Retrospectiva 2017 – O Rascunhos em Banda desenhada

Numa contagem desatenta percebo que ultrapassei o número de leituras de banda desenhada do ano passado, rondando quase as 200 leituras, algumas (poucas) em francês ou espanhol, mas sobretudo em inglês e português (este registo passou a ser feito no Goodreads). Considero que este foi um grande ano na publicação da banda desenhada em Portugal, com a colecção de Novela Gráfica publicada pela Levoir em parceria com o jornal Público, a lançar grandes obras que, de outra forma, dificilmente veriam a luz da edição portuguesa, e editoras nacionais a lançarem-se, pela primeira vez, na publicação de banda desenhada.

Banda desenhada portuguesa

 

 

 

 

 

 

 

A melhor leitura – O problema de separar em categorias e ter uma só para a banda desenhada portuguesa é ter de comparar obras bastante diferentes em tom e tema. Eis, portanto, as duas melhores leituras do ano em banda desenhada portuguesa : O Elixir da Eterna Juventude de Fernando Dordio e Osvaldo Medina e Comer Beber de Filipe Melo e Juan Cavia. O primeiro destaca-se pelo tom leve com que integra as músicas de Sérgio Godinho numa aventura divertida e o segundo pela qualidade do desenho e pelos temas, mais sérios, abordados nas duas histórias que compõem o volume que, apesar de curtas, conseguem transmitir o peso dos acontecimentos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Menções honrosas – De Rui Lacas, Ermida é uma história curta mas caricata que inspira um enorme simpatia graças à força das expressões e dos modos que as personagens apresentam. Por sua vez, Hanuram de Ricardo Venâncio é visualmente interessante, tanto pela qualidade do desenho como pela composição, centrando-se num guerreiro que ousou desafiar os deuses ao se proclamar invencível. Totalmente diferente dos anteriores, Ermal de Miguel Santos destaca-se pela criação de uma realidade pós-apocalíptica em que o ocidente foge para território africano, resultando em guerras onde as várias facções tentam explorar interesses diferentes. No final o principal defeito é tratar-se de uma história curta. Finalmente, em tom humorístico, Conversas com os putos de Álvaro apresenta vários episódios cómicos que decorreram enquanto dava explicações.

Banda desenhada de ficção científica

A melhor leitura – Valerian de Christin e Mézières – A série publicada pela Asa em parceria com o jornal Público trouxe um conjunto de aventuras com uma qualidade que não esperava. Referida, por diversas vezes, como tendo influenciado Star Wars (ou mais do que influenciado) possui uma grande diversidade de mundos e de espécies alienígenas que se tornam fascinantes pela coerência que possuem. A dupla de agentes, por sua vez, ora viagem no espaço, ora no tempo, e se, nas primeiras aventuras as histórias são simples e quase clichés, sente-se que, com o avançar dos volumes, a série melhora, utilizando as histórias anteriores como alicerces para as seguintes, e ganha uma dimensão avassaladora.

 

 

 

 

 

 

 

Menções honrosas – Pela primeira vez de que me recordo tenho de reclassificar o género de uma série. Autumnlands, que começou por parecer uma série fantástica com elementos extraordinários, assume-se, no segundo volume, como ficção científica, utilizando espécies alienígenas tecnologicamente avançadas para justificar a origem do que se pensava ser magia. Espero que o terceiro volume revele um pouco mais desta dualidade. Por sua vez, Surrogates apresenta um mundo sombrio onde se inventaram corpos artificiais para os quais as pessoas se projectam e com os quais saem à rua, protegendo-se assim de potenciais acidentes e problemas de discriminação (já que o corpo pode não ter qualquer semelhança física com o seu dono). As vantagens são, no entanto, submersas pelas desvantagens, numa sociedade cada vez mais superficial. Outra das grandes descobertas não é uma novidade em termos editoriais, mas trata-se de A feira dos imortais de Bilal, autor do qual apenas conhecia os álbuns mais modernos e só com estes percebi porque tanta gente os repudia.

Banda desenhada de horror

A melhor leitura – Harrow County de Cullen Bunn e Tyler Crook – Depois de um excelente primeiro volume, o segundo mantém o tom negro, e percebemos que a menina com capacidades de bruxa, ao contrário do estereotipo se preocupa com a correcta utilização dos seus poderes, por forma a que exista um equilíbrio de forças. Esta preocupação será exacerbada pela entrada de uma nova personagem, uma irmã gémea que terá os meus poderes mas que não os usa de igual forma.

Banda desenhada fantástica

A melhor leitura – Monstress de Marjorie Liu e Sana TakedaMonstress fascinou pelo aspecto exótico e pela mitologia densa num mundo semelhante ao nosso, com tecnologia semi-medieval, onde existem seres semelhantes aos humanos com características de animais. Estes seres são caçados pelos humanos a mando de feiticeiras que com eles pretendem realizar experiências. Enquanto os supostos monstros são emocionalmente mais humanos do que os humanos e os deuses se escondem, simultaneamente dependentes e poderosos, temos uma espécie inteligente de gatos que se dedica a registar e a passar, de geração em geração, a história deste complexo mundo;

 

 

 

 

 

 

 

Menções honrosas – A famosa série Sandman foi finalmente publicada em Portugal numa parceria entre a Levoir e o jornal Público. Ainda não li todos os volumes mas a série, melancólica, centra-se na figura eterna responsável pelos sonhos cruzando as histórias mitológicas de várias civilizações. O resultado é uma história abismal onde Neil Gaiman explora personagens e mitos de forma envolvente. O Rei Macaco, de Manara e Silverio Piso é uma obra visualmente impressionante, onde a figura divina de um macaco usa o seu carácter irrequieto como explorador e parte do paraíso com o intuito de se tornar imortal e assim poder usufruir eternamente do paraíso. Irónico? Bastante. São comuns os comentários políticos e religiosos, bem como as insinuações fálicas ou a observação do decadente comportamento humano. Finalmente, comecei a série East of West, uma série que cruza tecnologia e fantástico apresentando-nos a demanda dos cavaleiros do apocalipse. A Morte busca o filho que está a ser manipulado para provocar o fim da existência.

Banda desenhada histórica

A melhor leitura – Os trilhos do acaso de Paco Roca – Nesta obra publicada em dois volumes o autor explora a guerra civil espanhola numa perspectiva pouco habitual, seguindo um refugiado espanhol – um homem que se viu obrigado a deixar Espanha num barco e que mesmo assim foi sortudo, considerando que a maioria não foi capaz de embarcar. Este homem é, agora, um velhote que ninguém suspeita ter sido um herói de guerra, lutando na Segunda Guerra Mundial. O que é peculiar não é só a personagem, mas a forma como Paco Roca cria empatia e explora a história mais pelo lado humano do que pela terror da guerra.

Menções honrosas – Também Destino Adiado de Gibrat tem como palco a guerra mas, desta vez, centra-se num jovem que desertou e que, por sorte, foi dado como morto. A partir daqui consegue esconder-se na vila de origem, passando os dias sem poder ser visto, mas numa casa que lhe permite observar o quotidiano de todos.

Antologia

A melhor leituraSilêncio – Das várias antologias de contos de banda desenhada que li este ano a que mais me impressionou foi o segundo volume The Lisbon Studio com o título Silêncio. Neste volume reúne-se o trabalho de vários autores portugueses que pertencem ao mesmo estúdio e se organizaram para entregar histórias curtas centradas no mesmo tema. Este é o segundo volume da série em torno do estúdio, sendo que achei que o trabalho apresentado neste ainda conseguia ser de melhor qualidade do que no primeiro volume. Os temas são diversos bem como o estilo, entregando-se boas histórias curtas.

Menções honrosas – Flight Esta é, no mínimo, uma antologia de banda desenhada competente. Todas transmitem alguma narrativa, ainda que nalgumas se perceba que esse não é o foco (são poucas), e todas são visualmente agradáveis (no mínimo), bastantes com detalhes caricatos que transmitem simpatia ao leitor. Ainda que Flight não devesse ser um tema, mas apenas o título do volume, várias das histórias têm o voo como premissa.

Registo autobiográfico

 

A melhor leitura – Tempos Amargos de Étienne Schréder – O autor apresenta os seus piores momentos de degradação originados pelo vício do vinho. Sem conseguir terminar os estudos pretendidos, pai demasiado cedo e trabalhando numa prisão, Étienne Schréder afunda-se cada vez mais na bebedeira como possibilidade de fuga da vida que leva. Aqui expõe-se (mas tem cuidado em não expor os outros) e demonstra os anos de escuridão.

 

 

 

 

 

 

 

Menções honrosas – Em Histórias do bairro o autor mostra a sua infância e, até, adolescência num bairro problemático de onde é difícil escapar. Cedo os habitantes se envolvem em actividades ilícitas que são tão comuns que quase são tomadas por normais. Mas é a capacidade de desenhar e de querer fazer algo com essa capacidade que lhe concede a porta de saída deste mundo. Em Os Ignorantes dois homens trocam paixões com o autor a mostrar a banda desenhada a um produtor de vinho, e o produtor de vinho a demonstrar as fases e segredos da sua profissão.

