A Alquimista das Cores – Aimee Bender – As Leituras do Corvo;

fran

Outros Artigos

– Quem tem medo de Palmer Eldritch – Máquina de Escrever;

– O Templo do Espírito Santo – Flannery O’Connor – Contos não Vendem;

– “Frankenstein” na Quinta da Regaleira – Câmara Municipal de Sintra;

– Entrevista a Lauren Beukes – Jornal i;

– Hazul por Hazul – Diário de Notícias;

– Reportagem Antena 1 sobre banda desenhada – RTP;

Science Fiction and Fantasy Books at Bivar Bookshop;

– 17 Imagens que colocam Portugal no Centro da Arte Urbana – Green Savers;

Eventos

– Outras literaturas: Ficção científica – Intergalacticrobot;

– Sustos às sextas V – Intergalacticrobot;

– Feira do Livro do Centro de Recursos Poeta José Fanha – Intergalacticrobot;

– XI Festival Internacional de BD de Beja – Leituras de BD – Fotoreportagem e Opinião;

– Tolkien: Constructor de Mundos – Viagem a Andrómeda [mini];

Recordar os Esquecidos;

Resumos mensais anteriores

Fevereiro 2015

Março 2015

Abril 2015

Assim foi: Outras literaturas – Banda desenhada

pf_jornal18_bd_maquete1-1

Infelizmente cheguei tarde, mas ainda foi o suficiente para que a discussão se debruçava sobre o impacto político, consciente ou inconsciente, do trabalho de cada um dos autores, Anton Kannemeyer, Marcelo D’Salete e Posy Simmond, enquadrando-se esse impacto nos países onde forem publicados. Discussão interessante, apesar deconsiderar também bastante importante o “simples” aspecto lúdico e criativo da banda desenhada.

IMG_5369

No final, houve perguntas! Bastantes, o suficiente para terem de dizer “só mais esta”, o que é raro de ocorrer. E aqui falou-se das novas tecnologias, e da sua utilização (ou não) na criação das pranchas, prosseguindo-se para disponibilização virtual desse trabalho. Apesar do curto tempo que pude assistir é de realçar as boas condições do espaço (com traduções em simultâneo), e o quão composta estava a sala (apesar da fotografia apenas mostrar a parte mais vazia).

Este é o tipo de iniciativas que se querem ver mais por cá, com autores reconhecidos internacionalmente nos vários géneros da literatura, um interesse que tinha sido esquecido há muito pela fundação Gulbenkian. Esperemos que esta seja apenas a primeira de muitas.

Abril de 2015

Aqui fica mais um resumo mensal sobre ficção especulativa em Portugal. Esta listinha resume o que achei mais interessante este mês em solo nacional (ou sobre projectos portugueses). Claro que se resume ao que tive acesso, existindo de certeza mais artigos que poderiam cá constar. Convido a deixarem novos blogs a seguir ou outros artigos que tenham achado interessantes.

gigante 2

Lançamentos Nacionais Relevantes

Talvez por causa da proximidade da Feira do Livro, ou simplesmente coincidência, este foi um bom mês para a ficção especulativa

O Gigante Enterrado – Kazuo Ishiguro – Gradiva;

O Homem do Castelo Alto – Philip K. Dick – Saída de Emergência (é uma nova edição);

Dias de sangue e Glória – Laini Taylor – Porto Editora;

Bestiário – Julio Cortazar – Cavalo de Ferro;

A Música do Silêncio – Patrick Rothfuss – Asa;

Fatale Vol.2 – G Floy;

Saga Vol.2 G Floy;

long2

Críticas interessantes

Ficção científica

Continuam a ser poucos os que criticam SF, mas eis alguns relevantes:

The New Atlantis – Ursula K. Le Guin – Nuno Ferreira;

The Long Tomorrow – Leight Brackett – Intergalacticrobot;

Seventy-two Letters – Ted Chiang – Que a Estante nos Caia em Cima;

Contos vários Fantasy&Co – Tales of Gondwana – estão a ser comentados vários dos contos disponíveis gratuitamente, alguns de autores já conhecidos de antologias portuguesas como Ricardo Dias, Carina Portugal ou Pedro Cipriano;

Behold the Man – Michael Moorcock – Intergalacticrobot;

insonho 3

Fantasia

De realçar o aparecimento contínuo de livros de autores portugueses:

A segunda vinda de Cristo à Terra – João Cerqueira – Uma Biblioteca em Construção;

Insonho: Durma bem – Vários autores – Intergalacticrobot;

O Lobatruz e outras desventuras – Judith Nogueira – Deus me Livro;

Bons Augúrios – Neil Gaiman e Terry Pratchett – Nuno Ferreira;

A cada dia – David Levithan – Floresta de Livros;

A Música do Silêncio – Patrick Rothfuss – Uma Biblioteca em Construção;

Coisas frágeis – Neil Gaiman – Nuno Ferreira;

mucha 2

Banda desenhada

Mucha – David Soares – Intergalacticrobot;

A Metrópole Féerica – José Carlos Fernandes – aCalopsia;

Le Confesseur Sauvage – Philippe Foerster – As Leituras do Pedro;

A Arte de Voar – Altarriba e Kim – Intergalacticrobot;

Comprimidos azuis – Frederik Peeters – Leituras de BD;

Em Busca de Peter Pan – Cosey – As Leituras do Pedro;

Moonhead and the Music Machine – Andrew Rae – Máquina de escrever;

Outros

Os que não me parecem encaixar directamente em nenhuma das categorias anteriores:

História Universal da Infâmia – Jorge Luís Borges – Deus me Livro;

Swan song – Robert McCammon – Intergalacticrobot;

sdom 2

Outros Artigos

Estranhos são os dias em que estou a adicionar uma ligação ao Correio da Manhã…

Colecção Universo Marvel – Que a Estante nos caia em cima;

Um desabafo e uma bela colecção de banda desenhada – Caderião Voltaire;

Bairro problemático na periferia de Lisboa vira galeria de Arte – Conexão Lusófona;

Tracking with close-ups (7) – Viagem a Andrómeda – e porque o título diz muito pouco, fala-se de Terry Pratchet;

A Ficção de ideias de Ted Chiang – Que a Estante nos caia em cima;

Corrida infestada de Zombis em Sintra – Correio da Manhã;

Muitos poucos dedos de conversa sobre cinema de forma quase nada informada – Ficções Distópicas – Que a Estante nos caia em cima;

Luís Corredoura galardoado com um encouragement award – Jornal de Mafra;

Eventos

Sustos às sextas – espreitem também a perspectiva em Intergalacticrobot, bem como os vídeos em Cadernos de Daath,

Animacomics 2015 – Intergalacticrobot, aCalopsia;

Festival In – Intergalacticrobot – as coisas interessantes que se puderam ver na FIL, ficção científica tornada realidade;

Recordar os Esquecidos.

Resumos mensais anteriores

Janeiro 2015

Fevereiro 2015

Março 2015

Série de links interessantes

steampunk pub romania

Bar steampunk – Romania

E existe alguma razão para que estas compilações se iniciem por diversas vezes com o tema Steampunk – o cruzamento das engenhocas com qualquer estilo originam belíssimos espaços e peças de arte. Neste caso trata-se de um bar na Romania. No artigo podemos ver que, entre mesas toscas e quadros de cavaleiros com goggles, se encontram zeppelins a servir de candeeiro, transportes aquáticos semelhantes a polvos, e máscaras robóticas com engenhocas de roldanas.

coelho

Esculturas surrealistas de Ellen Jewett – clicar na imagem para visualizar artigo e outras esculturas

Mudando totalmente de estilo,esta delicada escultura é apenas uma das muitas que podem visualizar no artigo sobre a arte de Ellen Jewett. Surrealistas e pouco densas, como que recordando um sonho ou uma mistura do essencial dos corpos com a imaginação, a maioria das esculturas junta partes de mais de um animal ou objecto, resultando em fantásticas peças mesmerizantes. Caso estejam curiosos, as peças estão à venda na galeria oficial da artista, desde preços acessíveis (65€) a proibitivos (2 500€).

wire-sculptures-richard-stainthorp-3

Menos naturais e mais metálicas, mas igualmente fantásticas, são as esculturas de Richard Stainthorp. Explorando principalmente a figura humana em transfigurações fantasiosas de imensa fluidez, as peças conseguem ser fabulosas. Apesar da uniformidade em material e cor possuem uma estranha vivacidade.