Outras

A melhor leitura – NonNonBa de Shigeru Mizuki – Um rapaz endiabrado mas de bom coração entrelaça o sobrenatural em todos os momentos da sua vida, fazendo com que criaturas diferentes sejam vistas como a causa para os eventos que os rodeiam. Este rapaz encontra-se no Japão rural, fazendo com que percepcionemos a pobreza deste ambiente, afastado das maravilhas da cidade. Para além deste retrato, que é um factor de peso para ter gostado tanto deste livro, outro elemento importante é o caricato das personagens que nos envolve e cativa, contrastando com os cenários detalhados, bem como a forma como transforma episódios quase banais em grandes aventuras sobrenaturais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Menções honrosas Daytripper foi uma excelente surpresa, explorando a vida como uma série de pequenas fugas a eventos terminais numa história inspiradora e envolvente. Já The Fade Out destacou-se pela temática, com a apresentação de um crime nos bastidores do cinema de Hollywood dos anos 40 num ambiente negro e decadente. Da mesma dupla criativa, Criminal segue a vida de uma série de pessoas que retornam, voluntaria ou involuntariamente a vida do crime. Southern Bastards retrata  o interior americano onde o equilíbrio de forças é controlado pelo maior criminoso local que mantém debaixo de olho até a polícia. Num tom totalmente diferente, Jardim de Inverno é um relato delicioso e expressivo que apresenta a existência cinzenta de um rapaz na cidade.

A Melhor leitura – Tony Chu de John Layman e Rob Guillory A série centra-se em poderes associados à comida e, partindo de Tony Chu, um agente enfezado que percepciona a vida de tudo aquilo que come, tem conseguido centrar-se noutras personagens e manter o interesse do leitor com elementos cada vez mais estranhos.

 

 

 

 

 

 

 

Menções honrosas – É impossível não falar de série de banda desenhada e deixar de fora Saga. Ainda que, nos últimos volumes, sinta que faltam elementos inovadores e que a narrativa está “apenas” a colocar as personagens no local que deseja para poder desenrolar um final, continua a ser uma série interessante e mirabolante, com elementos leves e trágicos, uma piada às séries de ficção científica e fantasia mais conhecidas. Finalmente, estou na leitura da série Fables que tem altos e baixos. Os últimos volumes (13 e 14) que li destacam-se visualmente, com belíssimas composições (que merecia uma melhor qualidade do papel em que é impresso, mas essa é a mesma discussão de sempre em relação à banda desenhada da Vertigo).

Outras retrospectivas

Anúncios

Assim foi: Fórum Fantástico – as escolhas do ano

 

A minha selecção era um pouco mais alargada, abrangendo obras portuguesas como Lovesenda, Anjos e As nuvens de Hamburgo. Havendo sobreposição com escolhas de outras pessoas (e sabendo que iriam ser muito bem tratadas) retirei da minha secção.

Eis ligações para opiniões mais detalhadas dos livros escolhidos. Infelizmente o João Barreiros não tem blogue próprio (apesar de ter começado a transcrever algumas opiniões para um blogue próprio que deixei de ter tempo de manter).

 

Assim foi: Fórum Fantástico 2017

As diferenças

O Fórum Fantástico cresceu, este ano, de forma bastante positiva! Por um lado notou-se a forte aposta em workshops, o que possibilitou integrar camadas mais jovens e manter um programa mais dinâmico. A par com a usual (e fantástica) impressão a 3D organizada pelo Artur Coelho, houve espaço para desenvolver a imaginação dos mais pequenos, construir Zepellins e armaduras, ou para aprender um pouco mais de ilustração com Ricardo Venâncio.

Por outro, é de realçar a maior ocupação do espaço da Biblioteca Orlando Ribeiro que deu nova vida ao espaço – era impossível não reparar na tenda que ocupava parte do pátio com uma pequena feira do livro, onde se viam exemplares de livros de ficção científica e fantasia, sem faltarem os da autoria de Mike Carey, o escritor convidado deste ano. Nesta pequena feira do livro exterior encontravam-se a Leituria e a Dr. Kartoon.

Mas não foi só com a feira do livro que houve uma maior ocupação do espaço. O bom tempo permitiu a existência de bancas de produtos diversos, com especial destaque para o Steampunk (ou não estivesse a decorrer a EuroSteamCon integrada no Fórum Fantástico), bem como de mesas e cadeiras no exterior que permitiram usufruir do bom tempo. O terraço, bem como outras salas da biblioteca foram ocupadas, permitindo a apresentação de jogos de tabuleiro (com participação da Morapiaf) e a exibição de pranchas de Ricardo Venâncio.

E as diferenças não acabaram por aqui – a existência de um bar aberto durante todo o evento facilitou a permanência no Fórum Fantástico pois em anos anteriores era usual ter-se de deixar o recinto para comer alguma coisa. O menu, fantástico, possuía várias alusões ao evento e a comida fornecida era de boa qualidade (pela Cacaoati).

Mike e Linda Carey

Mike Carey produziu mais de 200 comics, vários livros e guiões para cinema. Com a adaptação para cinema de The Girl with all the gifts tem-se tornado cada vez mais requisitado. Por sua vez, Linda Carey escreveu também alguns livros (alguns sob pseudónimo). O destaque para a imensa obra, principalmente a de Mike Carey, serve para contrastar com o espírito que ambos demonstraram, sem prepotências ou projecções de importância, atenciosos e simpáticos durante todo o evento.

Na sexta-feira Mike Carey, conjuntamente com Filipe Melo e José Hartvig de Freitas, falou da larga experiência na produção de comics, da forma como trabalha com diversos desenhadores e da sua própria evolução e adaptação. Destacou-se a produção da série Unwritten, ideia que surgiu em cooperação com Peter Gross, com o qual já se habituou a desenhar. Foi uma palestra interessante e bem disposta.

No Sábado decorreu a conversa com ambos, Mike e Linda Carey, moderada por Rogério Ribeiro, mais voltada para os restantes livros (fora do formato da banda desenhada) onde se falou intensivamente do The Girl with all the gifts, que foi escrito em simultâneo com a adaptação, para cinema, da mesma história. Ambos os autores demonstraram uma queda para pequenos elementos subversivos nas suas histórias.

As restantes palestras de sexta

E com esta nomenclatura não pretendia referir menor prestígio das restantes palestras, mas sim destacar as que envolveram o autor convidado.

15:30 – Sessão Oficial de Abertura do Fórum Fantástico 2017

O Fórum iniciou-se na sexta (para mim, que não pude ir aos worksops) com uma sessão de apresentação de João Morales e Rogério Ribeiro onde expuseram algumas das diferenças deste ano e destacaram algumas sessões e workshops.

16:00 – Sessão “A Ficção Científica: Espelho de ansiedades políticas e pessoais”, com Jorge Martins Rosa, Maria do Rosário Monteiro, Daniel Cardoso e Aline Ferreira

Nesta sessão referiram-se várias obras e respectivas projecções das ansiedades sociais, não só em relação à evolução tecnológica e respectiva perda dos papéis tradicionais (com especial referência à mulher grávida e aos úteros artificiais), como a novos modelos sociais.

16:45 – Sessão “O lugar do Fantástico na Arte Contemporânea”, com Carlos Vidal, Henrique Costa e Opiarte – Núcleo de Ilustração e BD da FBAUL

A sessão apresentou a Opiarte enquanto espaço que permite, a alguns artistas, explorarem a vertente fantástica e de ficção científica nos seus trabalhos, espaço que visou responder a uma necessidade sentida pelos alunos da faculdade. Durante a sessão mostraram-se trabalhos produzidos neste núcleo, alguns dos quais se destacam pela qualidade.

17:45 – Sessão “Narrativa em Videojogos”, com Nelson Zagalo, Ricardo Correia e João Campos

(Cheguei no final)

As restantes palestras de sábado

14:30 – Sessão “Identidades autorais”, com Ana Luz, Joel Gomes e Pedro Cipriano

Os autores aproveitaram o espaço para falar sobre o seu percurso enquanto escritores, desde influências a desenvolvimento de método (destacando-se a referência de Ana Luz ao conto O Teste de João Barreiros), mostrando os livros em que já participaram, bem como os projectos futuros em que se encontram envolvidos.

16:00 – Lançamento “Almanaque Steampunk” (Editorial Divergência)

Cada EuroSteamCon costuma ser acompanhada pela publicação de um Almanaque Steampunk. O deste ano foi produzido em tempo recordo com a colaboração da Editorial Divergência. Ainda não tive oportunidade de ler, mas a publicação é curiosa, bastante atractiva visualmente, com conteúdos diversos e que promete bastante diversão para o leitor.

17:45 – Sessão “Prémio Adamastor”, com João Barreiros e Luís Filipe Silva

O prémio Adamastor este ano foi atribuído a João Barreiros e Luís Filipe Silva, dois dos poucos autores de ficção científica portuguesa que se têm destacado na divulgação do género dentro e fora do país. De realçar as várias antologias que João Barreiros organizou recentemente, bem como as colecções que organizou enquanto editor. Por seu lado, Luís Filipe Silva tem participado em diversas Con’s onde fala da ficção especulativa portuguesa, divulgando o que se fez em Portugal há várias décadas e o que se continua fazendo.

18:00 – Sessão “Dormir com Lisboa”, com Fausta Cardoso Pereira

Premiado e publicado na Galiza pela Urco Editora, Dormir com Lisboa é um romance de ficção especulativa que decorre na capital portuguesa, partindo da premissa de desaparecimento injustificável de várias pessoas. A passagem lida por João Morales denota um humor peculiar, com caricaturas de personagens e situações insólitas.

18:30 – Lançamento “Apocryphus #2”, com Miguel Jorge

Este projecto de banda desenhada português apresentou, no primeiro volume, uma qualidade gráfica excepcional, com elevado cuidado no tipo de papel utilizado e uma selecção cuidada de autores. À semelhança do primeiro volume, também o segundo foi publicado no Fórum, com a presença de tantos autores que por pouco transbordavam do palco.

Restantes palestras de Domingo

Infelizmente, Domingo apenas pude assistir à palestra do João Morales, Novas Metamorfoses Musicais, para além de participar em As Escolhas do ano com João Barreiros e Artur Coelho (sobre a qual dedicarei uma entrada específica para publicar as escolhas de cada um, como é usual).

A sessão de João Morales demonstrou o usual bom humor, com óptimas escolhas musicais onde se cruzam estilos e épocas, novas conjugações de musicas conhecidas em que destaco as seguintes:

(Venus in Furs: Versão portuguesa em Uma Outra História)

No final, há a destacar que o Fórum Fantástico é um evento TOTALMENTE gratuito, onde, todos os anos, várias pessoas se organizam para proporcionar, ao público, três dias de extrema diversão geek!

Fevereiro de 2016

trono dos cranios banner

Lançamentos nacionais relevantes

Para além das colecções de banda desenhada em curso (da Marvel pela Salvat, e dos Heróis DC pela Levoir em parceria com o jornal Público) eis os lançamentos nacionais que mais me interessaram:

Por sorte o leite – Neil Gaiman – Editorial Presença;

Extinção – Kazuaki Takano – Casa das Letras;

– O livro da selva – Rudyard Kipling – Bertrand Editora;

O barão trepador – Italo Calvino – Dom Quixote;

Filho Dourado – Pierce Brown – Editorial Presença;

O herói das eras – Brandon Sanderson – Saída de Emergência;

O trono dos crânios – Peter V. Brett – Edições Asa;

Críticas interessantes

Se no mês passado constatei que o número de blogues com excelentes críticas de FC era cada vez menor (citando alguns de exemplo que não dão sinal de vida há largos meses), este mês outros houve que anunciaram fecho. Mais palavras para quê? Aqui fica o apanhado das críticas que achei mais interessantes ao longo de Fevereiro.

confessions banner

Ficção científica

Analog Science Fiction and Fact – Setembro 2014 – Intergalacticrobot – A revista é uma das mais conhecidas no meio, e uma das melhores formas de se descobrir ficção em formato mais curto;

The young world – Chris Weitz – As leituras do corvo – um clássico cenário pós-apocalíptico, com todos os inevitáveis dilemas da vida adolescente;

Confessions d’un automate mangeur d’opium – Fabrice Colin & Mathieu Gaborit – Intergalacticrobot – quando a ficção steampunk tem preocupações mais estéticas do que narrativas;

12.22.63 – Stephen King – D’Magia – história de viagem no tempo com ritmo imparável apoiada numa pesquisa exaustiva sobre 22 de Novembro de 1963;

Rendez-vous com Rama – Arthur C. Clarke – Ler y Criticar – clássicao do género centra-se no primeiro contacto com vida extraterrestre;

rainha vermelha 2

Fantasia

A porta no muro – H. G. Wells – A Lâmpada Mágica – Um dos livros da colecção dirigida por Jorge Luís Borges apresenta uma faceta mais fantástica do autor de A Guerra dos Mundos;

O Vento nos Salgueiros – Kenneth Grahame – Deus me Livro – um clássido da literatura juvenil, “história de amizade e mudança, de lendas e mitos”;

Monsters of Men – Patrick Ness – Floresta de Livros – último volume da trilogia com “personagens intensas, sem momentos mortos e com uma escrita veloz”;

A rainha vermelha – Victoria Aveyard – Letras sem fundo – jovens saídas da puberdade, capacidades mágicas e triângulos amorosos num esquema narrativo distópico;

The sleeper and the spindle – Neil Gaiman – Leitora de fim-de-semana – a união de dois contos, A Bela Adormecida e Branca de Neve, resulta numa história bem diferente;

A guardiã da espada – Alex 9 – Bruno Martins Soares – A Lâmpada Mágica – Romance demasiado ambicioso de frenética sucessão de cenas, com várias descrições de combates e batalhas;

cruelle banner

Banda desenhada

A louca do Sacré-Coeur – Moebius & Jodorowsky – A Lãmpada Mágica – gozo ao intelectualismo oco, às crises masculinas de meia-idade e ao misticismo new age;

Tony Chu: Enfarda-Brutos – Layman & Guillory – As leituras do Pedro – “original e “nojentamente divertido””

A agência de viagens Lemming – José Carlos Fernandes – aCalopsia | As leituras do Pedro;

Cruelle – Florence Dupré La Tour – As leituras do Pedro;

– Foi assim a guerra das trincheiras – Tardi – A Lâmpada Mágica – retrato revoltante e comovente da guerra, com exposição das grandezas e misérias da espécie humana;

as horas invisiveis banner

Outros

Connections – James Burke – Intergalacticrobot – livro não ficcional de divulgação científica, que possuirá uma abordagem pouco usual para explicar a evolução tecnológica;

O poço e o pêndulo – Edgar Allan Poe – Nuno Ferreira – conto de horror de escrita envolvente onde se destaca a capacidade de subtilmente transmitir sensações;

As horas invisíveis – David Mitchell – Ler y Criticar – o último livro do autor publicado em Portugal tem um ritmo lento, mas é original e ambicioso;

Oriente, Ocidente – Salman Rushdie – Pedro Cipriano – depois de ter lido um livro do autor, fiquei curiosa com este, um livro de contos;

Frankenstein – Mary Shelley – Virtual Illusion – “um rasgo de pura criatividade que se veio a tornar num ícone dos mundos de ficção”;

Outros artigos

Literatura de ficção

– O umbigo do Mundo de Umberto Eco era em Portugal – Observador;

– Franz Kafka: A obra em chamas – Deus me Livro;

– As fantasias irrealistas de David Mitchell – Observador;

– Umberto Eco: A insuportabilidade do silêncio – aCalopsia;

– Eternamente Tom Sawyer – Revista Estante;

– O bibliotecário e o nome da rosa – Observador;

– O homem que inventou Dan Brown – Observador – apesar do título (infeliz, a meu ver, que quase dá maior importância a Brown) tem alguns parágrafos interessantes;

Banda desenhada

– Os heróis também usam BI – Mafalda – Deus me Livro;

– Hermann: Um grande clássico – aCalopsia;

– Príncipe Valiente: 1957 – 1960 – As leituras do Pedro;

– Artigos sobre BD, Os meus – cuto “O Mosquito” – Divulgando Banda Desenhada;

– Crítica e divulgação de BD: Antes e depois da Internet – aCalopsia;

– 2016: Arranque em grande para os autores portugueses no estrangeiro – As leituras do Pedro;

– Super-heróis à francesa II: O Universo fantástico da Lug – Leituras de BD;

– A mansão assombrada da Disney por Joshua Williamson e Jorge Coelho – aCalopsia;

Eventos

– Correntes d’Escritas – Deus me Livro (23, 24, 25, 26, 27);

Sustos às sextas;

– Reportagem – 380º encontro da Tertúlia BD de Lisboa – Kuentro 2;

Recordar os Esquecidos;

– Exposição comemorativa do 80º Aniversário d’O Mosquito – Kuentro 2;

Outubro de 2015

Estranha, mas felizmente, este mês parecem abundar as críticas a livros de ficção científica, com destaque para os recentes Arranha-céus de J.G. Ballard e Estação onze de Emily St. John Mandel. É bom que assim seja – são dois dos mais recentes lançamentos do género em Portugal e, apesar de não terem sido particularmente anunciados como tal, alimenta alguma chama de esperança de ver fortalecer o género por cá.