Eis, outros artigos sobre arte fantástica, bastante interessantes:

Fantast in Focus: Daniel Merriam – imagens espectaculares carregadas de arabescos que transformam qualquer estrutura banal em algo espectacular;

Salvador Dali illustrates Alice in Wonderland – em 1969 o artista terá realizado 12 gravuras para uma versão ilustrada do livro, cada uma mais espectacular do que a anterior.

legendarylands_umbertoeco

Agora para um tema mais literário – alguém recorda o fantástico Baudolino de Umberto Eco? Um livro passado em terras imaginárias com animais míticos, tudo envolto em tropelias de mentiroso? Bem, eis a razão pela qual me recordei desta obra – Legendary Lands, também de Umberto Eco, explora mapas de sítios imaginários e apresenta dissertações sobre a nossa atracção por estes temas. Neste artigo podem ver um pouco mais do que nos espera com a leitura. Continuando com terras inventadas baseadas na realidade, aconselho a leitura deste artigo – Fantasy Worlds that break history’s back. Aqui encontram uma pequena dissertação sobre a transfiguração da história e da realidade.

E entre os artigos que mais gosto de manter, encontram-se sempre algumas listagens de livros, por títulos curiosos:

13 Fantasies Inspired by Mythology from the British Isles – esta pequena lista possui alguns livros óbvios como Mythago Wood de Robert Holdstock, mas também obras menos conhecidas que valerá a pena explorar para quem gosta deste género;

Five books that are also labyrinths – novamente pela TOR.com, um curtíssimo conjunto que possui alguns dos meus livros favoritos e outros que, neste seguimento, foram logo adicionados à lista de aquisições futuras;

Five books about weird metropolises – outra lista que contem obras favoritas, mas à qual, sem pensar muito, juntava muitos mais! Como The Other City de Michal Ajvaz;

16 Ecologically-minded speculative fictions – e se o conceito vos repele ou vos desinteressa, basta olhar para o início da listagem para perceber que talvez estejam a passar à frente de boas obras: Annihilation de Jeff Vandermeer, Oryx and Crake de Margaret Atwood, ou Stand on Zanzibar de John Brunner.

OK, Where do I start with that – a lista das listas – Jo Walton fez um grande índice alfabético explorando a cada letra um conjunto de autores e sugerindo livros para iniciar a leitura. Concordando-se ou não com algumas das escolhas, contem excelentes sugestões, que ainda não tive tempo de explorar para além da letra C. Sim, o conjunto é assim tão grande!

Finalmente, sem qualquer categoria específica eis mais quatro artigos:

Origins of the ghoul – figura explorada raramente nas recentes obras de fantástico negro ou horror, apresenta-se como uma transfiguração da espécie humana;

Jessamy Taylor’s top 10 castles in fiction – castelos que inspiraram ou serviram de palco para grandes obras;

11 Facts about Shirley’s Jackson The Lottery – o excelente conto distópico deu que falar e incomodou muita gente;

9 Great songs about libraris, librarians and books – e porque não ouvirmos, também, algo relacionado com livros?

Março de 2015

Aqui fica mais um resumo mensal. Esta listinha resume o que achei mais interessante este mês em solo nacional (ou sobre projectos portugueses). Claro que se resume ao que tive acesso, existindo de certeza mais artigos que poderiam cá constar. Convido a deixarem novos blogs a seguir ou outros artigos que tenham achado interessantes.

o ultimo

Críticas interessantes

Ficção científica

Escasseiam as públicações, as leituras e consequentemente as críticas de ficção científica. Ainda assim, vão aparecendo, dois livros de contos, e, bastante supreendente, dois de autoria portuguesa, ainda que um não seja publicado sob o cunho de SF:

Teremos sempre Paris – Ray Bradbury – Leituras do Corvo Fiacha;

O Último Europeu – Miguel Real – Simetria;

Por mundos divergentes – vários autores – Floresta de livros.

insonho 2

Fantasia

Já publicação de livros de fantasia há com fartura, mas pouca é aquela que não é juvenil ou excessivamente romantizada e pouco original. Eis alguns dos livros que no meio das dezenas de publicações se destacam (mesmo A Quimera de Praga sendo juvenil parece, pelas críticas, interessante):

Insonho: Durma bem – vários autores – Tales of Gondwana;

The Whispering Swarm – Intergalacticrobot;

A Lenda do Vento – Stephen King – Nuno Ferreira;

A quimera de Praga – Laini Taylor – Uma Biblioteca em construção.

beterraba.

Banda desenhada

Neste ramo não faltam as boas publicações e são imensos os leitores e críticas. Difícil é escolher as melhores:

Saga 4 – Brian K. Vaughan – Que a estante nos caia em cima;

Beterraba – a vida numa colher – Miguel Rocha – aCalopsia;

Foi assim a guerra nas trincheiras – Jacques Tardi – As leituras do Pedro;

A viagem – Edmond Baudoin – Intergalacticrobot;

Eu mato gigantes – Joe Kelly e Ken Nimura – aCalopsia;

Que luz estarias a ler – Ana Biscaia e João Pedro Messeder – Cadeirão Voltaire;

Um contrato com Deus – Will Eisner – Intergalacticrobot;

A louca do sacré-coeur – Jodorowski e Moebius – aCalopsia.

sete minutos

Outros

Sobre aqueles livros que, no meu entender, não encaixam em nenhuma das anteriores categorias, ainda que genericamente possam ser considerados como ficção especulativa. Eis os artigos que me ficaram:

O grande manuscrito – Zoran Zivkovic – Deus me livro;

O Rei de Ferro e a Rainha Estrangulada – Maurice Druon – Leituras do Corvo Fiacha;

Sete minutos depois da meia-noite – Patrick Ness – Deus me livro;

As raparigas cintilantes – Lauren Beukes – Nuno Ferreira;

Golpes – Jean Meckert – Deus me livro.

Outros artigos

Menos literários, ou não se centrando apenas num livro, mas mais num autor ou acontecimento, eis outros artigos interessantes que fui encontrando este mês, ou projectos de destaque (como Contos não Vendem ou Biblioteca Fantasma).

Lobos. História de guerra e de paz com magia dentro – Público;

O Episcopado da Argentina de Bernard Quiriny lido por Pedro Vieira – Contos não vendem;

No one is actually dead until the ripples they cause the world die away – Viagem a Andrómeda;

Como a tecnologia nos muda, ou não… – Virtual Illusion;

Batman: 75 anos de aventuras – As leituras do Pedro;

Ilustrador convidado – Hélio Frazão – Bang;

Biblioteca Fantasma – Imaginauta.

Lançamentos nacionais relevantes

Os lançamentos são poucos, mas ainda vão surgindo alguns:

A colecção Lua Cheia – Civilização Editora – à falta de site próprio da editora, deixo a listagem consultável na FNAC;

1974 – Filipe Verde – estarei a ver história alternativa portuguesa?

Eventos

E nesta altura do ano que costuma ser um vazio de eventos, Março continuou mostrando que 2015 é excepção. Esperemos que assim continue:

– Sustos às sextas (aqui podem encontrar o relato de Artur Coelho, e aqui, o meu) – o evento deste mês teve direito a apresentação de João Barreiros sobre o horror e a exposição de várias obras em torno dos monstros clássicos;

Recordar os esquecidos – cada vez mais movimentado de sessão a sessão, teve como convidadas Patrícia Portela e Irene Pimentel.

Outros resumos

Dezembro 2014

Janeiro 2015

Fevereiro 2015

FIL – Outlet, Bagageira e outras coisas

Print

As feiras marcadas para este fim-de-semana há muito tempo que estão agendadas e publicitadas – lembro-me de receber avisos há cerca de um mês, por e-mail. Quando lá cheguei a primeira surpresa até foi agradável – o preço do bilhete era bastante inferior ao indicado e incluia entrada para as três feiras a decorrer.

Depois da entrada veio a desilusão – em qualquer dos pavilhões notavam-se os espaços vazios e desocupados em que cheguei a pensar – porque não juntaram tudo num único? Sempre dava uma sensação de menor abandono. De resto, notavam-se alguns espaços fora do contexto o que não beneficiou a sensação de vazio.

Comecemos pela Bagageira. O espaço estava bastante ocupado pelos carros da ACP, restando apenas espaço para meia dúzia de vendedores com velharias várias. Pouco ou nada vi de interessante nesta zona, que facilmente é ultrapassada pela feira do Príncipe Real, quer em quantidade, quer em variedade.

Se houve fábricas a levar restos de colecção para a feira de Outlet, pouco se reparou. Havia uns três espaços com sapatos que não se realçavam pela variedade e vários espaços para a roupa, que não despertava interesse suficiente para parar e ver melhor. Ficaram-me na memória um espaço com jogos para consola e PC, meia dúzia de espaços com bijuteria e uma secção de comidas bem composta.

De resto, a maioria do espaço ocupado, estava-o graças a uma pista de neve para crianças, um pavilhão enorme da Leya, uma secção para a polícia, para o centro de emprego da Amadora e várias, mas mesmo várias, instituições a pedir contribuições. Já agora, o pavilhão enorme da Leya tinha bastante espaço para autores (muito mais do que para livros), mas não me recordo de ter sido publicitada a presença dos autores nesta feira.

Eventos: Fórum fantástico – dia 2

ff2014b

Após uma grande correria, lá cheguei ao Fórum, ainda a tempo da apresentação da antologia Comandante Serralves (a qual já li e comentei), um projecto que me parece interessante ir acompanhando. Seguiu-se a apresentação da antologia Insonho, pela qual estou curiosa, mas que ainda não foi lançado – uma séria de histórias fantásticas (ou sobrenaturais) que ocorrem em terras portuguesas (de preferência, bem no meio das vilas inóspidas).

IMG_2422

De seguida aproveitei para lanchar, voltando para o debate em torno de Cortázar em que participaram José Mário Silva, Diogo Madre Deus e João Morales. Ainda em torno de Cortazar, foram apresentados os vencedores dos prémios de fotografia Cortázar Frames. E eis finalmente o grande momento da noite: Por onde anda Rhys Hughes? onde o autor galês discursou sobre as suas obras e influências literárias, passando por vários autores sul americanos (alguns óbvios como Borges ou Córtazar), ou latinos.

O dia terminou com a apresentação dos Prémios Adamastor do Fantástico, de onde se destaca a categoria votada pelo público, onde ganhou Lisboa no Ano 2000 (antologia organizada por João Barreiros).

 

Uma série de links nacionais interessantes – Outubro

TheOnesWhoWalkAwayFromOmelas

À semelhança de Setembro, decidi reunir, num pequeno post, os artigos nacionais que mais me interessaram durante o passado mês de Outubro. Claro que a minha selecção é limitada ao que vi e li, caso saibam de outros, podem deixar o link !

Opiniões e resenhas

The Ones Who Walk Away from Omelas de Ursula K. Le Guin – O Senhor Luvas

Acácia de David Anthony Durham – Leituras do Fiacha

Teremos sempre Paris – Ray Bradbury – As leituras do corvo

Valsa com Bashir de Ari Folman – Que a Estante nos Caia em Cima

Lusitano Fado de Luís Corredoura – Intergalacticrobot

1Q84 de Haruki Murakami – Virtual Illusion

Lisboa no Ano 2000  – Leituras do Fiacha

Sepulturas dos pais de David Soares e André Coelho – Intergalacticrobot

Pyongyang de Guy Delisle – Que a Estante nos Caia em Cima

The Wandering Earth de Liu Cixin – Intergalacticrobot

A Imagem de Joel Gomes – Que a Estante nos Caia em Cima

Shaun Tan

Outros artigos

– O Mundo Maravilhoso de Shaun Tan – Virtual Illusion

– “O homem-javali vai casar” na Antologia “Crumbs” da Kingpin Books – Cadernos de Daath