Por outro lado, foram, também, várias as críticas a livros muito mais antigos e quase esquecidos como A Guerra Eterna de Joe Haldeman ou a antologia Com a cabeça na Lua.

arranha ceus

Lançamentos nacionais relevantes

O Papiro de César – R. Goscinny e A. Uderzo – Edições Asa;

Arranha-céus – J.G. Ballard – Elsinore;

Os últimos na terra – Robert C. O’Brien – Editorial Presença;

Os assaltos à Padaria – Haruki Murakami e Kat Menschik – Casa das letras;

– Colecção Marvel – Salvat;

Esquadrão da Luz – Peter Tomasi e Peter Snejbjerg – G Floy;

Saga Volume 3 – Brian Vaughan e Fiona Staples – G Floy;

Fatale Volume 3 – Ed Brubaker e Sean Phillips – G Floy;

estacao 11

Críticas interessantes

Ficção científica

Stand on Zanzibar – John Brunner – Intergalacticrobot;

Arranha-céus – J.G. Ballard – Deus me Livro, As leituras do Corvo, Roda dos Livros;

The day of the Triffids – John Wyndham – Que a estante nos caia em cima;

O Marciano – Andy Weir – Letras sem fundo;

Comandante Serralves – vários autores – My very own lines;

Com a cabeça na Lua – vários autores – Leitora de fim-de-semana;

Solarpunk – vários autores – Nível Épico;

A Guerra Eterna – Joe Haldema – D’Magia;

Estação onze – Emily St. John Mandel – As leituras do Corvo, Viajar pela leitura;

The Hungry City Chronicles – Philip Reeve – Biblioteca mil;

Almanaque Steampunk – vários autores – Intergalacticrobot;

rainha vermelha 2

Fantasia

Rainha Vermelha – Victoria Aveyard – Pedacinho literário;

A Terra das Lágrimas – Terry Goodkind – Deus me Livro;

h alt 2

Banda desenhada

Demolidor: partes de um todo – David Mack – As Leituras do Pedro;

Living Will #1 – André Oliveira – Que a estante nos caia em cima;

The Walking Dead Vol.12 – Robert Kirkman, Charlie Adlard, Cliff Rathburn – aCalopsia;

Astérix e o Papiro de César – R. Goscinny e A. Uderzo – Leituras de BD, Máquina de escrever;

– Revista H-Alt 1 – aCalopsia;

Homem-aranha: regresso às origens – J. Michael Straczynski – As Leituras do Pedro;

lisboa triunfant 2

Outros

Lisboa triunfante – David Soares – My very own lines, Nuno Ferreira;

O livro dos seres imaginários – Jorge Luís Borges – Deus me Livro;

Sete minutos depois da meia-noite – Patrick Ness – Floresta de Livros;

A sombra sobre Lisboa – vários autores – Nuno Ferreira;

Sr. Bentley, O Enraba Passarinhos – Ágata Ramos Simões – My very own lines;

O feiticeiro e a bola de cristal – Stephen King – Nuno Ferreira;

estante

Outros artigos

– Graphic Novels, ou a banalização de uma denominação – Leituras de BD;

– Quarenta andares de caos – Máquina de escrever (sobre o recente livro do Ballard);

– O Super-homem já não é Clark Kent. E é camionista – Observador;

– O Futuro é Agora –  Revista Estante;

– À noite, no Gerês, quem quer andar pelos caminhos das bruxas – Público;

– Prémio Hernâni Cidade para obra de João Rogaciano – Cultura ao minuto;

– Anúncio do vencedor do Prémio Divergência 2015;

– Festa chama três mil visitantes a aldeia com 17 moradores – DN;

– O Porto tem três novas livrarias e todas elas diferentes – Público;

Eventos nacionais

– FOLIO – DN;

Ciclo de conversas – confesso que li;

– Alice 150 anos;

– Recordar os Esquecidos;

Resumos nacionais anteriores

Setembro 2015

Julho / Agosto 2015

Junho 2015

 

 

Julho / Agosto de 2015

Percebi agora que, por lapso, acabei por não fazer a compilação de Julho. Eis pois uma única dos dois meses do Verão.

estacao 11

Lançamentos nacionais relevantes

Estação onze – Emily St. John Mandel – Editorial Presença;

Purgatorial – Fernando Ribeiro – Saída de Emergência;

Cidade sem alma – Ransom Riggs – Bertrand Editora;

Os 100 – Kass Morgan – Topseller;

A pedra das lágrimas – Terry Goodkind – Porto Editora;

europe

Críticas interessantes

Ficção científica

Europe at midnight – Dave Hutchinson – Intergalacticrobot;

Os Marcianos somos nós – Nuno Galopim – Intergalacticrobot e Deus me Livro;

To your scattered bodies go – Philip Jose Farmer – Der Wanderer;

Três histórias com final feliz – Maria de Menezes – A Lâmpada Mágica;

O Homem do castelo alto – Philip K. Dick – Deus me Livro;

City – Clifford D. Simak – Intergalacticrobot;

Os pescadores de trevamar – Roger Eldridge – A Lâmpada Mágica;

The Steampunk Trilogy – Paul Di Filippo – Intergalacticrobot;

Re: Colonised planet, Shikasta – Doris Lessing – Intergalacticrobot;

the knife

Fantasia

Tigana – a voz da vingança – Guy Gavriel Kay – Nuno Ferreira;

Tehanu – Ursula K. Le Guin – Que a Estante nos Caia em Cima;

O meu pé de laranja-lima – José Mauro de Vasconcelos – Deus me Livro;

Dias de sangue e Glória – Laini Taylor – Floresta de Livros;

Os leões de Al-Rassan – Guy Gavriel Kay – Nuno Ferreira;

A pedra das lágrimas – Terry Goodkind – Deus me Livro;

The Knife of Never Letting Go – Patrick Ness – Floresta de Livros;

Acacia: Vozes da Profecia – David Anthony Durham – Leituras do Corvo Fiacha e Uma bibliteca em construção;

República de Ladrões – Locke Lamora – Nuno Ferreira;

unflat

Banda desenhada

Sharaz-De – Sergio Toppi – Intergalacticrobot;

Orquídea negra – Neil Gaiman – Que a estante nos caia em cima;

Unflattening – Nick Sousanis – Leituras de BD;

Sin City: A grande matança – Frank Miller – Nuno Ferreira;

Carnacki the ghost finder – William Hope Hodgson – Intergalacticrobot;

Sepulturas dos pais – David Soares – Que a estante nos caia em cima;

O comboio dos órfãos – Philippe Charlot – As Leituras do Pedro;

O Baile – Nuno Duarte e Joana Afonso – Que a estante nos caia em cima;

samarcada_

Outros

El Sabueso y otras historias – vários autores – Intergalacticrobt;

A porta no muro – H. G. Wells – A Lâmpada Mágica;

The Bhagavad Gita – Juan Mascaró – Que a estante nos caia em cima;

Batalha – David Soares – Que a estante nos caia em cima;

Samarcanda – Amin Maalouf – Leituras do Corvo Fiacha;

As pegadas furtivas da serpente – António de Macedo – Intergalacticrobot;

Outros artigos

Penny Dreadful – Intergalacticrobot;

Três livros para (re)descobrir Dino Buzzati – Máquina de escrever;

– Breve História da BD (parte 1 | parte 2) – aCalopsia;

A importância das adaptações de banda desenhada – Leituras de BD;

Os livros que já imaginaram Plutão – Máquina de escrever;

Hugo Award – Viagem a Andrómeda [mini];

Processo de escrita Bruno Martins Soares – Leituras do corvo Fiacha;

Manual de sobrevivência para um astronauta – Máquina de escrever;

– A livraria mais pequena do mundo que se calhar não o é – Observador;

Haikasoru – O Castelo Alto do Fantástico Japonês – aCalopsia;

Eventos nacionais

ScifiLX Ano Zero – Intergalacticrobot;

– Recordar os Esquecidos (Agosto – entrada em curso);

Lançamento Pyongyang de Guy Delisle;

Recordar os Esquecidos (Julho);

Lançamento Da Família e Inventário do Pó;

– Apresentação Bang! 18;

Cobaias book session;

Resumos mensais anteriores

Junho 2015

Maio 2015

Março 2015

Junho de 2015

Este mês as críticas e artigos são poucos, mas ainda assim existem alguns que se destacam.
Acacia_Vozes_da_Profecia_BP

Lançamentos nacionais relevantes

O Feiticeiro e a bola de cristal – Stephen King – Bertrand Editora;

Acácia – As vozes da profecia – David Anthony Durham – Saída de Emergência;

A Guerra dos Tronos Vol.4 – George R. R. Martin – Planeta Editora;

Origem Vol. 1 – Paul Jenkins, Andy Kubert, Richard Isanove – G Floy;

O Grande Bazar e outras histórias – Peter V. Brett – Asa;

O Mundo da Guerra dos Tronos – George R. R. Martin, Elio M. Garcia e Linda Antonsson – Saída de Emergência;

Tony Chu Vol. 2 – John Layman e Rob Guillory – G Floy;

Wayward Pines – Revolta – Blake Crouch – Suma de Letras;

seveneves_

Críticas interessantes

Ficção científica

Seveneves – Neal Stephenson – Intergalacticrobot;

Duna – Frank Herbert – Nuno Ferreira;

Terrarium – José Barreiros e Luís Filipe Silva – D’Magia;

Megalon #63 – Especial: Ficção científica em Portugal – Intergalacticrobot;

bebes agua_

Fantasia

The Colour of Magic – Terry Pratchett – Que a Estante nos Caia em Cima;

O punhal do soberano – Robin Hobb – Nuno Ferreira;

A espada de Shannara – Terry Brooks – Leituras do corvo Fiacha;

O grande Bazar e outras histórias – Peter V. Brett – Uma biblioteca em construção;

Os bebés da água – Charles Kingsley – Deus me Livro;

Banda desenhada

Crumbs – Vários autores – Que a Estante nos Caia em Cima;

Matiné – Magno Costa, Marcelo Costa e Márcio Moreno – aCalopsia;

Outros

Número zero – Umberto Eco – Deus me Livro;

Sonho Febril – George R. R. Martin – A Lâmpada Mágica;

Outros artigos

– Um ano no Eliseu – Máquina de escrever;

– Contos de Lydia David lidos por Samantha Velho – Contos não vendem;

– Entrevista a Pedro Marques – Amazing Stories;

– Um Mundo Optimista – Entrevista a David Anthony Durham – Saída de Emergência;

– Ric Hochet não podia ficar a descansar – Máquina de escrever;

– No palácio “assombrado” de Sintra há “fantasmas” – DN;

– Heróica é uma fanzine só com heróis portugueses – Público;

Eventos nacionais

– David Brin Lecture – Rascunhos;

– À volta da Guerra dos Tronos – Viagem a Andrómeda [mini];

– Bruce Sterling – Admirável Mundo Novo;

– Recordar os Esquecidos – Rascunhos;

Resumos mensais anteriores

Maio 2015

Março 2015

Abril 2015

Maio de 2015

Aqui fica mais um resumo mensal sobre ficção especulativa em Portugal. Esta listinha resume o que achei mais interessante este mês em solo nacional (ou sobre projectos portugueses). Claro que se resume ao que tive acesso, existindo de certeza mais artigos que poderiam cá constar. Convido a deixarem novos blogs a seguir ou outros artigos que tenham achado interessantes.

estamos todos_

Lançamentos Nacionais Relevantes

Este foi um bom mês para os lançamentos nacionais:

O Grande Bazar – Peter V. Brett – Asa;

Número zero – Umberto Eco – Gradiva;

Os bebés de água – Charles Kingsley – Tinta-da-china;

A pedra das águas – Terry Goodkind – Porto Editora;

A espada de Shannara – Terry Brooks – Saída de Emergência;

Estamos todos completamente fora de nós – Karen Joy Fowler – Clube do autor;

O Dragão de gelo – George R. R. Martin – Gailivro;

Viagens de Chapéu – Susana Cardoso Ferreira – Oficina do livro.

Críticas interessantes

wayward_

Ficção científica

Dreaming 2074 – Vários autores – Intergalacticrobot;

The Lifecycle of Software Objects – Ted Chiang – Que a Estante nos Caia em Cima;

Wayward Pines – Blake Crouch – Livros, livros e mais livros;

O Guardião de Memórias – Lois Lowry – Folhas do Mundo;

Over the top – Vários autores – Intergalacticrobot;

Mais que humano – Theodore Sturgeon – Que a Estante nos Caia em Cima;

insonho 2

Fantasia

Insonho: Durma bem – Vários autores – Que a Estante nos Caia em Cima;

Monstros fantásticos e onde encontrá-los – Newt Scamander – Deus me Livro;

A Ironia e Sabedoria de Tyrion Lannister – George R. R. Martin – Leituras do Corvo;

As Terras Devastadas – Stephen King – Nuno Ferreira;

A Lâmina – Joe Abercrombie – Livros, livros e mais livros;

O Dragão de gelo – George R. R. Martin – Deus me Livro;

Solomon – Carlos Pedro – aCalopsia;

Sete minutos depois da meia-noite – Patrick Ness – Uma Biblioteca em Construção;

Roy Just Wants to Have Fun – Victor Frazão – Uma Biblioteca em Construção;

Dias de sangue e glória – Laini Taylor – Deus me Livro;

Deixa-me entrar – John Ajvide Lindqvist – Livros, livros e mais livros;

Universos Literários – Vários autores – Floresta de Livros;

O Gigante Enterrado – Kazuo Ishiguro – Deus me Livro;

saga_

Banda desenhada

Mort Cinder – Héctor Oesterheld – Intergalacticrobot;

Bando de dois – Danilo Beyruth – As leituras do Pedro;

Saga (Vol. 1 e 2) – Brian Vaughan – Leituras de BD;

O Cavaleiro de Westeros – George R. R. Martin – Leituras do Corvo;

O Long Halloween – Jeph Loeb – Que a Estante nos Caia em Cima;

Fatale (Vol. 2) – Ed Brubaker e Sean Philips – As leituras do Pedro;

O livro do Mr. Natural – Robert Crumb – Intergalacticrobot;

alquimista

Outros

As Cidades Invisíveis – Italo Calvino – Nuno Ferreira;

A Alquimista das Cores – Aimee Bender – As Leituras do Corvo;

fran

Outros Artigos

– Quem tem medo de Palmer Eldritch – Máquina de Escrever;

– O Templo do Espírito Santo – Flannery O’Connor – Contos não Vendem;

– “Frankenstein” na Quinta da Regaleira – Câmara Municipal de Sintra;

– Entrevista a Lauren Beukes – Jornal i;

– Hazul por Hazul – Diário de Notícias;

– Reportagem Antena 1 sobre banda desenhada – RTP;

Science Fiction and Fantasy Books at Bivar Bookshop;

– 17 Imagens que colocam Portugal no Centro da Arte Urbana – Green Savers;

Eventos

– Outras literaturas: Ficção científica – Intergalacticrobot;

– Sustos às sextas V – Intergalacticrobot;

– Feira do Livro do Centro de Recursos Poeta José Fanha – Intergalacticrobot;

– XI Festival Internacional de BD de Beja – Leituras de BD – Fotoreportagem e Opinião;

– Tolkien: Constructor de Mundos – Viagem a Andrómeda [mini];

Recordar os Esquecidos;

Resumos mensais anteriores

Fevereiro 2015

Março 2015

Abril 2015

Abril de 2015

Aqui fica mais um resumo mensal sobre ficção especulativa em Portugal. Esta listinha resume o que achei mais interessante este mês em solo nacional (ou sobre projectos portugueses). Claro que se resume ao que tive acesso, existindo de certeza mais artigos que poderiam cá constar. Convido a deixarem novos blogs a seguir ou outros artigos que tenham achado interessantes.

gigante 2

Lançamentos Nacionais Relevantes

Talvez por causa da proximidade da Feira do Livro, ou simplesmente coincidência, este foi um bom mês para a ficção especulativa

O Gigante Enterrado – Kazuo Ishiguro – Gradiva;

O Homem do Castelo Alto – Philip K. Dick – Saída de Emergência (é uma nova edição);

Dias de sangue e Glória – Laini Taylor – Porto Editora;

Bestiário – Julio Cortazar – Cavalo de Ferro;

A Música do Silêncio – Patrick Rothfuss – Asa;

Fatale Vol.2 – G Floy;

Saga Vol.2 G Floy;

long2

Críticas interessantes

Ficção científica

Continuam a ser poucos os que criticam SF, mas eis alguns relevantes:

The New Atlantis – Ursula K. Le Guin – Nuno Ferreira;

The Long Tomorrow – Leight Brackett – Intergalacticrobot;

Seventy-two Letters – Ted Chiang – Que a Estante nos Caia em Cima;

Contos vários Fantasy&Co – Tales of Gondwana – estão a ser comentados vários dos contos disponíveis gratuitamente, alguns de autores já conhecidos de antologias portuguesas como Ricardo Dias, Carina Portugal ou Pedro Cipriano;

Behold the Man – Michael Moorcock – Intergalacticrobot;

insonho 3

Fantasia

De realçar o aparecimento contínuo de livros de autores portugueses:

A segunda vinda de Cristo à Terra – João Cerqueira – Uma Biblioteca em Construção;

Insonho: Durma bem – Vários autores – Intergalacticrobot;

O Lobatruz e outras desventuras – Judith Nogueira – Deus me Livro;

Bons Augúrios – Neil Gaiman e Terry Pratchett – Nuno Ferreira;

A cada dia – David Levithan – Floresta de Livros;

A Música do Silêncio – Patrick Rothfuss – Uma Biblioteca em Construção;

Coisas frágeis – Neil Gaiman – Nuno Ferreira;

mucha 2

Banda desenhada

Mucha – David Soares – Intergalacticrobot;