25º Amadora BD – Leituras de BD

Context (4) – Andrómeda [Mini]

Ana C. Nunes – Livros nas Estrelas

Revista N.º 2 do Báu do Cantinho do Fiacha

Os Filmes de fantasia e ficção científica do último trimestre do ano

 

Eventos – Painel Literatura Negra

Copiando o próprio site do MotelX :

A propósito da secção Quarto Perdido, o MOTELx 2014 vai realizar um painel dedicado à literatura de terror, vulgo “negra”, produzida em Portugal, moderado por Safaa Dib (coordenadora editorial na Saída de Emergência), e com a participação de João Seixas (autor e crítico literário), Pedro Piedade Marques (designer gráfico), Nuno Duarte (argumentista) e Rodrigo Areias (realizador e produtor).

A realizar dia 11 de Setembro, pelas 19h00 na Sala Montepio do Cinema S. Jorge.

[Lançamento] Compêndio de Segredos Sombrios e Factos Arrepiantes

Finalmente chegou uma das épocas mais esperadas do ano, a Feira do Livro, e com ela alguns eventos interessantes. Este ano já sei que vou querer visitar a Feira dia 12 de Maio. O que acontece? O lançamento do último livro de David Soares, pelas 16h30 no auditório da APEL, apresentado por António de Macedo.

Para mais informação sobre o livro consultem o blog.

 

Novembro Fantástico – Parte 3 (Fórum Fantástico)

Depois do lançamento da Bang! 8 e do colóquio Mensageiro das Estrelas, ainda tivemos o Fórum Fantástico no mês de Novembro, nos dias 12, 13 e 14, na Biblioteca de Telheiras.

12 de Novembro, Sexta-Feira:

17:00 – Painel “Arte Fantástica”, com Victor Lages, Bruno Krippahl e Tiago Lobo Pimentel, moderado por Ana Maria Baptista.

Visualmente interessante, neste painel mostraram-se imagens que têm o fantástico como tema, algumas das quais que integram jogos de computador. Neste sentido, desenrolou-se um pequeno debate entre os apresentadores e alguns dos membros da plateia sobre o significado de arte: seriam as imagens de Photoshop arte? E o que dizer dos jogos de computador? Será que podem, também, ser considerados arte?

18:30 – Lançamento “A Simbólica do Espaço em O Senhor dos Anéis”, com a autora Maria do Rosário Monteiro.

Maria do Rosário Monteiro apresentou A Simbólica do Espaço em O Senhor dos Anéis, um ensaio em torno da obra de Tolkien, onde a autora explora os distintos palcos da história. Este foi um lançamento bastante interessante, onde se notou o quão habituada a autora está a expor as suas ideias. No final, as perguntas não paravam, e não fosse por falta de tempo a apresentação ter-se-ia alongado mais.

13 de Novembro, Sábado:

15:00 – Painel “Lisboa Fantástica”, moderado por Rui Tavares, com João Barreiros, David Soares e Octávio dos Santos.

Excelentemente moderado, este painel apresentou a noção da cidade que cada um dos autores possui: luminosa ou escura, escondida ou revelada. Se Octávio dos Santos expande a cidade, João Barreiros já a explodiu por diversas vezes nas suas histórias, e David Soares escolhe uma Lisboa pré-terramoto caracterizada por ruelas pouco iluminadas e um ambiente mais soturno.

16:00 – Cinema Fantástico Português – Curtas (“A Audição”, de Francisco Campos e Henrique Bagulho; “Nocturna”, de Francisco Carvalho; “A Aposta”, de Vasco Sequeira).

Apenas assisti à curta A Audição, mas acostumada às pasteladas do cinema português achei esta curta bastante melhor, quer em termos de imagem e som, quer em termos de história.

17:30 – Lançamento “A Luz Miserável”, com o autor David Soares.