A Metrópole Féerica – José Carlos Fernandes – aCalopsia;

Le Confesseur Sauvage – Philippe Foerster – As Leituras do Pedro;

A Arte de Voar – Altarriba e Kim – Intergalacticrobot;

Comprimidos azuis – Frederik Peeters – Leituras de BD;

Em Busca de Peter Pan – Cosey – As Leituras do Pedro;

Moonhead and the Music Machine – Andrew Rae – Máquina de escrever;

Outros

Os que não me parecem encaixar directamente em nenhuma das categorias anteriores:

História Universal da Infâmia – Jorge Luís Borges – Deus me Livro;

Swan song – Robert McCammon – Intergalacticrobot;

sdom 2

Outros Artigos

Estranhos são os dias em que estou a adicionar uma ligação ao Correio da Manhã…

Colecção Universo Marvel – Que a Estante nos caia em cima;

Um desabafo e uma bela colecção de banda desenhada – Caderião Voltaire;

Bairro problemático na periferia de Lisboa vira galeria de Arte – Conexão Lusófona;

Tracking with close-ups (7) – Viagem a Andrómeda – e porque o título diz muito pouco, fala-se de Terry Pratchet;

A Ficção de ideias de Ted Chiang – Que a Estante nos caia em cima;

Corrida infestada de Zombis em Sintra – Correio da Manhã;

Muitos poucos dedos de conversa sobre cinema de forma quase nada informada – Ficções Distópicas – Que a Estante nos caia em cima;

Luís Corredoura galardoado com um encouragement award – Jornal de Mafra;

Eventos

Sustos às sextas – espreitem também a perspectiva em Intergalacticrobot, bem como os vídeos em Cadernos de Daath,

Animacomics 2015 – Intergalacticrobot, aCalopsia;

Festival In – Intergalacticrobot – as coisas interessantes que se puderam ver na FIL, ficção científica tornada realidade;

Recordar os Esquecidos.

Resumos mensais anteriores

Janeiro 2015

Fevereiro 2015

Março 2015

Retrospectiva 2014 – Resumo

Este foi o ano em que pude voltar a ler como me é usual, ou seja, mais do que meia dúzia de livros num ano inteiro e atingir uma média de dois livros por semana nos últimos meses do ano. Foi, também, o ano em que voltei ao Forúm Fantástico e o ano em que descobri as leituras digitais, mais fáceis de transportar em todo o lado – não que tenha, claro, abandonado o formato físico.

Aqui no blog foi um ano a meio gás, com bastantes publicações mas só a partir de Agosto, pelo que também as visualizações ficaram muito aquém: cerca de 14 000. Espero continuar em força este ano. Mesmo assim, li apenas 43 livros, mas como existem bastantes excelentes entre estes, resolvi avançar com o Best of do ano:

pump six

Melhor antologiaPump Six and other Stories de Paolo Bacigalupi – melhor ainda do que a colectânea – Lightspeed Magazine August 2012 ou Brave New Worlds. Ainda que estas duas tenham algumas das melhores histórias que já li, Pump Six apresenta uma estrutura mais coerente e uma média mais elevada na qualidade de todas as histórias.

brave new worlds

Melhor história curtaThe Lottery de Shirley Jackson – escrita em 1948 é uma história distópica que se vai revelando lentamente e criando expectativa no leitor. Apesar de já terem decorrido quase 70 anos não é caracterizada pelo tempo em que foi escrita.

sleeper spindle

Melhor Novela GráficaThe Sleeper and The Spindle de Neil Gaiman – apesar de não ser uma banda desenhada no formato tradicional, destacou-se pelo tom melancólico como transforma dois contos de fadas tradicionais e reverte o papel de princesa passiva que aguarda um príncipe de armadura brilhante e bravura desmedida.

handmaidstation eleven

Melhor ficção científica Station Eleven de Emily St. John Mandel e The Handmaid’s Tale de Margaret Atwood – das poucas leituras deste ano deste género, Station Eleven destacou-se como ficção pré e pós-apocalíptica que se centra numa companhia de teatro ambulante onde ecoa o princípio “Porque não basta sobreviver”. The Handmaid’s Tale é uma distopia dolorosa contada por alguém que conheceu uma sociedade como a nossa, mas se vê no papel de uma mulher totalmente desvalorizada como ser humano, que continua viva apenas por conta da sua fertilidade.

city stairsstranger in olondria

Melhor fantasiaCity of Stairs de Robert Jackson Bennett a par com A Stranger in Olondria de Sofia Samatar – duas das últimas leituras do ano, foram também duas das melhores leituras. De tom bastante diferente, City of Stairs é um livro bastante movimentado que se destaca pelo mundo criado e pelas personagens pouco convencionais. Por sua vez, A Stranger in Olondria possui um tom pausado que roça o introspectivo num mundo em que se chocam diferentes culturas e religiões.

Outras menções honrosas

  • Trafalgar de Angelica Gorodischer é um conjunto engraçado de histórias em torno de um mercador que viaja de mundo em mundo, envolvendo-se em pequenas aventuras que o levam a abandonar alguns mundos em fuga de um marido ciumento, ou de um grupo de alienígenas enfurecido;
  • Among Others de Joe Walton – a história de uma rapariga que perdeu a irmã gémea num trágico acidente provocado pela magia da mãe, que vê fadas e lê mais ficção científica numa semana do que muitos num ano inteiro;
  • Annihilation de Jeff Vandermeer – se existe uma história que caracteriza este livro é estranho. A Zona X será uma nódoa no mundo, uma área que  ninguém consegue compreender como apareceu, mas que quase parece uma banal e infindável zona selvagem, não fossem as estranhas construções e os episódios com fungos e esporos.
  • The Summer Tree de Guy Gavriel Kay – fantasia quase tradicional onde se destacam as histórias interlaçadas das personagens, algumas da nossa realidade, transportadas para um reino fantástico medieval por um mago capaz de viajar entre mundos. Uma excelente leitura.

____________________

Resumos de leituras durante o ano

Março

Junho

Agosto (parte 1)

Agosto (parte 2)

Setembro

Outubro (parte 1)

Outubro (parte 2)

Novembro

Dezembro (parte 1)

Dezembro (parte 2)

Dezembro (parte 3)

____________________

Melhoras leituras de anos anteriores

2011

2010

2009

2008

2007

2006

 

Uma série de links nacionais interessantes – Novembro

sepulturas pais

Eis, novamente, os artigos nacionais que me despertaram maior interesse durante o mês de Novembro:

Opiniões e resenhas

Sepulturas dos pais – David Soares e André Coelho – The Of Blog

Twelve Tomorrows – Vários autores – Intergalacticrobot

Gata Branca – Holly Black – Livros, livros e mais livros

O Prestígio – Christopher Priest – Leitora de Fim-de-semana

– Ficções – Vários – Intergalacticrobot

se acordar barreiros

– Se acordar antes de Morrer – João Barreiros – As Leituras do Fiacha – O Corvo

Na Sombra das Palavras -Vários autores –  Intergalacticrobot

Os despojados – Ursula K. Le Guin – Leitora de Fim-de-semana

Partials – Dan Wells – Livros, livros e mais livros

As raparigas cintilantes – Lauren Beukes – Leitora de Fim-de-semana

Perraultimato

O Perraultimato – Filipe Faria – Que a Estante nos Caia em Cima

Floresta é o nome do Mundo – Ursula K. Le Guin – Leitora de Fim-de-semana

Crónicas Birmanesas – Guy Delisle – Que a Estante nos Caia em Cima

2001-edited

Outros Artigos

– 2001: Odisseia no Espaço: Mais de quatro décadas depois, o encantamento persiste – João Campos – Revista Bang

– Do estado da animação nacional – Virtual Illusion

– Why, Doctor, Why? – Intergalacticrobot

– 100 momentos essencias do Cinema de Ficção Científica – João Seixas – Revista Bang

– Estantes Emprestadas [11] – A narrativa e os RPG’s [2/2] – Que a Estante nos Caia em Cima (1) e (2)

– Portugal Timelord Academy – Intergalacticrobot

Contos

A Invenção do Dia Claro, de Almada Negreiros, lido por João Moralles – Contos não vendem

– 2BR02B – Kurt Vonnegut – Revista Bang

– Três Contos de Donald Barthelme lidos por Rhys Hughes – Contos não vendem

Aquele Que Espera, de Ray Bradbury, lido por Madalena Santos – Contos não vendem

Outras coisas Interessantes

Revista nº 3 do Baú do Cantinho do Corvo Fiacha 

Blimunda #30

Prémios Adamastor

– Antologia Limites do Infinito – contos escolhidos

Uma série de links nacionais interessantes – Outubro

TheOnesWhoWalkAwayFromOmelas

À semelhança de Setembro, decidi reunir, num pequeno post, os artigos nacionais que mais me interessaram durante o passado mês de Outubro. Claro que a minha selecção é limitada ao que vi e li, caso saibam de outros, podem deixar o link !