A Luz Miserável, de páginas pretas e letras brancas (e odor indescritível), traz-nos três novas histórias negras do autor David Soares, que terão relação com os seus últimos três romances: do suspense ao splatterpunk. Como sempre uma apresentação interessante e inteligente do autor. O livro esse, aguarda a leitura de Lisboa Triunfante e de O Evangelho do Enforcado, pelo que não poderei comentá-lo – por enquanto.

18:00 – À Conversa com Ricardo Pinto, por Rogério Ribeiro.

Ricardo Pinto é o autor da trilogia fantástica lançada pela Editorial Presença, A Dança de Pedra do Camaleão. Após longos anos de espera, o terceiro e último volume foi publicado recentemente. Uma espécie de purga psicológica do autor luso-descendente, a história decorre num ambiente fantástico diferente do usual, numa sociedade patriarcal onde os nobres nunca tiram as máscaras. Um ambiente interessante que me recordo de gostar, apesar de ainda não ter lido o último volume.

Durante a conversa Ricardo Pinto revelou algumas características da sua vivência familiar que terão sido exploradas nos livros, e falou sobre a experiência de escrita. No final, revelou que, depois de outros projectos que tem em curso, talvez volte a escrever algo passado no mesmo mundo.

18:30 – À Conversa com Stephen Hunt, por Luís Corte-Real.

Enquadrados no género Steampunk, os livros de Stephen Hunt terão sido dos primeiros do género a obter uma grande exposição comercial. A Corte do Ar é o primeiro de uma série, onde cada um dos volumes pode ser lido independentemente.

19:00 – À Conversa com Peter V. Brett, por Pedro Reisinho.

A série fantástica de Peter V. Brett é uma das mais viciantes dos últimos tempos. Apresentando uma realidade onde a tecnologia terá sido esquecida e os demónios sobem das profundezas todas as noites para caçar humanos, Peter V. Brett explora o desenvolvimento de um Messias que irá expulsar os demónios. Até agora as personagens têm-se revelado humanas, ou seja, não são inteiramente boas ou más, ainda que de vez em quando as suas acções possam ser interpretadas como tal. Para um dos próximos volumes, o autor prometeu explorar o lado dos demónios.

14 de Novembro, Domingo:

15:00 – Sugestões de Leitura, com Ana Cristina Alves e João Barreiros.

João Barreiros fala com um entusiasmo contagiante! Entre os livros referidos encontramos Kraken de China Miéville, Finch de Vandermeer, Locke & Key de Gabriel Rodriguez  e Joe Hill, The Quantum Thief de Hannu Rajaniemi ou The Passage de Justin Cronin.

15:30 – Painel “Banda-Desenhada”, com Filipe Melo, Nuno Duarte, Osvaldo Medina, Rui Ramos, Fil, André Oliveira e Diogo Carvalho.

Este quase que já pode ser considerado O Painel Anual de Banda Desenhada, onde os autores apresentam os seus novos projectos (existem algumas presenças constantes). Ainda que tenha gostado das apresentações, acho que gostaria de ter visto alguns daqueles projectos mais esmiuçados, ou seja, seria interessante dar mais tempo aos lançamentos deste ano, com rubrica própria no horário ao invés de concentrados na mesma meia hora. Isto porque… começam a ser projectos a mais para apresentar em tão pouco tempo. Ou foi esta a sensação com que fiquei.

17:00 – Painel “Fantástico como forma literária”, moderado por João Morales, com Afonso Cruz e João Pedro Duarte.

Com uma moderação impecável e perspicaz João Morales aproveitou as obras dos autores para lhes colocar perguntas sobre o género, desenvolvendo-se uma conversa interessante e inteligente.

_______________________

Para os interessados, existe uma página no facebook onde se reúnem vídeos e opiniões do evento.

Notícias Fantásticas – Feira do Livro de Lisboa

A Feira do Livro de Lisboa começa já esta semana, e ainda que o site oficial esteja em construção, algumas editoras já começaram a anunciar alguns eventos.

Dos vários autores que a Editorial Presença pretende levar à Feira, realçaria o lançamento do terceiro livro, em português da trilogia A Dança de Pedra do Camaleão de Ricardo Pinto: O Terceiro Deus. O lançamento irá decorrer pelas 16h do dia 8 de Maio.