Opiniões e resenhas

The Ones Who Walk Away from Omelas de Ursula K. Le Guin – O Senhor Luvas

Acácia de David Anthony Durham – Leituras do Fiacha

Teremos sempre Paris – Ray Bradbury – As leituras do corvo

Valsa com Bashir de Ari Folman – Que a Estante nos Caia em Cima

Lusitano Fado de Luís Corredoura – Intergalacticrobot

1Q84 de Haruki Murakami – Virtual Illusion

Lisboa no Ano 2000  – Leituras do Fiacha

Sepulturas dos pais de David Soares e André Coelho – Intergalacticrobot

Pyongyang de Guy Delisle – Que a Estante nos Caia em Cima

The Wandering Earth de Liu Cixin – Intergalacticrobot

A Imagem de Joel Gomes – Que a Estante nos Caia em Cima

Shaun Tan

Outros artigos

– O Mundo Maravilhoso de Shaun Tan – Virtual Illusion

– “O homem-javali vai casar” na Antologia “Crumbs” da Kingpin Books – Cadernos de Daath

25º Amadora BD – Leituras de BD

Context (4) – Andrómeda [Mini]

Ana C. Nunes – Livros nas Estrelas

Revista N.º 2 do Báu do Cantinho do Fiacha

Os Filmes de fantasia e ficção científica do último trimestre do ano

 

Uma série de links interessantes (internacional)

 

Steel & House

Novembro parece ser um mês emocionante para os lançamentos internacionais, ou assim parecem indicar as listas em io9 e Kirkus. Entre os indicados The Three Body Problem (de Cixin Liu, podem ler uma crítica no The Of Blog), The Best of Electric Velocipe (organizada por John Klima) ou The Door in the Mountains de Caitlin Sweet. Caso estejam curiosos por lançamentos de 2015, podem encontrar algumas sugestões também no The Of Blog.

Para além destas óbvias listas de lançamentos, eis mais alguns links que me interessaram recentemente:

The Four Best short stories about artificial intelligence you need to read

– This Time-Warping Novel Won China’s Version of the Nebula Award

The Slow Unveiling of James Tiptree Jr.

Michael Faber, The Book of Strange New Things

Adventures in Science Fiction Cover Art: Future Archaeology and Misterious Artifacts

The 21 Best Space Opera Books

A Tale of Two Lovecraftian Cities

As novas estantes (6)

Secção dos “Já lidos”… alguns paperbacks com boas recordações: The Last Light of the Sun de Guy Gavriel Kay (muito bom), Perdido Street Station de China Miéville (encontra-se na minha lista de melhores leituras de sempre) e To say Nothing of the Dog de Connie Willis.

IMG_1611

Nas prateleiras de baixo estão alguns dos livros do Zoran Zivkovic, aqueles que foram publicados pela Kurodahan Press:  Four stories till the end, Miss Tamara the reader, Amarcord e Compartments. Algumas destas histórias (se não todas) podem também ser encontradas nas colectâneas da PS Publishing (que estão noutras estantes).

IMG_1630

Seguem-se as obras publicadas pela Livros de Areia (todos excelentes a seu género): A transformação de Martin Lake e outras histórias de Jeff Vandermeer, O Pássaro Pintado de Jerzy Kosinsky, Disney no céu entre os Dumbos de João Barreiros, Uma Nova História Universal da Infâmia de Rhys Hughes…

IMG_1645

Buracos Negros de Lázaro Covadlo, Fome de Elise Blackwell, Chance de Jerzy Kozinsky, Criaturas da Noite de Lázaro Covadlo e Pequenoso Mistérios de Bruce Holland Rogers.

 

IMG_1650

Seguem-se alguns livros de autores brasileiros, publicados pela Draco e pela Tarja: Paradigmas 1, Zochiquetzal de Gerson Lodi-Ribeiro, Os Dias da Peste de Fábio Fernandes, Vaporpunk (parte 1 | parte 2) e Steampunk (parte 1| parte 2)

IMG_1657

Ainda, da editora Dalkey Archive Press os livros do Michal Ajvaz, The other city e The Golden Age, e The system of Vienna de Gert Jonke:

IMG_1636

Finalmente, livros de várias editoras, mas também dignos de destaque: Enciclopédia da Estória Universal de Afonso Cruz, Contos do insólito de Guy Maupassant, As cidades Invisíveis de Italo Calvino, I have Waited and you have come de Martine McDonagh e O Vampiro e a família do Vampiro de Aleksei K. Tolstói.

IMG_1669

Retrospectiva 2011 – As melhores leituras

Comparativamente aos anos anteriores, este foi, sem dúvida um ano com menos leituras – apenas 60. Por isso mesmo, este ano o top é mais curto. Houve livros excelentes, mas foram poucos. Aqui fica o top e algumas considerações sobre outros livros:

  1. The Dispossessed – Ursula le Guin
  2. A Tapeçaria do Sinai – Edward Whittemore
  3. Best Served Cold – Joe Abercrombie
  4. Contos Carnívoros – Bernard Quiriny
  5. The Brief Wondrous life of Oscar Wao – Junot Díaz – a tocante história de um geek

Surpresas agradáveis

  1. David Soares – este ano li cinco das suas publicações optando por isso por escrever o nome do autor. Nota-se uma melhoria de obra para obra
  2. O Fim Chega Numa Manhã de Nevoeiro – Renato Carreira – inesperadamente leve e divertido
  3. Trilogia – John Twelve Hawks – com alguns pontos fracos, mas interessante
  4. Fantasma de CantervilleOscar Wilde – A menos típica histórica de fantasmas que já li
  5. Contos dos Subúrbios – Shaun Tan – inocente, mágico e curto, tem episódios bastante agradáveis, mas não chegou ao patamar do excelente
  6. City – Clifford D. Simak – E se a par dos seres humanos, outra espécie desenvolvesse inteligência e fala, herdando a nossa civilização?
  7. The Reapers Are the Angels – Alden Bell – Atípica história de zombies que explora mais o lado humano do que o cortar de cabeças de seres mortos
  8. Os Olhos de Allan Poe Louis Bayard – mistura história com ficção para criar uma obra de crime e mistério bastante jeitosa – até para mim que não costumo gostar do género

Desilusoes

  1. A rapariga que inveitou um sonho – Haruki Murakami – Apesar de ser dos meus autores favoritos é dois poucos que livros que não cheguei a ler até ao fim. As histórias mantêm o mesmo registo, mas se é algo que funciona muito bem em romance, em contos não gostei
  2. Pássaros na Boca – Samanta Schweblin – Depois de várias comparações com Borges e afins, estava a espera de algo melhor. Não que os contos sejam maus, alguns até são bastante jeitosos, mas falta-lhes algo para os considerar excelentes
  3. O Escandinavo Deslumbrado – Alberto Xavier – Para mim faltou história e conteúdo, e sobrou prepotência e vaidade.

__________________________

Melhores de

2010

2009

2008

2007

2006

Esta semana

04-12-2011

– Ilusões – Denis da Cruz (A Lâmpada Mágica)

05-12-2011

– iZombie – Dead to the World – Chris Roberson e Mike Allred (Floresta de Livros)

– The Walking Dead – Here We Remain – Robert Kirkman e Charlie Adlard (Floresta de Livros)

– A Rapariga que Roubava Livros – Markus Zusak (Bookeater / Booklover)

– O Cadáver Trocista – Laurell K. Hamilton (Pedacinho Literário)

– Smoke – Alex De Campi, Igor Kordey (Intergalactictobot)

– O Jogo Final – Orson Scott Card (Ler y Criticar)

06-12-2011

– Tormento – Lauren Kate (As Histórias de Elphaba)

– Doc Bizarre – Joe Casey, Andy Suriano  (Intergalacticrobot)

07-12-2011

– Soberba Escuridão – Andreia Ferreira (Illusionary Pleasure)

– The Littlest Pirate King – David B., Pierre MacOrlan, Kim Thompson (Intergalacticrobot)

– Desaparecidos – Michael Grant (Livros, livros e mais livros)

– O Dardo de Kushiel – Jacqueline Carey (Ler y Criticar)

08-12-2011

– O Fio do Destino – Lian Hearn (As Leituras do Corvo)

– Brilho de Bruxa – L. J. Smith (As Histórias de Elphaba)

– Percepção, uma estranha realidade – Sara Farinha (Floresta de Livros)

09-12-2011

– Coutdown – Jonathan Maberry (Floresta de Livros)

– Maya Fox – A Escolhida – Silvia Brena e Iginio Straffi (Pedacinho Literário)

– Besta – Scott Westerfeld (As Leituras do Corvo)

10-12-2011

– Midnighters – Meio-Dia Azul – Scott Westerfeld (Bookeater / Booklover)

Herança – Christopher Paolini (Bela Lugosi is Dead)

– Theories of International Politics and Zombies – Daniel Drezner (Intergalacticrobot)

______________________________________

Para além das críticas

– Crítica na revista Os Meus Livros a “O Pequeno Deus Cego” (Cadernos de Daath)

– Anonymous (Cadernos de Daath)

Esta semana

04-09-2011

O Jogo do Anjo – Carlos Ruiz Zafón (As Leituras do Corvo)

The Mammoth Book of Best New Horror 19 – 1ª parte (As Leituras do Corvo)

Dead to the World – Charlaine Harris (O cantinho do Bookholic)

05-09-2011

A estranha vida de Nobody Owens – Neil Gaiman (D311nh4)

– Promessa de Sangue – Richelle Mead (Bela Lugosi is Dead)

– Academia de Vampiros – Richelle Mead (Pedacinho Literário)

– O Hóspede de Drácula – Bram Stocker (Que a Estante Nos Caia em Cima)

– Steampunk Bible – Jeff Vandermeer, S. J. Chambers (Intergalacticrobot)

– O despertar da magia – George R. R. Martin (Ouroboros Lair)

06-09-2011

– Eu, Robot – Isaac Asimov (Ler y Criticar)

– O Beijo da Meia-Noite – Lara Adrian (Pedacinho Literário)

– A Biblioteca – Zoran Zivkovic (Muito para Ler)

– Cobiça – J.R. Ward (As Leituras do Corvo)

07-09-2011

– Scarlet Traces – Ian Edgington, Matt Booker (Intergalacticrobot)

– A Tormenta das Espadas – George R. R. Martin (Muito para Ler)

– Batalha – David Soares (PNETliteratura)

08-09-2011

– A Demanda do Visionário – Robin Hobb (Bookeater / Booklover)

– Sangue Gelado – Claudia Gray (As Histórias de Elphaba)

– Matadouro Cinco – Kurt Vonnegut (Bela Lugosi is Dead)

– A Biblioteca – Zoran Zivkovic (Muito para Ler)

– The Maze Runner – James Dashner (Livros, livros e mais livros)

09-09-2011

– The Door in the Wall – H. G. Wells (Que a Estante Nos Caia em Cima)

– O Terror (Vol.2 ) – Dan Simmons (Ler y Criticar)

– Fury – Elizabeth Miles (Livros, livros e mais livros)

10-09-2011

– Orbias: As guerreiras da Deusa – Fábio Ventura (Illusionary Pleasure)

– As aventuras de Pinóquio – História de um boneco – Carlo Collodi (Os Devaneios da Jojo)

– Lua Nova – Stephenie Meyer (Blog D’Magia)

– O Beijo Carmesim – Lara Adrian (Blog D’Magia)

– Magia ao Vento – Christine Feehan (Blog D’Magia)

11-09-2011

– Mil Novecentos e Oitenta e Quatro – George Orwell (As Leituras do Corvo)

– Histórias Amorais para Crianças e Animais – João Diogo Zagalo (Bibliotecário de Babel)

12-09-2011

– Contos de Fadas Politicamente Correctos – James Finn Garner (Que a Estante Nos Caia em Cima)

– Harry Potter e o Cálice de Fogo – J. K. Rowling (Que a Estante Nos Caia em Cima)

13-09-2011

– Cascade – Lisa T. Bergren (Bookeater / Booklover)

– Desejar – Carrie Jones (Pedacinho Literário)

– Frankenstein – A cidade das trevas – Dean Koontz, Ed Gorman (Bela Lugosi is Dead)

– Aprendiz de Assassino – Robin Hobb (As Leituras do Corvo)

14-09-2011

– Bruxa e Detetive – Kim Harrison (As Histórias de Elphaba)

– Fell Cargo – Dan Abnett (Journeys of the Sorcerer)

15-09-2011

– Leviatã – Scott Westerfeld (Bookeater / Booklover)

– Harry Potter e a Ordem da Fénix – J. K. Rowling (Que a Estante Nos Caia em Cima)

– 4nj05 – Carlos Silva (Que a Estante nos Caia em Cima)

– O Mágico – Michael Scott (Bela Lugosi is Dead)

– O Planeta dos Macacos – Pierre Boulle (Ler y Criticar)

16-09-2011

– Bruxa e Detetive – Kim Harrison (Pedacinho Literário)

– O Defunto – Eça de Queirós (A Lâmpada Mágica)

– Reality Show – José Carlos Canalda (A Lâmpada Mágica)

– Breeding Ground – Stephen Baxter (A Lâmpada Mágica)

– The Greyfriar – Clay Griffith, Susan Griffith  (Livros, livros e mais livros)

– O Perfume – Patrick Suskind (Estante Acidental)

17-09-2011

– The Adventures of Luther Arkwright –  Bryan Talbot (Intergalacticrobot)

– Os Guardiães dos Mortos – Ricardo Pinto (Ler y Criticar)

– Carrie – Stephen King (D311nh4)

– O Canhão Monstruoso – Júlio Verne (A Lâmpada Mágica)

– Sangue Gelado – Claudia Gray (As Leituras do Corvo)

– Dead Rules – Randy Russell (Livros, livros e mais livros)

_____________________________

Para além das críticas

– O espectro de uma década (Montag)

– Correcções (Montag)

– Germano Facetti: “sono vivo” (Montag)

– As ruas de Borges (Bibliotecário de Babel)

Esta semana

08-05-2011

– Celestial – Cynthia Hand (Livros, livros e mais livros)

09-05-2011

– O Dom – vol. II – Alison Croggon  (As Leituras do Corvo)

– Beijo do Ferro – Patricia Briggs (My Lovely Secret)

– Batalha – David Soares (Heka)

– Rainha das Trevas – Anne Bishop (Ler e reflectir)

O Natal de um predador da Noite – Sherrilyn Kenyon (Ler e reflectir)

– A Caixa – Richard Matheson (Nlivros)

10-05-2011

The Van Alen Legacy – Melissa de la Cruz (Bookeater / Booklover)

– O Jardim de Infância  – Geoff Ryman (A Lâmpada Mágica)

– A Verdadeira Invasão dos Marcianos – João Barreiros (Floresta de Livros)

– A Biblioteca das Sombras – Mikkel Birkegaard (Muito para Ler)

– Beastly – Alex Flinn (Blog D’Magia)

– A conspiração dos antepassados – David Soares (Porta VIII)

11-05-2011

– Pátria – R.A. Salvatore (Livros, livros e mais livros)

– Plague of Spells –  Bruce R. Cordell (Manuscritos Malditos)

– Zona monstra (Porta VIII)

As Obras Primas de T. S. Spivet – Reif Larsen (Estante Acidental)

13-05-2011

Teodora e as Estátuas Misteriosas – Luísa Fortes da Cunha (Lydo e Opinado)

– A Espada de Fortriu – Juliet Marillier (Bookeater / Booklover)

– O Beijo Carmesim – Lara Adrian (Pedacinho Literário)

– O Desejo – Alexandra Bullen (Estante de Livros)

14-05-2011

– Paranormalcy – Kiersten White (Bookeater / Booklover)

– A Corte dos Traidores – Robin Hobb (Lydo e Opinado)

– O Feitiço do Highlander – Karen Marie Moning (As Histórias de Elphaba)

___________________________________

Para além das críticas

– “O Pequeno Deus Cego”: antevisão (Cadernos de Daath) – Imagens do próximo álbum de banda desenhada de David Soares

– Cayatte, volta, está tudo, mas tudo, perdoado…. (Blade Runner) – Seixas comenta a capa deprimente de um livro

Best of 2010 – Lá fora

Anualmente, tanto em sites de grandes cadeias que vendem livros, como em sites de críticas literárias, se publicam listas daqueles que consideram ser os melhores livros do ano. Aqui reúno links paras algumas das listas que considerei mais interessantes, sobretudo dos géneros fantástico, horror ou sci-fi.

– Amazon.com – A Amazon americana reuniu vários tops de literatura, um geral com os melhores 100 e outros organizados por género

– Amazon.co.uk – tal como a americana, a amazon inglesa, também organizou listagens com os melhores livros do ano:

– The New York Times – Desde listas dos vários críticos a listas genéricas dos livros mais notáveis

LJ Best Books 2010: Genre Fiction – Com várias listas de literatura de género, uma delas para ficção científica e fantasia.

–  The Of Blog – conhecido tanto pela quantidade de livros que lê, como pela qualidade das críticas que costuma apresentar, organizou várias listas sobre as suas leituras em 2010:

– Strange Horizons – os vários críticos do site reúnem o melhor de 2010 quer em livros quer em filmes, referindo diversos livros interessantes

–  Sf Signal – com uma secção para livros, contos ou revistas, possui algumas propostas que me passaram ao lado

– Asking the Wrong Question – entre os listados existem alguns que não pertencem a 2010, existindo uma secção para os melhores e outra para as decepções

–  The Book Smuglers – Paul Smith reuniu uma lista que, para mim, resume 2010.