Para além de Ricardo Pinto, podemos esperar as presenças habituais de Filipe Faria, Sandra Carvalho e Rafael Loureiro, os autores, respectivamente de As Crónicas de Allaryia, A Saga das Pedras Mágicas e Trilogia Nocturnus.

Já na próxima sexta (dia 30 de Abril) Filipe Melo estará presente com o livro As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy.

Por sua vez,  da QuidNovi, será lançado O Monstro, o primeiro volume de A Guerra das Sombras da autoria de Catarina Araújo. O livro será apresentado por João Barreiros, dia 2 de Maio pelas 16h.

Também David Soares estará no stand da Saída de Emergência para “personalizar exemplares”, dia 1 de Maio pelas 16h.

Entretanto, criei um calendário público para ir actualizando com os eventos relacionados com o fantástico e a ficção científica, a decorrer na feira do livro.

Notícias fantásticas (04.11.2009)

 

Começam a ser conhecidos mais detalhes sobre o evento fantástico que irá decorrer nos dias 21 e 28 de Novembro, na biblioteca municipal de Telheiras, mais especificamente, foi publicada a lista de convidados do evento.

Para além das Conversas Imaginárias, poderão encontrar a partir de dia 9 de Novembro a exposição “Há Conversas com o IMAGINarte”, com ilustrações da autoria dos membros do Núcleo de Arte Fantástica da Faculdade de Belas Artes de Lisboa.

Os mais recentes posts no blog da livraria Pó dos Livros não são propriamente notícias, mas sim um aviso à navegação – um aviso sobre os vários esquemas, até burlas que rodeiam algumas “ofertas” de publicação, ou ainda passatempos com promessa de inclusão em antologias (Pseudo-editorasComentário ao post anterior “Pseudo-editoras”).

 

Notícias fantásticas – eventos e editoras

Ainda esta semana irá ocorrer o lançamento da colecção Teen (Tonifica E Estimula os Neurónios), a mais nova aposta da Saída de Emergência em fantástico direccionado para um público mais jovem que a colecção Bang. Desta colecção fazem já parte Alex 9 A Guardiã da Espada (Martin S. Braun), Illusya – O Reino Encantado (Bruno Matos), Daenerys – A Mãe dos Dragões (George R. R. Martin) e esta semana O Príncipe da Prisão Dourada (Nathalie Mallet).

O evento irá decorrer esta sexta, dia 9 de Outubro, na FNAC do Colombo (Lisboa), entre as 19h e as 20h, contando com a participação de Bruno Matos e Bruno Soares, os autores respectivamente de Illusya e Alex 9.

Para quem costuma assistir ao Fórum Fantástico todos os anos (como eu), já deve ter dado pela sua falta este ano. Em compensação está agendado um evento diferente, as Conversas Fantásticas. A colaboração entre Rogério Ribeiro e a BMOR irá trazer, entre os dias 21 e 28 de Novembro, um conjunto de apresentações e debates, com espaço para cinema, concept art, literatura e banda desenhada, apenas aberto para participantes nacionais. No meu calendário já está marcado.

Mas eventos à parte.  Para quem escreve e deseja ver a sua obra publicada, a Antagonista Editora prepara-se para lançar uma colecção de novelas de FC e terror fantástico, aceitando de momento manuscritos e prontificando-se a dar resposta,  positiva ou negativa, a todas as submissões.

Episódios da vida surreal…

Num primeiro quadro silencioso, uma cama. Nela uma velhota vegetativa a quem são mudadas as fraldas. Ao lado, um velhote.

Num segundo, o velhote come. À mesa está também a jovem que antes cuidava da idosa.

Terceiro. O quarto está vazio. Na cozinha, um velhote relaxa em cuecas, enquanto a jovem em lingerie lhe fotografa as zonas púbicas.

______________________________________

Para não dar azo a interpretações estranhas, cada quadro representa uma visualização diferente da mesma janela, distando algumas semanas umas das outras. A janela é a de uma casa abaixo do nível do chão. Os acontecimentos, esses, são reais. Ou surreais.